Série do Globoplay

Diretor de TV pede perdão a Xororó por ter expulsado Sandy & Junior; saiba quem é

Sertanejo revelou mágoa do passado em documentário sobre os filhos; confira detalhes

Diretor de TV pede perdão a Xororó por ter expulsado Sandy & Junior; saiba quem é
Xororó se emociona ao lembrar expulsão de filhos em emissora de TV (Foto: Reprodução/Globoplay)

Publicado em 16/07/2020 às 04:00:00 ,
atualizado em 16/07/2020 às 20:48:25

Por: Paulo Pacheco

Quem expulsou Sandy & Junior de um programa de TV nos anos 90? O enigma veio à tona quando Xororó revelou o episódio na série documental sobre seus filhos, lançada na última sexta-feira (10) pelo Globoplay, plataforma de streaming da Globo. Emocionado, o sertanejo chorou ao relembrar a cena constrangedora e admitiu ainda sentir mágoa do profissional de uma emissora.

"Fala de mim, eu desculpo, mas falar do meu filho não. Eu não perdoo não. Tem umas mágoas do passado que não vão passar", disse Xororó no quarto episódio de Sandy e Junior: A História, dedicado a boatos e polêmicas da dupla.

"O cara chegou: 'Espera aí, por causa de Sandy & Junior tem segurança aqui? Aqui não tem bandido não, pode sair todo mundo'", contou o sertanejo.

A equipe da dupla tentou defender os profissionais dizendo que eles não estavam atrapalhando, mas o funcionário da emissora, segundo Xororó, se mostrou irredutível: "Não quero saber de segurança aqui. Podem ir embora! Outra coisa, faz o seguinte: fale para os artistas que podem ir embora também!".

O cantor prossegue o relato: "Quando a Noely [mulher de Xororó] me ligou contando isso, aquilo me subiu o sangue de tal maneira, fiquei tão nervoso que, no dia em que fui à emissora para fazer outro programa, a pessoa estava lá e eu chamei o segurança: 'Fica perto de mim, segura a onda, porque esse cara vai levar uma porrada agora'".

O irmão tentou acalmar Xororó, mas o próprio cantor percebeu que não poderia defender os filhos daquela maneira e procurou se tranquilizar: "Chitão falou: 'O que você está falando?'. Eu falei: 'Me deixa, o negócio aqui vai azedar!'. Depois eu pensei: 'Não, o que eu estou fazendo? Eu sou artista também, eu não posso fazer…'. Eu fiquei tão revoltado, porque o que ele fez, expulsar meus filhos de lá, não pelo sucesso que eles eram, mas poxa, são crianças, né? Deixar fazer isso com crianças".

Neste momento, Xororó enche os olhos de lágrimas e interrompe a fala para não chorar: "São essas mágoas que realmente ficam. Desculpa, mas mexer com filho da gente não pode não. Você se agiganta, você vira bicho".

Apostas na internet

Desde o lançamento da série documental, a internet tenta desvendar o mistério. Como Xororó não deu nenhuma pista sobre quem poderia ser o profissional de TV que maltratou seus filhos, o público apostou em apresentadores e foi eliminando quem mantém bom relacionamento com Sandy & Junior desde os anos 90. Fãs descartaram Serginho Groisman, Fausto Silva, Jô Soares e Gugu Liberato (1959-2019).

Uma das opções lembradas, Silvio Santos, é quase uma piada. Afinal, se Xororó tivesse avançado contra o dono do SBT nunca mais pisaria na emissora nem com o irmão, Chitãozinho, muito menos como pai de Sandy e Junior. O cantor mantém ótima relação com o canal e chegou a apresentar o Festival Sertanejo, competição musical exibida em 2014. 


