Namoradinha

"O salário vai diminuir, tem que ser por ideologia mesmo": Veja o que os artistas falam de Regina Duarte

Regina Duarte assumirá cargo no Governo Bolsonaro

Veja o que disseram artistas sobre Regina Duarte - Foto/Montagem NT

Publicado em 21/01/2020 às 20:00:48 ,
atualizado em 21/01/2020 às 20:42:03

Por: Ana Cora Lima

Regina Duarte aceitou o convite feito pelo presidente Jair Bolsonaro para integrar a equipe do seu governo . O anúncio oficial deve acontecer na próxima quarta-feira (22), em Brasília, após a atriz conhecer a estrutura da Secretaria Especial de Cultura, mas o "sim" da eterna namoradinha do Brasil acabou provocando um rebuliço na classe artística.

O NaTelinha conversou com alguns famosos para saber sobre a indicação da colega de profissão ao cargo e estranhou o fato de muitos colegas de profissão de Regina Duarte se recusarem a opinar sobre o assunto. Alguns falaram abertamente com a reportagem, como Paulo Betti, que assumiu: "Quem topa uma parada dessas tem que ser altruísta, prestar serviço ao País".

Paulo Betti



"Espero que Regina consiga uma ampla interlocução com todas as áreas afetadas pela secretaria, quiça ministério. Que tenha sorte e realize um excelente trabalho! Eu me sentiria tentado a aceitar um cargo desse nível, mas dependeria total de quem fosse o presidente. Quem topa uma parada dessas tem que ser altruista, prestar serviço ao País. O salário dela vai diminuir, tem que ser por ideologia mesmo."

Rita Guedes



"Eu acho fantástica a indicação. A Regina é uma pessoa idônea e respeitada pelo Brasil. Tenho a certeza que a presença dela nesse governo favorecer a classe artística. Ela tem a confiança do presidente Bolsonaro e eu desejo muito sorte e tenho a certeza que ela vai fazer um bom trabalho."

Zezé Motta



"Lamento que uma pessoa que eu respeito como artista e como colega de classe faça parte de um governo que já mostrou para o que veio. Um governo que já está implantando censura, homofobia, racismo, preconceito religiosa e todas as outras coisas que se possa colocar. Eu lamento, mas como eu torço pelo Brasil, eu espero que de alguma maneira ela consiga contribuir para que essa secretaria se mantenha viva, produtiva e que atenda os interesses da classe artística".

Othon Bastos



"Eu creio que se a Regina Duarte aceitou porque ela sentia que poderia aceitar, tinha condições para aceitar. Ela é uma pessoa que tem passado, tem conhecimento e participou de vários movimentos. Não é a primeira vez que ela está engajada. Já estava engajada com o governo Fernando Henrique Cardoso. Ela tem uma certa bagagem. Agora enfrentar isso aí é que nós vamos ver. Não sei como ela vai se adaptar. Ela voltou no atual presidente, gosta dele, o apóia e já meio caminho. Temos que acreditar que ela seja uma pessoa coerente com a profissão dela com o grupo e defender com unhas e dentes a cultura e a liberdade de expressão. Não pode ter filtros. Reagir contra isso e ela tem essa consciência porque já passou por várias fases desse país."

Nicole Puzzi



"Espero que o contrário do que vinha sendo feito pelo anterior. Valorização e incentivo ao cinema nacional. Incentivo à novos projetos, especialmente os de periferia, Liberdade de expressão em todas os segmentos artísticos. Esclarecimento ao grande público de que artista não é inimigo, de que Lei de Incentivo não enriquece atores e atrizes. Combate à censura. Reconhecimento da importância de Fernanda Montenegro e de todos os artistas da Terceira Idade, Apoio à arte feminina e LGbtQ+, e, principalmente, nunca mais ouvir discurso nazista. Mas... não sei se está será a nova realidade."

Franciely Freduzeski



“Além de ser uma excelente atriz, sempre atuando em papéis marcantes, Regina Duarte também foi uma defensora das mulheres na sociedade brasileira, uma pessoa que, na minha opinião, conhece muito bem a cultura do nosso país. Conhece as dificuldades de perto. Acredito sim, que ela vá lutar de forma transparente. Ela passa a imagem de ser uma mulher de fibra e opinião firme. Acho que a pessoa tem que ter caráter, instrução e principalmente, ética. Nunca trabalhei com ela, mas com a filha, que sempre falou muito bem dela, como mãe e avó. Gilberto Gil também foi ministro e não teve essa discussão toda. Ronald Reagan era um ator e também foi presidente dos Estados Unidos. Se ela não der certo, tira, como foi feito anteriormente, sem mistérios. Sinceramente, enquanto o Brasil não torcer pelo Brasil como um todo, sem divisões de esquerda ou direita, será difícil dar certo."




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!