Reportar erro
Colunas

"Ligações Perigosas" termina tecnicamente impecável com atuações pontuais

A coluna "Enfoque NT" analisa a minissérie da Globo, "Ligações Perigosas"

ligacoesperigosas-marjorieestiano-seltonmello.jpg
Selton Mello e Marjorie Estiano em "Ligações Perigosas" - Divulgação/TV Globo
Thiago Forato

Publicado em 15/01/2016 às 23:14:46

Terminou nesta sexta-feira (15) a minissérie “Ligações Perigosas”, da Globo, exibida em 10 capítulos, com assinatura de Manuela Dias, que ficou a cargo de adaptar o livro que tem como grande enfoque a relação entre Augusto (Selton Mello) e Isabel (Patrícia Pillar). A direção foi de Vinícius Coimba com direção de núcleo de Denise Saraceni.
 
Essa foi mais uma produção a adaptar a obra francesa “Les Liaisons Dangereuses”, de Choderlos de Laclos, mas a primeira produzida no Brasil. A mais conhecida e recente dos brasileiros foi o filme “Segundas Intenções”, de 1999, com Reese Whisterspoon no elenco.

Apesar de ser um texto do século XVIII, os elementos são universais e atemporais: amor, sexo, vingança e jogos de sedução fizeram parte de “Ligações Perigosas” que terminou como um acerto da Globo neste verão.
 
Atuações impecáveis
 
Além da boa adaptação de Manuela Dias, a minissérie contou com excelentes atuações. Os jogos de Augusto e Isabel realmente envolveram e seduziram o telespectador.
 
Alice Wegmann, a princípio como a doce e santa Cecília, logo mostrou mais uma faceta sua como atriz, se tornando tão debochada e atrevida como a tia, coisa que até então não tínhamos descoberto em “A Vida da Gente” (2011), “Malhação” (2012), “Em Família” (2014) e “Boogie Oogie” (2015). Por fim, a promissora atriz teve a oportunidade de mostrar alguma coisa a mais. E convenceu. 
 
Mariana, vivida por Marjorie Estiano, também dispensou apresentações e elogios. Interpretou realmente com a alma e certamente entra como um de seus melhores papéis na carreira.

Locações
 
As paisagens mostradas em “Ligações Perigosas” foram filmadas na Patagônia, na Argentina e  no Uruguai. A cenografia foi de primeira, bem como o figurino extremamente cuidadoso. Tudo ali foi estudado, e nada passou despercebido. 
 
Os telespectadores menos atentos talvez não tenham percebido onde se passa a história, que foi mencionado poucas vezes. Ela foi ambientada na fictícia Vila Nova, litoral de São Paulo.
 
Delicadeza nas cenas
 
Para quem esperava cenas de sexo gratuitas, acabou se decepcionando. “Ligações Perigosas” teve poucas cenas de nudez, mas muitas esbanjando sensualidade e delicadeza. Sem vulgaridade, provavelmente muito de acordo com a época retratada.
 
Toda essa atmosfera misteriosa, sedutora e recheada de jogos tendo entre os protagonistas foi bastante bem dosada em 10 capítulos, e fez com que nada ficasse excessivo, primando sempre pela pontualidade e um tom coeso. 
 
Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há dez anos e assina a coluna Enfoque NT há quatro, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br  |  Twitter: @tforatto
 
Mais Notícias