Figurino de "Escrava Mãe" foi feito pela mesma empresa de "Game of Thrones"

Autor Gustavo Reiz fala sobre a nova novela da Record; e mais

Gustavo Reiz é o autor de "Escrava Mãe" - Foto: Rodrigo Lopes

Publicado em 31/05/2016 às 07:30:36

Por: Sandro Nascimento

Chega nesta terça-feira (31) na tela da Record, sua maior aposta para o primeiro semestre, a novela "Escrava Mãe". A trama inaugura o novo horário de novelas da emissora e vai bater de frente com "Haja Coração", na Globo. A expectativa é que a história movimente a guerra de audiência na faixa.

"Escrava Mãe" é escrita por Gustavo Reiz e foi livremente inspirada na obra "A Escrava Isaura", de Bernardo Guimarães. "A Record apostou bastante e a Casablanca buscou o que tinha de melhor no mercado para produzir esta novela. Equipe dedicada e talentosa, equipamentos de ponta, figurinos de um ateliê italiano (que trabalha com filmes e séries consagradas, como 'Game of Thrones'), um minucioso trabalho de pesquisa em todas as áreas", conta o autor.

Em entrevista exclusiva a este colunista do NaTelinha, Gustavo Reiz diz que o maior de desafio de "Escrava Mãe" será atrair o público de teledramaturgia para um horário que a Record tradicionalmente dedica ao jornalismo. "Justamente por isso, não há uma meta estipulada pela direção da emissora, mas é claro que temos boas expectativas, principalmente por causa da qualidade da novela", diz.

Mas nem estreou a trama e Gustavo já prepara seu oitavo trabalho para a Record. Ele foi escalado para escrever uma novela medieval que vai suceder "Escrava Mãe" - já com os trabalhos finalizados. "Posso adiantar é que teremos uma belíssima história de amor e redenção, com inspiração nos clássicos romances de cavalaria", conta o autor, que pretende acompanhar a estreia de "Escrava Mãe" pelo Twitter. Confira a entrevista completa:

Como encarou o desafio de contar o início de um romance clássico de Bernardo Guimarães? Como surgiu a ideia de "Escrava Mãe"?

Gustavo Reiz -
Nossa intenção era fazer uma novela para a família, um trabalho com todos os elementos das histórias clássicas, do novelão. "A Escrava Isaura" é uma das histórias mais conhecidas de nossa literatura e teledramaturgia. Escrever sobre personagens tão emblemáticos como Isaura e Leôncio é, sem dúvida, um prazer para qualquer autor.

Quando fui consultado pela emissora sobre a possibilidade de desenvolver uma novela sobre um breve trecho que há em "A escrava Isaura", explicando a história de Juliana, percebi que estava diante de uma grande oportunidade. Reli a obra várias vezes e mergulhei na pesquisa sobre a época que antecederia aquela trama, para criar uma novela original, nova, mas dentro daquele universo já conhecido por tantos telespectadores.

Optei por iniciar a novela na África, o verdadeiro berço de nossa história, até a trama se desenvolver no Brasil, no movimentado ano de 1808. Criei mais de 40 personagens, todos com suas tramas, para oferecer ao público mais possibilidades. O grande desafio é surpreender também aqueles que já conhecem a história.
 
Qual foi a maior dificuldade na busca do fio condutor da história?

Gustavo Reiz - Como a novela é inspirada no livro de Bernardo Guimarães (e não nas outras adaptações para TV), tive a preocupação de não inserir nenhuma informação que causasse estranheza no leitor do livro, sobre a história que vem a seguir. Ao terminar a novela, quem pegar a história de Isaura para ler não fará nenhuma confusão, pois não há nenhuma divergência nesta trama que a antecede.
 
"Escrava Mãe" é a primeira novela 4K no país. Ficou satisfeito com o resultado final da produção? O que mais te impressionou?

Gustavo Reiz -
Muito satisfeito e tenho certeza que o público também vai se surpreender bastante. A Record apostou bastante e a Casablanca buscou o que tinha de melhor no mercado para produzir esta novela.

Equipe dedicada e talentosa, equipamentos de ponta, figurinos de um ateliê italiano (que trabalha com filmes e séries consagradas, como "Game of Thrones"), um minucioso trabalho de pesquisa em todas as áreas. É uma novela extremamente caprichada, que merece a atenção do público.
 
Você costuma dar palpites na produção das suas tramas? Como foi em "Escrava Mãe?

Gustavo Reiz -
Sim, sempre. Novela é um trabalho em conjunto. E feita desta maneira, de forma fechada, a comunicação tem que ser ainda maior. Além do contato muito próximo com a direção, troquei muitas ideias com as equipes de cenografia, arte, figurino, trilha sonora...

