Reportar erro
Não pegou

De A Fazenda a desgaste: 5 motivos para a baixa audiência do The Voice Brasil

Reality musical está com pouca repercussão e baixo Ibope

Tiago Leifert chocado no palco do The Voice Brasil
Tiago Leifert é o apresentador do The Voice Brasil - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 25/10/2020 às 08:13:00

O The Voice Brasil estreou sua nova temporada no dia 15 de outubro com a expectativa de frear o sucesso de A Fazenda 2020. Mas o reality musical não conseguiu tal êxito nos seus três primeiros episódios e ainda viu o programa concorrente bater recorde de audiência na última quinta-feira (22). Apesar de ainda garantir a primeira colocação para a Globo, a competição musical já ficou vários minutos na segunda posição, algo que nunca aconteceu em outras edições.

Essa queda no Ibope tem diversos fatores, como o bom desempenho de A Fazenda 2020 e o desgaste da atração. O NaTelinha listou cinco motivos que explicam o porque a produção comandado por Tiago Leifert caiu na audiência.

Confira:

Sucesso de A Fazenda 2020

A Fazenda 2020 escolheu um elenco de peso de cantores, atores e influenciadores e conquistou o público logo de cara. O programa foi crescendo pouco a pouco e bateu seu recorde na última quinta-feira com a eliminação de Luiza Ambiel.

O telespectador tem gostado das figuras carismáticas que estão na atração, como Jojo Todynho, e dificilmente vão abandonar a temporada. Nos dias em que enfrenta o The Voice Brasil, o reality rural exibe episódios que tem a prova de fazendeiro na terça e quinta a eliminação.

Desgaste do formato

O The Voice surgiu em 2010 na Holanda e chegou aos Estados Unidos no ano seguinte, transformando-se num grande sucesso de audiência, inclusive sendo o segundo programa mais assistido do país norte-americano. Para que nenhuma concorrente tivesse o formato, a Globo comprou os direitos da atração e a lançou na sua programação de 2012 aos domingos.

O sucesso fez com que a emissora levasse a competição para a faixa noturna em 2013 e seguiu como um dos principais programas do canal e também da TV brasileira, tendo índices inferiores apenas ao BBB. Contudo, com oito temporadas e uma versão infantil, o público parece que cansou da produção.

O The Voice Brasil se tornou uma espécie de MasterChef da Globo e em 2021 a emissora ainda apostará em um formato dedicado aos cantores da terceira idade. A tendência é que tenha o reality show musical na programação da emissora durante todo o ano. Difícil ninguém cansar.

Jurados boa praça

A figura dos jurados em programas musicais ganhou muita importância no Programa Raul Gil, mas atingiu seu auge com a versão do Ídolos no SBT, já que eles passavam a imagem de pessoas duras e sem papas na língua. O The Voice Brasil foi na contramão desse estilo e apostou em técnicos bonzinhos e motivadores.

No início, funcionou e o público concordava que os técnicos precisavam ser educados com os competidores. Contudo, com o passar do tempo, os jurados boa praça transmitem a sensação de não terem opinião. Há diversas reclamações nas redes sociais quando os artistas não viram as cadeiras para um candidato e elogiam a apresentação. Muitos sentem que existe um comportamento fake e pouco natural.

Horário

Em outros anos, o The Voice Brasil começava por volta das 22h20, mas a atração tem começado muito tarde neste ano. Com o horário eleitoral, a Globo optou por colocar a novela das 21h40 até as 23h, às vezes chegando na faixa das 23h15. Isso significa que o reality show tem iniciado quase uma hora depois do que era em anos anteriores.

Apesar do país ainda está em período de pandemia, crianças e adolescentes que assistem ao programa acabam indo dormir. Até mesmo os adultos não conseguem ficar até o fim da atração, tanto que a audiência da produção tem caído no último bloco, quando passa da 0h.

Pouca divulgação na grade

O The Voice Brasil tem sido divulgado nos intervalos comerciais e até ganhou espaço no Conversa com Bial, já que Lulu Santos foi entrevistado no talk show. Contudo, diferente de anos anteriores, a produção pouco tem aparecido em outros programas da emissora, como o Mais Você, Encontro e Caldeirão.

Um dos motivos para essa pouca exposição é a pandemia, o que limita a presença de convidados nos palcos dos programas. O Mais Você, por exemplo, tem apenas 45 minutos na grade, sendo que no ano passado a atração tinha o dobro.

Mais Notícias