Reportar erro
Entrevista exclusiva

Ana Beatriz Nogueira elogia Rafael Vitti e revela: "Poderia ser meu filho na vida real"

Atriz é Dona Néia em "Rock Story"

anabeatriznogueira_8c0968ec33791fd6fcdc1ab5221a3440a4602e47.jpeg
Foto: TV Globo/João Cotta
Redação NT

Publicado em 30/03/2017 às 00:35:07

Com mais de 30 anos de carreira, tendo passado por emissoras como a Manchete, RecordTV e Globo, Ana Beatriz Nogueira atravessa um de seus melhores momentos. A atriz está no ar como a Dona Néia em “Rock Story”, novela das sete que vem fazendo grande sucesso junto ao público e principalmente nas redes sociais.

Intérprete da mãe de Leonardo Régis, astro teen vivido por Rafael Vitti, Ana Beatriz se diverte nas gravações e aposta até mesmo no improviso para dar mais naturalidade às cenas. “Quando temos essa abertura, é muito gostoso”, diz a atriz em relação à postura da autora Maria Helena Nascimento e dos diretores Dennis Carvalho e Maria de Médicis.

Apesar de não ter conta em nenhuma rede, a atriz sente a aprovação da Dona Néia mesmo com as diversas atrocidades que fez: “Os vizinhos e os amigos mandam recados e é sempre muito gostoso receber esse carinho”. No Twitter, não raras são as vezes em que ela é eleita como a melhor personagem ou como a “dona” da novela.

Em um bate-papo exclusivo com o NaTelinha, Ana Beatriz Nogueira falou sobre diversos assuntos, como a relação que tem com Rafael Vitti, a quem diz que poderia ser seu filho na vida real: “Eu iria adorar ser mãe do Rafael”. Ela também falou sobre a construção de seus personagens – já que também se destacou com papéis com alta carga dramática, como a Eva de “A Vida da Gente”, que desprezava uma das filhas e incentivava o aborto da própria neta.

Vale lembrar que, mesmo “Rock Story” ainda tendo mais dois meses pela frente, Ana não terá muito tempo para descansar. Ela está confirmada em “O Sétimo Guardião”, novela das nove de Aguinaldo Silva que estreia em 2018. Na trama, que sucederá a novela de Walcyr Carrasco (que por sua vez sucede “A Força do Querer”, que estreia semana que vem) ela dará vida à Ondina, dona de um cabaré.

Confira a entrevista na íntegra:

NaTelinha - Em várias cenas, o telespectador tem a impressão de que houve um improviso ou o chamado caco. Isso realmente ocorre com a Dona Néia? Caso sim, como funciona essa liberdade? Você transparece estar se divertindo em cena...

Ana Beatriz Nogueira - Existe improviso, sim. O texto da Maria Helena Nascimento e a direção do Dennis Carvalho e da Maria de Médicis permitem o improviso em algumas situações. Quando temos essa abertura, é muito gostoso. Mas a direção tem uma medida muito boa e sabe quando e como isso pode funcionar. Me divirto bastante durante as gravações.

NaTelinha - A Dona Néia já cometeu várias atrocidades, como forjar o próprio sequestro, mas o público continua rindo com ela. Você a considera uma vilã?

Ana Beatriz Nogueira - Acho que a Néia é tão apaixonada pelo filho que acaba parecendo um pouco vilã em algumas atitudes. Mas é que para ela vale tudo por amor.

NaTelinha - Como é a recepção nas ruas do seu trabalho e com o público mais jovem? Você já esperava por ela? Acompanha nas redes sociais?

Ana Beatriz Nogueira - Eu tenho escutado muito comentários positivos sobre a Néia. Acaba que a maior parte do tempo estamos aqui no estúdio ou na cidade cenográfica, então nesse período da novela é difícil me encontrar na rua. Não tenho redes sociais, mas os vizinhos e os amigos mandam recados e é sempre muito gostoso receber esse carinho.

Ana Beatriz Nogueira elogia Rafael Vitti e revela: \"Poderia ser meu filho na vida real\"Foto: TV Globo / Raquel Cunha

NaTelinha - A Dona Néia e Leo Regis conseguem transparecer uma relação de mãe e filho para o telespectador. Como é a sua relação com ele fora de cena?

Ana Beatriz Nogueira - Atuar com o Rafael é uma delícia. Ele é um garoto extraordinário, educado, doce. Poderia ser meu filho na vida real, porque eu iria adorar ser mãe do Rafael. Eu gosto muito dele e acho que é um ator absolutamente entregue, presente, que está ali para fazer o melhor que ele pode.

 NaTelinha - Essa é a primeira novela de Maria Helena Nascimento. O que você achou de sua estreia com "Rock Story"? Já conhecia o trabalho dela? Alguma surpresa? Fale um pouco mais sobre o texto da autora.

Ana Beatriz Nogueira - Acho o texto da Maria Helena e as ideias dela maravilhosos. Eu já tinha trabalhado com ela em "Celebridade", quando ela ainda era colaboradora do Gilberto Braga. Sempre gostei do texto dela e adoro "Rock Story". Acho que mesmo se eu não estivesse no elenco estaria assistindo à novela porque a história é uma delícia.

NaTelinha - Você já transitou por papéis dramáticos, como a Eva, de "A Vida da Gente", que incentivou que uma filha abortasse e que rejeitava por completo a outra, e agora como a Dona Néia, que é extremamente divertida e carrega o retrato de algumas mães, que são extremamente protetoras e não enxergam que os filhos cresceram. Como você trabalha para construir seus personagens e defendê-los tão bem?

Ana Beatriz Nogueira - Em cada trabalho, presto muita atenção, sempre, no que o autor está escrevendo, no que ele quer, e no que o diretor da novela está pedindo. Tento respeitar a personagem, ouvi-la, e me divertir trabalhando. Na minha construção da Néia, por exemplo, não fui buscar referências externas. Procurei dentro de mim o que havia daquela mulher que pudesse somar às expectativas da autora e da direção. A Néia é uma personagem muito bem escrita e muito bem dirigida.

NaTelinha - O que você espera do desfecho da Dona Néia? O que seria um final justo para ela?

Ana Beatriz Nogueira - Espero um final feliz. Talvez não como a Néia imagina, mas um final feliz ainda que seja em Mesquita, onde, mesmo com todas as dificuldades, eles pareciam ter uma felicidade incondicional. Gosto muito da personagem.