Polêmica

Processo contra Kevin Spacey é arquivado nos Estados Unidos

Ator se livrou de uma das acusações contra ele

Processo contra Kevin Spacey é arquivado nos Estados Unidos
Kevin Spacey foi demitido da Netflix por causa das acusações - Foto: Divulgação/Netflix

Publicado em 18/07/2019 às 10:39:18

Por: Naian Lucas

Kevin Spacey se livrou de um processo por abuso sexual. A decisão foi tomada por promotores dos Estados Unidos após um dos jovens que acusou o ator se recusar a entrar no grupo de testemunhas. A informação foi divulgada nessa quarta-feira (17).

De acordo com o tabloide New York Times, os profissionais que teriam que provar os crimes do ator norte-americano contavam com a declaração do rapaz que revelou ao mundo as ações de Kelvin, contudo, ele declarou que não participaria da audiência sobre o caso, resultando no fim do inquérito.

Isso não significa que o astro de Hollywood se livrou definitivamente da Justiça. Outros dois homens apontaram que o ator cometeu crimes sexuais contra eles e pretendem, até o momento, continuar com o processo.

Conhecido pelo público por ser protagonista do filme “Beleza Americana” (1999) e “House of Cards” (2013 a 2018), Kevin Spacey foi acusado de ter usado suas mãos para tocar as partes íntimas do acusador, que na época tinha 18 anos, dentro de um bar e sem o desejo do garoto. O caso teria acontecido em 2016.

A primeira acusação contra Spacey ocorreu em outubro de 2017, vinda do ator Anthony Rapp. Segundo ele, o assédio aconteceu quando tinha 14 anos. O então protagonista da série de Netflix afirmou que não se lembrava, mas pediu desculpas e revelou ao mundo que era homossexual.

Nos dias seguintes, mais de 20 homens declararam que sofreram abusos sexuais de Kevin e ele acabou sendo afastado de “House of Cards”. Pouco tempo depois, a gigante de streaming anunciou sua demissão e a última temporada da série, que teria como protagonista Robin Wright.

O ator resolveu sumir dos holofotes e se internou em uma das clínicas mais populares entre as celebridades, a Meadowns, localizada na vila Wickenburg, no Arizona. O local foi o mesmo escolhido pelo produtor Harvey Weinstein, acusado por assédio e também estupro, e já recebeu Tiger Woods, Elle MacPherson, Kate Moss e Selena Gomez, dentre outros.

Nos Estados Unidos, o luxuoso centro custa US$ 36 mil (R$118 mil) por mês e é considerado o melhor programa contra vícios em sexo.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!