Sete décadas

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão

Televisão sopra velinhas nesta sexta-feira (18) e completa sete décadas de existência

As contratações mais bombásticas em 70 anos de televisão
Chico Anysio, Regina Duarte e Gugu Liberato: contratações causaram na TV - Reprodução/Montagem NaTelinha

Publicado em 18/09/2020 às 05:16:00

Por: Thiago Forato

A televisão brasileira completa 70 anos de existência nesta sexta-feira (18), e ao longo dessas sete décadas, o que não faltaram foram contratações bombásticas e que surpreenderam o público.

Desde que a TV Tupi chegou ao Brasil em 1950, muita coisa mudou, é claro. A profissionalização do segmento aumentou, a responsabilidade também. Afinal, esse veículo de comunicação de massa cobre quase 100% dos lares brasileiros.

O NaTelinha relembra as contratações mais bombásticas desses últimos 70 anos. Confira:

Limpa na TV Rio pela Excelsior

No início da década de 1960, a TV Excelsior gozava de um dinheiro oriundo do Grupo Simonsen e não hesitava em investimentos na programação, o que fez com que ela, posteriormente, se afundasse em dívidas.

Mas antes disso acontecer, ela conseguiu contratar praticamente todo o casting da TV Rio do dia para a noite, como Chico Anysio (1931-2012) e o diretor Carlos Manga (1928-2015).

De acordo com a imprensa da época, a TV Excelsior chegou a pagar até seis vezes mais aos funcionários em relação a TV Rio.

Regina Duarte

Depois de ter feito nove novelas entre 1965 e 1969 na TV Excelsior, Regina Duarte chegava com muita pompa na Globo no final dos anos 60. À convite de Boni, ela aceitou protagonizar Véu de Noiva (1969) e caiu nas graças do público.

Dois anos mais tarde, protagonizou Minha Doce Namorada, que fez com que ela ganhasse o título de namoradinha do Brasil.

Os Trapalhões

A Globo também faria, anos mais tarde, outra contratação que mudaria substancialmente sua programação: Os Trapalhões, que obtinha enorme sucesso na TV Tupi entre 1974 e 1977. O canal carioca quis minar a concorrente, que incomodava o Fantástico aos domingos, e colocou a trupe justamente antecedendo o Show da Vida, turbinando a audiência do jornalístico.

O quarteto formado por Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias ficou no ar até até 1995, sem os dois últimos.

O humorístico foi um grande sucesso nos domingos da Globo.

Rainha dos Baixinhos: Xuxa na Globo

A apresentadora Xuxa Meneghel ganhou notoriedade na extinta TV Manchete, e sua contratação pela Globo fez com que ela mudasse de patamar em 1986.  O desempenho de Xuxa chamou a atenção da emissora, que lhe ofereceu um salário cerca de três vezes maior para mudar de casa. Ela aceitou.

Com a alta dos infantis do SBT, que surfava na onda do palhaço Bozo, Xuxa conseguiu marcar toda uma geração de crianças nas décadas de 80 e 90, expandindo seu sucesso também para outros países.

A partir da data, apresentou inúmeros programas na Globo, ganhando não só o Brasil, mas também a América Latina, seja com programas de TV ou em discos vendidos.

Xuxa na Record

Quase 30 anos depois, Xuxa daria adeus (ou até logo) à emissora que lhe colocou no cenário internacional. Sem oportunidades na Globo, aceitou o convite da Record em 2015.

Nos últimos cinco anos, Xuxa apresentou um programa com seu nome nas noites de segunda-feira e apresentou realities como o Dancing Brasil e The Four Brasil. O Programa Xuxa Meneghel estreou com toda a pompa nos estúdios do RecNov no Rio de Janeiro e ao vivo, exatamente como Xuxa queria, do seu jeito.

Devido a baixa audiência, no entanto, saiu do ar poucos meses depois. Posteriormente, a Record lhe ofereceu somente formatos, seguindo a mesma linha para outras estrelas da casa. Embora a rede do bispo Edir Macedo tenha investido alto na sua contratação, Xuxa está sem projetos e pode deixar a emissora no final do ano.

Gugu na Globo

Essa história muitos conhecem: fazendo enorme sucesso no SBT com o Viva Noite, Gugu Liberato (1959-2019) foi convidado pela Globo para comandar um programa aos domingos. E aceitou.

O fato ocorreu em 1988 e contou com uma inesquecível reviravolta. Depois de Silvio Santos ter descoberto um problema em suas cordas vocais naquele ano, convenceu não só Gugu a ficar, mas também a Globo a desistir. Ele foi até o Rio de Janeiro falar com Roberto Marinho para manter seu pupilo no canal.

A Globo se interessou no passe do então jovem Gugu porque viu nele a possibilidade de vencer Silvio Santos aos domingos. Esse era o único dia que a Globo não conseguia reinar em absoluto. 

Gugu na Record

Em 2009, no entanto, Gugu acabou se mudando de emissora, mas não para a Globo. Ele aceitou uma oferta da Record. E não foi por pouco. Estima-se que Gugu recebia R$ 3 milhões mensais em um contrato de oito anos.

No entanto, a falta de investimentos em seu programa e até suas derrotas para o SBT fizeram com que o loiro tivesse seu contrato rescindido em 2013. Ele voltaria ainda em 2015 e ficou até o ano passado apresentando realities como o Power Couple Brasil e o Canta Comigo, quando faleceu.

Ratinho

Depois de ser revelado pela CNT no início dos anos 1990, Carlos Massa, o Ratinho, se mudou para a Record onde começou a fazer grande sucesso no horário nobre. O "roedor" não raramente batia a Globo no Ibope pelo canal de Edir Macedo, principalmente às quintas-feiras.

Sua alta popularidade chamou a atenção de Silvio Santos, que lhe ofereceu um programa nos mesmos moldes da Record e diário. Prontamente, Carlos Massa aceitou e está no ar até nos dias de hoje.

Há 22 anos, ele fazia sua estreia na emissora e Silvio Santos negociou pessoalmente sua multa contratual. De R$ 44 milhões, pagou R$ 14 milhões à vista.

Jô Soares

Há 33 anos, Jô Soares era o artista mais bem pago da TV brasileira depois de assinar com o SBT. Ele estava na Globo desde os anos 70, mas vinha insatisfeito por não conseguir emplacar um programa de entrevistas.

Além de ganhar um talk-show, gênero que acabou sendo difundido no país desde então, Jô também ganhou um humorístico, o Veja o Gordo.

No SBT, Jô Soares ficou até o final de 1999 e retornou para a Globo em 2000, assumindo o Programa do Jô, que perdurou até 2016.

Faustão

O grande nome para tirar a hegemonia do SBT aos domingos foi Fausto Silva. Ele, que apresentava o Perdidos na Noite e Safenados e Safadinhos na Band, era a aposta da Globo para reerguer sua audiência contra Silvio Santos.

Em 1989, a Globo estreava o Domingão do Faustão. E conseguiu o que queria: o primeiro lugar.

Apesar de alguns percalços no meio do caminho, como as grandes batalhas por audiência contra Gugu Liberato, o Domingão do Faustão é líder de audiência até hoje. E sem sustos.

Faustão se firmou como um dos grandes nomes do canal e tem o programa de auditório mais assistido da televisão brasileira.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!