Sandy & Junior no Domingo Legal em outubro de 1996; na mesma época, foram expulsos de outro programa de TV (Foto: Reprodução/SBT)

Equipe de Sandy & Junior se estranhou com diretor

O NaTelinha investigou a história e chegou a um nome, que trabalha no SBT, mas, repetindo, não é Silvio Santos nem apresentador. O profissional em questão é Marcelo de Nóbrega, diretor de A Praça É Nossa e filho de Carlos Alberto de Nóbrega.

A reportagem procurou Marcelo e o questionou se era ele o "cara" que deixou Xororó furioso. Marcelo de Nóbrega confirmou a história e revelou que deseja pedir desculpas ao cantor e à dupla.

"Na ocasião, aconteceu isso sim. A história verdadeira foi que eles foram convidados por mim [para gravar A Praça É Nossa], inclusive, porque gosto muito deles, são muito queridos. Quando olho para fora, vejo chegando um 'exército' no SBT. Começou a entrar segurança atrás de segurança. Parecia que tinha chegado o presidente da República", recorda Marcelo, em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

Segundo a versão contada pelo filho de Carlos Alberto, a confusão começou quando os seguranças da Universal Music, gravadora de Sandy & Junior, bloquearam o acesso do elenco da Praça aos camarins. Uma atriz que iria contracenar com a dupla não pôde ensaiar o texto, prática comum antes das gravações.

"Perguntei ao responsável da gravadora se podia tirar os seguranças, porque eles começaram a barrar os artistas da Praça. Falei: 'Não é para barrar os nossos artistas que vocês estão aqui'. Ele: 'Não quero saber, se os seguranças não ficarem eles não gravam'. Ele me afrontou no meu programa, na emissora onde eu trabalho. Esse cara da gravadora foi o grande culpado. Falou: 'Se você quiser, levo eles embora', como se não precisassem da Praça. O meu sangue ferveu, fui proteger os meus artistas. Não precisava daquele exagero. Ele me enfrentou e eu o enfrentei", relembra.

O episódio ocorreu entre 1996 e 1998, antes de Sandy e Junior assinarem contrato de exclusividade com a Globo. No período, ainda apresentaram um programa de auditório na extinta Manchete: "As meninas passavam e os caras [seguranças] ficavam mexendo. Estávamos em uma situação muito constrangedora. Eu deixei os seguranças entrarem, só não queria que eles barrassem os nossos artistas".


Marcelo de Nóbrega como Chorãozinho, sátira a Xororó, em A Praça É Nossa, e como diretor (Foto: Montagem/Reprodução/SBT)

"Sandy e Junior saíram chorando"

Mais de duas décadas depois, Marcelo de Nóbrega se diz arrependido do que fez e gostaria de contar a sua versão da história para Xororó, que não estava no SBT quando os filhos dele foram expulsos. O diretor da Praça ressalta ser fã do pai de Sandy & Junior, tanto que o homenageou com o quadro Xitãoró & Chorãozinho, paródia da dupla quase homônima, em que contracenava com Arnaud Rodrigues (1942-2010).

"Eu, como pai, teria a mesma reação que ele teve. Hoje, eu me arrependi do que fiz. Eu podia ter dado uma volta no quarteirão e contado até dez antes de gravar. Se eu pudesse voltar atrás, eu não faria, por serem dois artistas tão queridos quanto Sandy & Junior, porque eles saíram chorando de lá por uma grosseria de um profissional da gravadora que se achou mais importante do que o diretor e o apresentador do programa", afirma Marcelo, que teme reencontrar o sertanejo.

"Eu penso em procurá-lo, mas tenho medo da reação dele. Eu me arrependi. Devia ter dado um soco na parede e quebrado os dedos e não fazer isso. Se eu tivesse a oportunidade, eu gostaria de me desculpar com Xororó desde a época em que aconteceu isso. Fiz, me afrontaram. O responsável da gravadora não pensou em Sandy & Junior nem no Xororó, podia ter tirado um segurança. Queria que fosse até com meu ídolo Roberto Carlos, não com eles", lamenta.






LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!