Léo Áquilla fala sobre o noivo e conta: "sou uma transexual não operada"

"Tenho certeza que a minha fé salvou o Chico", diz ela

Fotos: SBT

Publicado em 22/04/2016 às 12:30:55

Por: Fabrício Falcheti

Léo Áquilla é a convidada deste sábado (23) do quadro "Elas Querem Saber", do "Programa Raul Gil". Thammy Miranda, Ciça Camargo, Sheila Mello e Antônia Fontenelle sabatinam a transexual, que fala com detalhes sobre o milagre de fé que curou seu noivo, Chico Campadello, hospitalizado devido a uma embolia pulmonar.

Hoje com 45 anos, ela também conta foi sua infância e fala de temas polêmicos, como prostituição.

Em fevereiro, Chico Campadello foi internado com embolia pulmonar, após um procedimento estético malsucedido. Na época, Léo Áquilla foi às redes sociais e chorou ao revelar que ele estava em estado gravíssimo e com poucas chances de sobrevivência.

Mas 20 dias depois, o atleta se recuperou e teve alta do hospital. A repórter afirma que sua fé salvou o noivo. "Sou uma mulher de muita fé. Tenho certeza que a minha fé salvou o Chico", disse no quadro, que também recebe Chico.

Prestes a se casar, ela diz sobre a festa: "Vai ter tudo que uma rainha merece". Léo tem dois filhos, e sobre a possibilidade ter mais, comenta: "Meu grande sonho sempre foi uma menina, mas o Chico já tem uma menina. Aí ficou completo".

Léo Áquilla também falou sobre sua transexualidade. "Isso não é uma escolha que a gente faz. Ninguém em sã consciência quer ser escrachado na rua, perder oportunidades de emprego. Não foi uma escolha”, bradou.

"Aos 18 anos fui apedrejada no meu bairro quando eu decidi me assumir para minha família. A carga estava pesada demais só pra mim", contou. Ela diz que sofria muito preconceito: "Fui uma criança que sofria muito na escola, apanhava todos os dias".

Léo Áquilla afirma que passou a se sentir feliz sendo uma mulher somente aos 40 anos. "Aos 40 anos, fazendo muita terapia, foi que eu descobri que na verdade eu sou uma menina e não um menino. Tive que entender que eu era uma menina e tive que aceitar, situação que não aceitava", disse.

Ela ainda revelou que não é uma transexual operada: "Fui impedida de fazer a operação de mudança de sexo por causa de um problema no coração, que é uma má formação na aorta. Então sou uma transexual não operada".

Por fim, falou sobre seu nome de batismo: "O Jadson nunca existiu. Por trás daquele menino sempre existiu essa mulher".

O "Programa Raul Gil" vai ao ar a partir das 14h15, no SBT.



COMENTÁRIOS