Fim de uma era

Chaves pode voltar? Entenda briga no México que tirou série do Brasil

Chaves deixou SBT e Multishow no mesmo dia, mas crise é global

Chaves pode voltar? Entenda briga no México que tirou série do Brasil
Chaves deixa TV brasileira após 36 anos (Foto: Reprodução/SBT)

Publicado em 01/08/2020 às 04:00:00

Por: Paulo Pacheco com Fabrício Falcheti

A saída de Chaves do SBT, noticiada com exclusividade pelo NaTelinha na última sexta-feira (31), comoveu o público brasileiro. Afinal, o programa mexicano mais popular no nosso país deixaria a TV após 36 anos quase ininterruptos no ar. Por trás da despedida, há uma briga entre a produtora da série e os herdeiros do criador, Roberto Gómez Bolaños (1929-2014).

O primeiro sinal de que Chaves corria risco no Brasil foi noticiado em 6 de julho, quando o Multishow revelou ter encontrado dificuldades para renovar o acordo com a rede mexicana Televisa, detentora dos direitos dos episódios exibidos no Brasil e gravados entre 1972 e 1979. Na época, o SBT tranquilizou os fãs afirmando que seu vínculo com a série terminaria em dezembro.

Entretanto, o NaTelinha apurou que a rede de Silvio Santos sabia que Chaves estava por um fio. Na última semana de abril, a emissora recebeu da Televisa a informação de que o contrato, previsto para encerrar em dezembro, teria seu final antecipado para 31 de julho, situação semelhante à do Multishow.

No dia 7 deste mês, a rede mexicana comunicou ao SBT que o acordo permaneceria até dezembro, porém a situação se reverteu novamente na última quarta, sem volta. Chaves deveria sair do ar na sexta. Foi o que aconteceu, tanto na TV aberta quanto no Multishow, e também no streaming (Amazon Prime Video retirou a série do catálogo).

Grupo Chespirito quer um aumento no repasse das séries

Este imbróglio contratual foi escancarado ao público por Multishow e SBT, que se isentaram de qualquer culpa pela interrupção de Chaves. Segundo as duas emissoras, a Televisa encontra dificuldades para manter acordo com o Grupo Chespirito, criado pelos herdeiros de Roberto Gómez Bolaños, criador e protagonista do humorístico.

Roberto Gómez Fernández, filho de Roberto Gómez Bolaños e administrador do Grupo Chespirito (Foto: Montagem/Reprodução/SBT/Divulgação/Televisa)

O Grupo Chespirito detém os direitos dos roteiros escritos pelo comediante. A Televisa, que anteriormente exportava Chaves e Chapolin livremente (e assim o fez para mais de 90 países), agora precisa negociar com a empresa gerida por Roberto Gómez Fernández, filho de Bolaños.

Segundo apuração do NaTelinha, o Grupo Chespirito quer um aumento significativo no repasse das séries para a Televisa. Como a rede mexicana recusou a pedida, os herdeiros de Bolaños impuseram o fim de todos os contratos com emissoras e plataformas de streaming pelo mundo.

Além de SBT e Multishow, Chaves deixou a programação de TVs na Argentina, Peru e até no México (aproximadamente 20 países ainda exibem a série). Os contratos estão sendo reavaliados, e a briga entre Grupo Chespirito e Televisa deve ir parar nos tribunais.

Valores não foram revelados, mas a série continua sendo um dos produtos mais rentáveis da Televisa. Estima-se que a empresa de comunicação faturou mais de 1,2 bilhão de dólares desde o fim das gravações de Chaves, em 1992 (o programa Chespirito durou até 1995).

O Grupo Chespirito começou a se distanciar da Televisa a partir da morte de Bolaños, em novembro de 2014, e rompeu com a empresa de licenciamento de produtos da rede (Televisa Consumer Products) em 2017.

Para Chaves voltar ao ar, a Televisa deve aceitar pagar mais ao Grupo Chespirito, ou os herdeiros do comediante se conformarem com o valor oferecido pela empresa mexicana. Sem o acerto entre as duas partes (a dona das fitas e a dona dos roteiros), a série permanecerá longe da TV, e não apenas no Brasil.

SBT lamenta saída de Chaves

Em comunicado enviado à imprensa, o SBT lamentou a saída do seriado da sua programação após 36 anos: "A partir deste sábado, 01 de agosto, o SBT deixará de exibir o seriado Chaves. A informação chegou à emissora nesta última quarta-feira (29/07), por notificação da Televisa, emissora mexicana detentora dos direitos da obra produzida, na qual informa que a suspensão é devida a um problema pendente a ser resolvido com o titular dos direitos das histórias. A exibição dos seriados Chaves, Chapolin e Chespirito estaria garantida até 31/07/2020, com possibilidade de renovação entre as partes, o que verbalmente havida sido confirmado. No entanto, a negativa em relação ao acordo com o grupo detentor de direitos intelectuais sobre as histórias, chegou a apenas poucos dias do fim do contrato. O SBT lamenta a decisão, principalmente em respeito ao seu público, que acompanha fielmente os seriados há tantos anos na emissora. A emissora continua na torcida para um acordo entre as duas empresas mexicanas o mais rápido possível e, se isto acontecer, teremos o prazer de informar aos fãs de Chaves, Chapolin e Chespirito, imediatamente"

  






Siga o NaTelinha nas redes sociais


Reportar erro

LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!