Reportar erro
Relembre

Queridinha da Jovem Guarda, Vanusa foi "Cinderela moderna" em novela de 1977

Cantora fez par romântico com Ronnie Von em trama da Tupi

Vanusa estrelou a novela Cinderela 77, da TV Tupi, exibida em 1977
Em 1977, a TV Tupi apostou em Vanusa para protagonizar versão moderna e musical de Cinderela - Foto: Reprodução
Walter Felix

Publicado em 08/11/2020 às 14:15:00

Morta aos 73 anos, por insuficiência respiratória, Vanusa foi um dos ícones da Jovem Guarda, movimento cultural que marcou a década de 1960. A fama da cantora seguiu nas décadas seguintes. Em 1977, ela ainda colhia os louros do sucesso quando foi convidada para estrelar Cinderela 77, releitura moderna do clássico conto de Charles Perrault.

Na trama, a Cinderela de Vanusa se apaixona pelo príncipe Cid Balu, interpretado por Ronnie Von, outro nome de sucesso da Jovem Guarda. A história, exibida pela extinta TV Tupi às 18h, transgredia o folhetim e o conto de fadas com uma linguagem moderna, musical e irônica, incomum nas novelas da época.

A estrutura da história clássica estava lá: maltratada pela cruel madrasta Cassandra (Kate Hansen) e por suas duas irmãs, a protagonista sonha em ir ao baile promovido pela realeza a fim de encontrar um amor para o príncipe. A trama, ambientada na fictícia cidadezinha de Campo Dourado, também era permeada pela rivalidade entre duas gangues: os Gatos, formados por jovens burgueses, e os Ratos, compostos pela plebe.

Renomado diretor aconselhou Vanusa a nunca deixar de ser atriz

Queridinha da Jovem Guarda, Vanusa foi \"Cinderela moderna\" em novela de 1977

Em entrevista à época, antes da estreia de Cinderela 77, Vanusa mostrou entusiasmo com o trabalho como atriz de TV. O projeto lhe deu a chance de unir uma nova experiência a seu talento já conhecido pelo grande público. "Além de ser a Cinderela, o tema-título foi gravado por mim. Tanto eu como Ronnie Von cantamos músicas lindas, todas inéditas, inclusive vamos cantar em dueto", disse.

À época, ela precisou adequar as gravações com sua superlotada agenda de shows. "O sacrifício compensa porque eu já estava a fim de recomeçar o trabalho de atriz. Tanto que pretendo trabalhar em teatro assim que a novela terminar", revelou Vanusa para a imprensa, há 43 anos.

Os planos da cantora viriam a se cumprir décadas depois, em 1999, com o musical autobiográfico Ninguém é Loira por Acaso, escrito e produzido pela jornalista Léa Penteado. Antes, ela já havia atuado na versão brasileira do lendário espetáculo Hair, de 1973 - quando ouviu do diretor Altair Lima (1936-2002) que nunca mais deveria deixar o teatro.

Assinada por Walther Negrão e Chico de Assis, com direção de Antônio Moura Mattos, Cinderela 77 foi a última aposta da emissora no horário das 18h. Pioneira no Brasil, a Tupi encerraria suas atividades em 1980. Ouça uma das canções gravadas por Vanusa para a novela:



Mais Notícias