Série do Globoplay

Diretor é atacado por fãs de Sandy & Junior após revelar ter expulsado dupla

Xororó revelou mágoa de profissional em documentário sobre os filhos; confira reação

Diretor é atacado por fãs de Sandy & Junior após revelar ter expulsado dupla
Sandy e Junior em 1996, mesma época em que foram expulsos do SBT (Foto: Reprodução/SBT)

Publicado em 16/07/2020 às 20:04:35

Por: Paulo Pacheco

O diretor de A Praça É Nossa, Marcelo de Nóbrega, foi atacado por fãs de Sandy & Junior nesta quinta-feira (16), após ter admitido com exclusividade ao NaTelinha que foi o profissional citado por Xororó como o responsável por ter expulsado seus filhos do SBT. A revelação está na série documental sobre a dupla, disponível no Globoplay.

No Instagram de Marcelo de Nóbrega, parado desde maio, fãs de Sandy & Junior comentaram a última publicação com críticas, xingamentos e ameaças, e ainda desrespeitaram os filhos trigêmeos do diretor, que aparecem na postagem mais recente dele na rede social.

Marcelo foi chamado de "canalha", "covarde" e "imbecil". Os fãs ainda exigiram um pedido público de desculpas, já feito por ele em entrevista ao NaTelinha.

Em meio às mensagens de ódio, surgiram outras criticando os ataques. "Gente, desnecessário todo esse 'hate' que estão jogando aqui. Somos fãs de Sandy e Junior, e entendo a revolta, mas esse é um assunto que tem que ser resolvido entre eles e a família. A gente não pode agir dessa forma, nenhum desses comentários representa o que a dupla pensa. Se a gente aprendeu algo com Sandy e Junior, é que a gente tem que respeitar o espaço das pessoas. O que ele fez foi errado? Foi. Mas não é com a gente que ele tem que se entender", escreveu uma fã no Instagram de Marcelo.

Equipe de Sandy & Junior se estranhou com diretor

O NaTelinha procurou Marcelo e o questionou se era ele o "cara" que deixou Xororó furioso. Marcelo de Nóbrega confirmou a história e revelou que deseja pedir desculpas ao cantor e à dupla.

"Na ocasião, aconteceu isso sim. A história verdadeira foi que eles foram convidados por mim [para gravar A Praça É Nossa], inclusive, porque gosto muito deles, são muito queridos. Quando olho para fora, vejo chegando um 'exército' no SBT. Começou a entrar segurança atrás de segurança. Parecia que tinha chegado o presidente da República", recorda Marcelo, em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

Segundo a versão contada pelo filho de Carlos Alberto, a confusão começou quando os seguranças da Universal Music, gravadora de Sandy & Junior, bloquearam o acesso do elenco da Praça aos camarins. Uma atriz que iria contracenar com a dupla não pôde ensaiar o texto, prática comum antes das gravações.

"Perguntei ao responsável da gravadora se podia tirar os seguranças, porque eles começaram a barrar os artistas da Praça. Falei: 'Não é para barrar os nossos artistas que vocês estão aqui'. Ele: 'Não quero saber, se os seguranças não ficarem eles não gravam'. Ele me afrontou no meu programa, na emissora onde eu trabalho. Esse cara da gravadora foi o grande culpado. Falou: 'Se você quiser, levo eles embora', como se não precisassem da Praça. O meu sangue ferveu, fui proteger os meus artistas. Não precisava daquele exagero. Ele me enfrentou e eu o enfrentei", relembra.

O episódio ocorreu entre 1996 e 1998, antes de Sandy e Junior assinarem contrato de exclusividade com a Globo. No período, ainda apresentaram um programa de auditório na extinta Manchete: "As meninas passavam e os caras [seguranças] ficavam mexendo. Estávamos em uma situação muito constrangedora. Eu deixei os seguranças entrarem, só não queria que eles barrassem os nossos artistas".


Marcelo de Nóbrega como Chorãozinho, sátira a Xororó, em A Praça É Nossa, e como diretor (Foto: Montagem/Reprodução/SBT)

"Sandy e Junior saíram chorando"

Mais de duas décadas depois, Marcelo de Nóbrega se diz arrependido do que fez e gostaria de contar a sua versão da história para Xororó, que não estava no SBT quando os filhos dele foram expulsos. O diretor da Praça ressalta ser fã do pai de Sandy & Junior, tanto que o homenageou com o quadro Xitãoró & Chorãozinho, paródia da dupla quase homônima, em que contracenava com Arnaud Rodrigues (1942-2010).

"Eu, como pai, teria a mesma reação que ele teve. Hoje, eu me arrependi do que fiz. Eu podia ter dado uma volta no quarteirão e contado até dez antes de gravar. Se eu pudesse voltar atrás, eu não faria, por serem dois artistas tão queridos quanto Sandy & Junior, porque eles saíram chorando de lá por uma grosseria de um profissional da gravadora que se achou mais importante do que o diretor e o apresentador do programa", afirma Marcelo, que teme reencontrar o sertanejo.

"Eu penso em procurá-lo, mas tenho medo da reação dele. Eu me arrependi. Devia ter dado um soco na parede e quebrado os dedos e não fazer isso. Se eu tivesse a oportunidade, eu gostaria de me desculpar com Xororó desde a época em que aconteceu isso. Fiz, me afrontaram. O responsável da gravadora não pensou em Sandy & Junior nem no Xororó, podia ter tirado um segurança. Queria que fosse até com meu ídolo Roberto Carlos, não com eles", lamenta.

 


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!