Confusão

Anitta, Taís Araujo e Patrícia Pillar comentam acusações contra Felipe Prior: "Assustador"

Vários famosos vêm se manifestando após denúncias de estupros

Anitta, Taís Araujo e Patrícia Pillar comentam acusações contra Felipe Prior:
Celebridades falaram sobre Prior - Foto: Reprodução

Publicado em 03/04/2020 às 16:07:00 ,
atualizado em 03/04/2020 às 16:17:28

Por: Redação NT

Felipe Prior está sendo acusado de ter cometido dois estupros e uma tentativa de estupro e famosos repercutem a situação nesta sexta-feira (30). A cantora Anitta saiu em defesa das mulheres e a atriz Taís Araújo pediu que seus seguidores olhassem os relatos das denunciantes.

“Gente, eu segui o Prior e mandei mensagem dizendo que a primeira festa que tivesse na minha casa ele tava convidado faz tempo, justamente porque, por um momento, achei que ele tinha se arrependido de comportamentos inadequado que teve na casa. Eu Twittei sobre isso várias vezes”, afirmou a funkeira.

“Não tô entendendo a surpresa. Assim como vocês, eu também não conheço ele. Por isso não fiz campanha nenhuma pra ninguém. Realmente as acusações que surgiram sobre ele são graves. Como uma mulher feminista, abomino qualquer ato de violência contra nós mulheres”, acrescentou Anitta.

“Que nenhuma violência contra a mulher seja tolerada e fique impune. Os relatos expostos pela Marie Claire são muito fortes, mas importantes. Leiam a matéria e cuidem-se, manas!”, posicionou-se a protagonista de Amor de Mãe.

Bruna Linzmeyer também usou sua conta do Twitter para defender as mulheres que acusaram Prior. “Todo meu apoio à matéria corajosa da marie claire, especialmente à coragem, força e estômago das três mulheres que denunciaram @felipeprior por estupro. Denunciar um homem por assédio e/ou estupro no nosso país infelizmente ainda gera acusações às mulheres de ‘mentirosas’ a ‘exageradas’, além de retaliações diversas a elas a longo prazo. Aos homens, fica a impunidade e a certeza que continuarão trabalhando e vivendo normalmente. quem paga essa conta? quem cuida das nossas mentes? do nosso futuro?”, disparou.

Felipe Neto foi outro famoso que não se calou diante das acusações e pediu para que as pessoas tomassem cuidado ao ler a reportagem, pois poderia despertar gatilhos. “Aviso importante: a matéria tem vários gatilhos relacionados a estupro e assédio. Leia com cuidado. E se você sentir desejo de passar pano, espero que a vida te cobre de todas as formas possíveis, seu maldito”, declarou.

Patrícia Pillar compartilhou a reportagem da revista Marie Claire e demonstrou espanto com os relatos das denunciantes. “É assustador o que está por trás da mentalidade machista criminosa desse tipo de gente!”.

Entenda o caso

As mulheres que denunciaram o ex-brother afirmaram em seus depoimentos que os crimes teriam ocorridos entre os anos de 2014 e 2018.

A primeira denunciante, Themis (nome fictício para proteger a sua identidade) declarou que ela e uma amiga aceitaram uma carona do arquiteto após uma competição universitária, a InterFAU.

A outra menina ficou em casa e ela teria seguido seu trajeto com Felipe. Em um trecho do percurso, Themis explica que Prior parou o carro na rua e a teria estuprado, chegando a lhe machucar pela brutalidade da ação.

O segundo caso envolveu a estudante Freya, mais um pseudônimo criado para proteger a denunciante, mas essa não teria sido estuprada, pois afirma que conseguiu fugir. A moça relata que o ex-brother teria tentado se aproveitar do seu estado de embriaguez, forçando um ato sexual sem preservativo.

A terceira denunciante também o acusa de estupro. Ísis contou que o caso teria ocorrido em 2018, também em jogos universitários. Os dois teriam começado a ter uma relação sexual de maneira consentida, mas ela diz que Prior passou a agir de maneira agressiva e não parou quando ela pediu.

Posicionamentos

A revista Quem conversou com o pai do ex-brother, Edmir, que deu seu ponto de vista sobre as acusações. “Não garanto nada quanto as acusações porque para nós familiares isso não diz nada. Nunca recebemos intimação ou manifestação alguma legal. Só vou poder falar quando ele receber a intimação”, declarou.

Sobre ter lido a reportagem, ele garantiu que não viu: “Não li. Apareceu na internet e fiquei sabendo. Mas desde que ele entrou no programa está sofrendo esse tipo de calúnia de pessoas querendo acabar com a imagem dele”.

O NaTelinha tentou falar com a assessoria de imprensa de Felipe Prior e com o próprio pai do arquiteto, que não atendeu às ligações, visualizou as mensagens mas não respondeu. O espaço está aberto para o posicionamento do ex-brother e, caso haja uma declaração sobre o tema, a reportagem será atualizada.

Em comunicado, a Comissão Organizadora do Interfau disse estar ciente das acusações e que desde 2018 expulsou Felipe Prior de maneira permanente de todas as próximas edições do evento, "visando garantir a segurança e o bem estar de todos no evento".

A Globo, em nota, comentou: "A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, como se percebe diariamente em seus programas jornalísticos e mesmo nas obras do entretenimento, e entende que cabe às autoridades a apuração rigorosa de denúncias como estas".

Vale lembrar que estupro é crime hediondo, sem fiança, com pena que vai de seis a 10 anos de reclusão, podendo aumentar para oito a 12 quando há lesão corporal da vítima.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!