Reportar erro
Colunas

Paloma Bernardi sobre "A Terra Prometida": "um marco na minha carreira"

"Sou atriz, independentemente de emissora", diz ela sobre ida para a Record

samara-palomabernardi-aterraprometida.jpg
Divulgação/TV Record
Sandro Nascimento

Publicado em 04/11/2016 às 10:20:50

A atriz Paloma Bernardi interpreta sua primeira vilã na carreira, a mimada e explosiva Samara na novela bíblica "A Terra Prometida", da Record.

"Ela é fora da casinha, se acha a rainha do deserto, a melhor. Mas acho que é tudo por causa da mãe que criou Samara desta forma. Quando ela se apaixona por Josué e percebe que não é correspondida, como toda mulher, ela sofre, Samara não aceita, quer Josué", explicou a atriz para o NaTelinha, durante as gravações da trama no Rio de Janeiro.

Nesta entrevista exclusiva, Paloma Bernardi conta sobre o desafio de ter trocado a Globo pela Record. "Eu sou atriz, independentemente de emissora. Eu estou sempre em busca de bons trabalhos e boas histórias para contar. Se a Record me deu a oportunidade de viver a Samara que é uma personagem incrível, não tinha como negar. Eu me sinto orgulhosa de fazer parte deste time e desta obra", diz.

A atriz revelou ainda que acompanhou a queda das Muralhas de Jericó como uma simples telespectadora e que chegou a gritar em casa, entusiasmada com as cenas. Sobre o Carnaval, Paloma explica que as gravações de "A Terra Prometida" não permitem uma dedicação maior neste momento para a escola de samba Grande Rio, que neste próximo ano homenageia Ivete Sangalo.

"Esse ano estou vivendo um pouco menos o Carnaval porque estou gravando muito, mas essa semana eu fui na gravação do CD que homenageia a Ivete. Acho que agora em dezembro, quando termina as gravações, eu consigo me jogar mais no samba", comenta.

Leia a entrevista completa:

Como está sendo encarar a vilã Samara em "A Terra Prometida"?

Paloma Bernardi -
Eu acho que esse personagem é um marco na minha carreira. Uma vilã que o Alexandre Avancini me confiou e eu abracei de braços abertos. Está sendo maravilhoso viver a Samara, um personagem muito rico com todas as emoções possíveis e impossíveis. Ela é fora da casinha, se acha a rainha do deserto, a melhor. Mas acho que é tudo por causa da mãe que criou Samara desta forma. Quando ela se apaixona por Josué e percebe que não é correspondida, como toda mulher, ela sofre, Samara não aceita, quer Josué.

Agora começou a fase de maldade mesmo, Samara pensa assim: "Já que você não me quer eu vou fazer você querer. Eu vou matar, eu vou destruir a Aruna (Thais Melchior), eu vou passar por cima de todo mundo, vou contra minha mãe e meu pai, eu vou pensar só em mim e no meu umbigo. Deus faça a minha vontade", ela é dessas (risos).

Se inpirou em alguém para compor Samara?

Paloma Bernardi -
Quando eu fui chamada para fazer este trabalho eu estava assistindo "Game of Thrones", então foi de imediato minha identificação com a rainha Cersei (Lena Heade) e sua mãe Margaery (Natalie Dormer), que são as duas vilanias da série.

Foi um desafio mudar de emissora?

Paloma Bernardi -
Eu sou atriz, independentemente de emissora. Eu estou sempre em busca de bons trabalhos e boas histórias para contar. Se a Record me deu a oportunidade de viver a Samara que é uma personagem incrível, não tinha como negar. Eu me sinto orgulhosa de fazer parte deste time e desta obra. Acho que "A Terra Prometida", assim como foi "Os Dez Mandamentos", é um marco na televisão brasileira.

A Record vem fazendo projetos ousados e ao mesmo tempo dando resultados positivos. Eu tiro o chapéu para todo mundo. É um trabalho árduo, que trabalhamos de segunda a sábado, com 25 cenas, dando o sangue com muito amor. Quando vê o resultado final é uma maravilha. Enquanto se faz lá fora em anos, aqui faz em semanas de forma digna e merece aplausos.

Gostou do resultado final da queda das muralhas de Jericó?

Paloma Bernardi -
A  queda das muralhas foi um momento histórico para gente também. Tivemos um Ibope lá em cima. Eu assisti a cena como telespectadora, porque as cenas envolveram apenas os atores da novela. Eu chorei, eu me arrepiei e fiquei gritando dentro de casa.

Você acompanha a audiência da novela?

Paloma Bernardi -
Eu acompanho, até porque me marcam nas redes sociais. Sempre me falam que encostou aqui e ali, deu 19 pontos, acho isso muito bacana. Todas as emissoras precisam ter seu espaço.

Estamos chegando no final do ano, e você é rainha da bateria da Grande Rio. Já começou a viver o clima do Carnaval?

Paloma Bernardi -
Este ano estou vivendo um pouco menos o Carnaval porque estou gravando muito, mas essa semana eu fui na gravação do CD que homenageia a Ivete. Acho que agora em dezembro, quando termina as gravações, eu consigo me jogar mais no samba. A rainha das rainhas é Ivete e o samba enredo tá lindo, tá feminino , mas com força. Uma brasilidade que tem tudo a ver com ela e com o público que vai assistir na Sapucaí.

Mas já se preocupa com alimentação para o Carnaval?

Paloma Bernardi -
Eu estou ritmo de gravação e estou malhando duas vezes por semana, e olhe lá (risos). Durante a semana eu tento manter uma alimentação balanceada, salada, grelhados, arroz integral e evitar os doces. Mas no final de semana, se tiver um aniversário, eu não vou deixar de viver essas prazeres da vida que eu amo. Mas quando chega mais perto do Carnaval eu sou mais rigorosa. Mas na minha opinião, mais importante que o corpo é estar com o samba na ponta do pé e em sintonia com a bateria.

Como consegue administrar tudo isso na sua carreira?

Paloma Bern
ardi - Eu acho que a mulher é uma heroína, eu não sou diferente, tenho que me multiplicar em mil. Sou amiga, namorada, atriz, rainha da bateria e sou feliz. Assim.

Mais Notícias