Posicionamento

Marcius Melhem confessa excessos, mas nega violência contra mulheres

Ex-diretor de humor da Globo se defendeu das acusações

 Marcius Melhem confessa excessos, mas nega violência contra mulheres
Marcius Melhem falou sobre as acusações - Foto: Reprodução/GNT

Redação NT

Publicado em 05/12/2020 às 09:35:00,

Marcius Melhem deu sua primeira entrevista desde que foi acusado de assédio sexual e moral contra funcionárias do humor da Globo. O ex-diretor da emissora confessou neste sábado (5) que cometeu equívocos e teve atitudes no ambiente de trabalho e pessoal que, nos tempos atuais, não podem acontecer. Contudo, ele negou que tenha sido violento ou assediado sexualmente qualquer mulher, inclusive citando a humorista Dani Calabresa.

continua depois da publicidade

“Estou aqui de peito aberto para assumir qualquer coisa que eu tenha feito, para pedir desculpas, reparar, se isso for possível, para entender, para aceitar críticas, mas para combater o que são mentiras, como, por exemplo, esse perfil construído na primeira matéria da Folha, da Mônica Bergamo, de que eu seria uma pessoa violenta. Essa advogada, Mayra Cotta, traçou um perfil meu de um abusador serial e de uma pessoa que tem hábitos violentos. Eu jamais, embora confesse meus excessos e já confessei aqui e a gente pode conversar sobre eles, eu jamais tive nenhuma relação que não fosse consensual e eu jamais pratiquei nenhum ato de violência com quem quer que seja na minha vida. Esse perfil que foi traçado ali ele não corresponde de forma alguma a quem eu sou”, afirmou Marcius em entrevista para os jornalistas Mauricio Stycer e Dolores Orosco, do UOL, parceiro do NaTelinha.

continua depois da publicidade

“Hoje eu entendo que tive comportamentos, atitudes, que não cabem mais. Entendo que fui, como homem, e é muito doloroso para mim dizer isso aqui porque me expõe, expõe minha família mais do que já estão expostas, minha ex-mulher, minhas filhas, mas estou aqui por uma questão de dignidade. Já não é uma questão de culpado, inocente, não ser ouvido, condenado, é uma questão de dignidade. E preciso estar aqui com toda transparência, toda a clareza, para dizer que eu fui um homem tóxico, um marido péssimo, uma pessoa que cometeu excessos em se relacionar com pessoas dentro de seu próprio ambiente de trabalho, coisa que eu não via problema, mas hoje entendo todas as nuances que isso pode ter. Entendo que eu, como homem, feri pessoas, magoei, traí, fui galinha, tudo isso foram erros meus e num mergulho muito profundo feito neste ano cada vez entendo mais”, acrescentou.

continua depois da publicidade

Melhem declarou que a reportagem publicada pela revista Piauí criou uma narrativa com histórias inventadas e que vai entrar com um processo contra a advogada Mayra Cotta e uma interpelação judicial a Dani Calabresa na próxima segunda-feira (7). Ao longo da entrevista, fez questão de ressaltar que não era um homem violento e quer que o caso seja esclarecido na Justiça.

“Eu sou uma pessoa que já estou condenado pela opinião pública, já fui condenado, sem que haja uma vítima que se assuma minha vítima, e nem um processo na Justiça. Muita gente acha que já existe um processo na Justiça, mas não existe. Eu já vi vítimas se manifestarem sem processar e já vi processos acontecerem sem as vítimas identificadas, mas uma situação igual à minha, sem vítimas e sem processo, é uma exposição pura e simples da minha pessoa, me acusando de uma série de coisas, desenhando uma série de atitudes que eu não cometi”, defendeu-se.

continua depois da publicidade

Marcius nega ter sido agressivo com Calabresa

Dani Calabresa se tornou o principal símbolo da denúncia contra Marcius Melhem. O ex-executivo de humor da Globo afirmou que tinha uma boa relação com a comediante e o conflito entre eles só teria ocorrido no ano passado por conta de decisões referentes ao Fora de Hora. Ele negou que tenha tentado ficar à força com a humorista e disse que tem conversas entre eles sobre assuntos profissionais e de amizade.

continua depois da publicidade

“Eu quero acreditar que a Dani Calabresa sabe que aquilo ali não aconteceu e é por isso que estou interpelando ela, porque eu tenho, como ela também tem, toda a comunicação que eu e ela tivemos em todos esses anos. É impossível aquilo ter acontecido e a gente ter durante dois anos a partir dali a relação que a gente teve, de amizade, de carinho, de parceria profissional, como se nada tivesse acontecido. É impossível isso ter acontecido", comentou.

continua depois da publicidade

“Agora a Dani e eu, sobretudo, estamos expostos publicamente, numa situação absurda narrada que teria acontecido numa festa. E respondendo à sua pergunta, eu e Dani tivemos a melhor das relações até que a gente teve um desentendimento profissional em 2019”, ressaltou.

“Uma semana depois daquela festa, que eu teria feito aquilo, aquele absurdo, a Dani me convida para ir à Disney, eu e minhas filhas. ‘Quero ir para a Disney com você e suas filhas’. Uma pessoa que sofreu aquilo uma semana antes vai me mandar um áudio, uma semana depois, no privado, para dizer que queria ir para a Disney comigo e minhas filhas?”, indagou.

continua depois da publicidade

Assédio moral ou sexual

Marcius se posicionou como uma pessoa sincera e que jamais quis o rótulo de “chefe”, distanciando-se dos funcionários. Porém, ele afirma que esse pode ter sido um equívoco e que ninguém nunca se queixou do comportamento dele.

“Nunca ninguém me falou, ou chegou pra mim, ou se queixou que eu estava assediando alguém. Hoje, vejo diferente. Olho para comportamentos que tive, flertes dentro do trabalho, e vejo que alguém pode ter essa leitura. Sinceramente vejo que essa leitura pode existir. Mas, até por isso, é preciso que os casos apareçam”, salientou.

continua depois da publicidade

“Eu achava, de verdade, que o barato era eu não mudar o meu comportamento, era continuar sendo amigo dos meus amigos, vivendo numa grande turma em que todo mundo tinha liberdade, intimidade. É importante contextualizar isso, porque senão fica parecendo que era um ambiente seríssimo e que eu entrava lá para tentar pegar mulheres. Não era assim, era um ambiente de liberdade, de alegria”, completou.

continua depois da publicidade

Confira a entrevista na íntegra abaixo: