Reportar
erro
Cinema em Casa

Na guerra pelo Ibope, SBT escalou filmes proibidos na hora do almoço nos anos 90

Filmes exibidos à tarde dificilmente iriam ao ar hoje em dia


Cena de O Último Americano Virgem e Escola Só Para Moças
O Último Americano Virgem e Escola Só Para Moças foram algumas dessas produções - Foto/Montagem
Por Redação NT

Publicado em 07/05/2022 às 09:44:00

Tentando alavancar a audiência das tardes do SBT, Silvio Santos já definiu as mudanças a partir do próximo dia 16 de maio, com a inclusão de três novelas a partir das 12h. Se agora as medidas são lights, há 31 anos, a emissora apostava em filmes cuja exibição na faixa das 13h45 seria impensável.

Para tentar gerar interesse do público, o SBT anunciava uma semana Cocktail no Cinema em Casa. O Cocktail foi um programa apresentado por Luís Carlos Miele (1938-2015) nas noites de sexta-feira e que contava com games, erotismo e sensualidade para o delírio dos marmanjos de plantão.

Como não raramente o Cinema em Casa vinha temático, optou-se por fazer uma semana dedicada à atração. Em 1991, foram escolhidos filmes cujas exibições chocariam em pleno 2022, com muitos corpos nus e uma sacanagem de fazer inveja à realities de pegação da MTV. "Uma semana muito sensual, ousada e provocante. Só mulheres bonitas na semana Cocktail", prometia a chamada. Confira os filmes eleitos:

O Último Americano Virgem

"Para descobrir as delícias do sexo, vale qualquer sacrifício", alardeava o SBT sobre o primeiro filme. Trata-se de um dos clássicos dos anos 80, O Último Americano Virgem. Na história, três estudantes da Califórnia se divertem assediando as colegas da turma, algo que hoje certamente geraria cancelamento e até cadeia.

O longa foi um dos campeões de exibição no SBT que certamente fez a fita ficar até amarela. Sempre com bons índices de audiência, a comédia explorava bastante a nudez feminina, e ninguém se importava em ver isso depois do almoço durante a semana. Já pensou?

Fim de Semana da Pesada

"Eles chegaram para curtir as férias numa boa", dizia o comercial para o filme de terça-feira. A reportagem não conseguiu identificar de qual filme se trata pela chamada (vídeo abaixo), mas já dá pra ver o porque ele foi escalado. Como havia muitas mudanças nos títulos de filmes naquela época, alguns ganhavam nomes bastante inusitados, como esse.

Colégio Só Para Moças

"Erotismo e muita malícia", avisava. O filme de 1987 conta a história de uma jovem que é forçada a frequentar uma elegante escola de boas maneiras no Mediterrâneo e acaba liberando toda sua raiva ao se rebelar contra o diretor cruel e doentio.

Quando descobre que ele fotograva as moças secretamente nuas e lucrando com as imagens, reúne todas as outras garotas para planejar uma vingança. O que não faltou foram seios à mostra...

Clube para Mulheres

"Eles tiram tudo o que tem direito", dizia sobre o Clube para Mulheres. O enredo trata sobre um jovem comprometido que começa a trabalhar como dançarino de striptease para pagar pelo casamento extravagante que sua noiva sempre quis ter. Já imaginaram isso na Sessão da Tarde?

Amor sem Fim

"Dois jovens descobrindo o amor", avisava sobre Amor sem Fim, protagonizado por Brooke Shields. Esse era o longa que destoava da temática da semana Cocktail, já que se tratava de uma obra que tinha uma carga mais dramática, envolvendo brigas familiares, morte e uma atmosfera mais densa.

Brooke Shields vivia seu auge, emplacando várias produções e com A Lagoa Azul ainda bombando nas tardes dos canais abertos no Brasil.

Férias do Barulho

Esse clássico de 1985 com Johnny Depp trazia dois amigos que só queriam saber de pegar geral. Para fisgar a primeira, elegeram a esposa de um ladrão de joias que perseguia garotos, bem como o segurança do hotel e um escocês pra lá de esquisito.

Private Resort no original, o longa foi o terceiro de uma série de três de comédias sexuais adolescentes do produtor R. Ben Efraim.

Por fim, relembre a chamada do Cinema em Casa nos anos 90:

Mais Notícias