Além de serem profissionais extremamente talentosos, todos amavam a novela e respeitavam muito o texto, queriam contribuir da melhor maneira para contar nossa história.

[galeria]
"Escrava Mãe" vai estrear inaugurando um novo horário de novelas da Record. Qual é a meta de audiência? Qual será o maior desafio para o horário?

Gustavo Reiz -
O maior desafio é atrair o público de teledramaturgia para um horário que até então era ocupado por jornalismo. Justamente por isso, não há uma meta estipulada pela direção da emissora, mas é claro que temos boas expectativas, principalmente por causa da qualidade da novela.

Temos total segurança que vamos apresentar um belo trabalho, uma novela feita com muito cuidado e dedicação. Percebemos que as chamadas causaram boa impressão e isso nos anima, já que elas mostram muito pouco de tanta história que temos para contar.

Quais serão os elementos que você está apostando para conquistar o público em "Escrava Mãe"?

Gustavo Reiz -
É uma novela para quem gosta de novela, com todos os elementos clássicos do folhetim. Temos uma história de amor arrebatadora, com referências a um dos maiores clássicos de nossa literatura e dramaturgia, que é "A Escrava Isaura". Temos grandes vilões, um contexto histórico que desperta interesse (Brasil colônia, 1808) e um tema mais que relevante, que é a escravidão.

Procuramos abordar o tema de forma sensível, valorizando os sentimentos e histórias daquelas pessoas que viviam como escravas, não deixando a novela pesada. Temos humor, aventuras amorosas, mistérios.

"Escrava Mãe" é uma novela para divertir e emocionar, além de levantar questões importantes sobre a construção de nossa identidade, de nossa história. Acredito que o público gostará dessa diversidade. Como noveleiro, eu gostaria muito de assistir essa novela!
 
Inicialmente, a novela iria substituir "Os Dez Mandamentos" no ano passado, mas sofreu vários adiamentos. Ficou muito ansioso para ver a receptividade do público com seu trabalho?

Gustavo Reiz -
Todo nosso trabalho é feito para o público, então fico realmente ansioso para ver a novela no ar. E agora falta pouco, a expectativa é ainda maior! Quero acompanhar os comentários pelo Twitter, que é um grande grupo de discussão.
 
Seu novo projeto na Record será uma novela medieval. A trama vem com inspirações em "Game of Thrones"? O que podemos aguardar?

Gustavo Reiz -
Todas as atenções estão voltadas para a estreia de "Escrava Mãe", mas o que posso adiantar é que teremos uma belíssima história de amor e redenção, com inspiração nos clássicos romances de cavalaria. É um projeto que já me instiga muito e que comprova o projeto da Record para este segundo horário, oferecendo outras possibilidades para o público de teledramaturgia. Isso é bom para o público e para o mercado. E que venha nossa "Escrava Mãe"!

*

Novidades Net

A Net anda preparando novos recursos para seus assinantes. Em breve chega o "Replay TV", onde o assinante poderá assistir a um programa exibido em até sete dias depois de ir ao ar. SporTV, Discovery, Multishow e TNT estão entre os canais que contarão com o serviço.

Números do "Domingo Legal" sem Magrão

Ainda é cedo para qualquer avaliação, mas no primeiro mês sem a direção do Roberto Manzoni (Magrão), o "Domingo Legal" fechou maio com média de 6,4 pontos de audiência na Grande São Paulo. Em abril, ainda sob o comando do diretor, o programa conquistou 6,8 de média, de acordo com o Ibope.

Mesmo fechando maio com números inferiores a abril, Celso Portiolli tem motivos para comemorar. O "Domingo Legal" vem tendo um bom crescimento nas últimas semanas.

No último domingo (29), atingiu 7 pontos de média mesmo pegando o horário em baixa com a entrega de "Mundo Disney".

Viviane Araújo estreia peça no Rio

Marcando a estreia de Viviane Araújo nos palcos cariocas, a peça "Até que o Casamentos nos Separe" chega ao Rio de Janeiro na próxima sexta-feira (3), na sala Marília Pêra.

A montagem aborda com muito bom humor assuntos relacionados a qualquer casal. O texto é de Eduardo Martini e Cris Nicolotti. Horários: sextas e sábados às 21h e domingos às 18h.

Enquanto isso, Viviane Araujo já foi confirmada no elenco da novela das sete "Sonha Comigo", que substituirá "Haja Coração" no final do ano.
 



COMENTÁRIOS