Reportar erro
Sete décadas

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Televisão sopra velinhas nesta sexta-feira (18) e completa sete décadas de existência

Chico Anysio, Regina Duarte e Gugu e Silvio Santos
Chico Anysio, Regina Duarte e Gugu Liberato: contratações causaram na TV - Reprodução/Montagem NaTelinha
Thiago Forato

Publicado em 18/09/2020 às 05:16:00

A televisão brasileira completa 70 anos de existência nesta sexta-feira (18), e ao longo dessas sete décadas, o que não faltaram foram contratações bombásticas e que surpreenderam o público.

Desde que a TV Tupi chegou ao Brasil em 1950, muita coisa mudou, é claro. A profissionalização do segmento aumentou, a responsabilidade também. Afinal, esse veículo de comunicação de massa cobre quase 100% dos lares brasileiros.

O NaTelinha relembra as contratações mais bombásticas desses últimos 70 anos. Confira:

Limpa na TV Rio pela Excelsior

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

No início da década de 1960, a TV Excelsior gozava de um dinheiro oriundo do Grupo Simonsen e não hesitava em investimentos na programação, o que fez com que ela, posteriormente, se afundasse em dívidas.

Mas antes disso acontecer, ela conseguiu contratar praticamente todo o casting da TV Rio do dia para a noite, como Chico Anysio (1931-2012) e o diretor Carlos Manga (1928-2015).

De acordo com a imprensa da época, a TV Excelsior chegou a pagar até seis vezes mais aos funcionários em relação a TV Rio.

Regina Duarte

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Depois de ter feito nove novelas entre 1965 e 1969 na TV Excelsior, Regina Duarte chegava com muita pompa na Globo no final dos anos 60. À convite de Boni, ela aceitou protagonizar Véu de Noiva (1969) e caiu nas graças do público.

Dois anos mais tarde, protagonizou Minha Doce Namorada, que fez com que ela ganhasse o título de namoradinha do Brasil.

Os Trapalhões

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

A Globo também faria, anos mais tarde, outra contratação que mudaria substancialmente sua programação: Os Trapalhões, que obtinha enorme sucesso na TV Tupi entre 1974 e 1977. O canal carioca quis minar a concorrente, que incomodava o Fantástico aos domingos, e colocou a trupe justamente antecedendo o Show da Vida, turbinando a audiência do jornalístico.

O quarteto formado por Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias ficou no ar até até 1995, sem os dois últimos.

O humorístico foi um grande sucesso nos domingos da Globo.

Rainha dos Baixinhos: Xuxa na Globo

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

A apresentadora Xuxa Meneghel ganhou notoriedade na extinta TV Manchete, e sua contratação pela Globo fez com que ela mudasse de patamar em 1986.  O desempenho de Xuxa chamou a atenção da emissora, que lhe ofereceu um salário cerca de três vezes maior para mudar de casa. Ela aceitou.

Com a alta dos infantis do SBT, que surfava na onda do palhaço Bozo, Xuxa conseguiu marcar toda uma geração de crianças nas décadas de 80 e 90, expandindo seu sucesso também para outros países.

A partir da data, apresentou inúmeros programas na Globo, ganhando não só o Brasil, mas também a América Latina, seja com programas de TV ou em discos vendidos.

Xuxa na Record

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Quase 30 anos depois, Xuxa daria adeus (ou até logo) à emissora que lhe colocou no cenário internacional. Sem oportunidades na Globo, aceitou o convite da Record em 2015.

Nos últimos cinco anos, Xuxa apresentou um programa com seu nome nas noites de segunda-feira e apresentou realities como o Dancing Brasil e The Four Brasil. O Programa Xuxa Meneghel estreou com toda a pompa nos estúdios do RecNov no Rio de Janeiro e ao vivo, exatamente como Xuxa queria, do seu jeito.

Devido a baixa audiência, no entanto, saiu do ar poucos meses depois. Posteriormente, a Record lhe ofereceu somente formatos, seguindo a mesma linha para outras estrelas da casa. Embora a rede do bispo Edir Macedo tenha investido alto na sua contratação, Xuxa está sem projetos e pode deixar a emissora no final do ano.

Gugu na Globo

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Essa história muitos conhecem: fazendo enorme sucesso no SBT com o Viva Noite, Gugu Liberato (1959-2019) foi convidado pela Globo para comandar um programa aos domingos. E aceitou.

O fato ocorreu em 1988 e contou com uma inesquecível reviravolta. Depois de Silvio Santos ter descoberto um problema em suas cordas vocais naquele ano, convenceu não só Gugu a ficar, mas também a Globo a desistir. Ele foi até o Rio de Janeiro falar com Roberto Marinho para manter seu pupilo no canal.

A Globo se interessou no passe do então jovem Gugu porque viu nele a possibilidade de vencer Silvio Santos aos domingos. Esse era o único dia que a Globo não conseguia reinar em absoluto. 

Gugu na Record

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Em 2009, no entanto, Gugu acabou se mudando de emissora, mas não para a Globo. Ele aceitou uma oferta da Record. E não foi por pouco. Estima-se que Gugu recebia R$ 3 milhões mensais em um contrato de oito anos.

No entanto, a falta de investimentos em seu programa e até suas derrotas para o SBT fizeram com que o loiro tivesse seu contrato rescindido em 2013. Ele voltaria ainda em 2015 e ficou até o ano passado apresentando realities como o Power Couple Brasil e o Canta Comigo, quando faleceu.

Ratinho

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Depois de ser revelado pela CNT no início dos anos 1990, Carlos Massa, o Ratinho, se mudou para a Record onde começou a fazer grande sucesso no horário nobre. O "roedor" não raramente batia a Globo no Ibope pelo canal de Edir Macedo, principalmente às quintas-feiras.

Sua alta popularidade chamou a atenção de Silvio Santos, que lhe ofereceu um programa nos mesmos moldes da Record e diário. Prontamente, Carlos Massa aceitou e está no ar até nos dias de hoje.

Há 22 anos, ele fazia sua estreia na emissora e Silvio Santos negociou pessoalmente sua multa contratual. De R$ 44 milhões, pagou R$ 14 milhões à vista.

Jô Soares

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Há 33 anos, Jô Soares era o artista mais bem pago da TV brasileira depois de assinar com o SBT. Ele estava na Globo desde os anos 70, mas vinha insatisfeito por não conseguir emplacar um programa de entrevistas.

Além de ganhar um talk-show, gênero que acabou sendo difundido no país desde então, Jô também ganhou um humorístico, o Veja o Gordo.

No SBT, Jô Soares ficou até o final de 1999 e retornou para a Globo em 2000, assumindo o Programa do Jô, que perdurou até 2016.

Faustão

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

O grande nome para tirar a hegemonia do SBT aos domingos foi Fausto Silva. Ele, que apresentava o Perdidos na Noite e Safenados e Safadinhos na Band, era a aposta da Globo para reerguer sua audiência contra Silvio Santos.

Em 1989, a Globo estreava o Domingão do Faustão. E conseguiu o que queria: o primeiro lugar.

Apesar de alguns percalços no meio do caminho, como as grandes batalhas por audiência contra Gugu Liberato, o Domingão do Faustão é líder de audiência até hoje. E sem sustos.

Faustão se firmou como um dos grandes nomes do canal e tem o programa de auditório mais assistido da televisão brasileira.

Mais Notícias