Ex-VJ da MTV

Sabrina Parlatore se lança na música e não descarta retorno à TV

Em entrevista ao NaTelinha, Sabrina Parlatore admite que não tinha dimensão da importância da MTV na época

Sabrina Parlatore se lança na música e não descarta retorno à TV
Sabrina Parlatore marcou uma geração na MTV e agora se lança na música - Divulgação/Rafael Ianni

Publicado em 06/06/2020 às 10:59:00

Por: Thiago Forato

Ex-VJ dos anos 2000, Sabrina Parlatore anuncia oficialmente sua carreira na música com a estreia de singles inéditos. Composta e produzida por Wilson Simoninha, Quero Você está disponível nas plataformas de streaming e no formato de lyric vídeo no YouTube. Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, ela fala sobre essa nova jornada, o tempo fora da TV e não descarta um possível retorno, relembrando ainda um pouco dos seus tempos na MTV.

Sabrina completa 25 anos de TV em 2020. Ela foi uma das que realmente foi do tubo ao touch. "Essa frase é muito boa! Entrei na MTV em 1995 quando a minha TV de casa realmente ainda era de tubo. A evolução tecnológica que presenciamos nos últimos anos não se viu em século nenhum. É uma loucura pensar que na época eu estreei na MTV a gente testemunharia o que vemos hoje. Era inimaginável pensar na existência das redes sociais, facilidade da comunicação, em se conseguir falar com um hoje 'seguidor', por vídeo e ao vivo', por mensagem de voz e 'direct'. Na época, eu recebia cartas de fãs e as respondia", lembra.

Modesta, Sabrina não se acha especialista em conteúdo de TV, mas enquanto espectadora, admite que gosta de ter o controle do que consome e acessar um conteúdo na hora que quiser. "Acho isso fantástico. O streaming possibilita que muita gente produza e publique o seu conteúdo", reconhece.

"Sobre a TV aberta, ao mesmo tempo que a gente vê programas que se encaixam nessa evolução tecnológica de conteúdo e de ideias, vejo coisas que ficaram no passado, toscas no formato, execução e produção. A gente vê de tudo", afirma.

Passagem pela MTV

Sabrina relembra que entrou na altura dos seus 20 anos de idade na MTV [atualmente, tem 45] e não tinha noção do que a marca representava. "Sabia que era uma emissora para jovens, mas desconhecia a sua grande influência como a gente hoje sabe que teve", diz.

Ela conta que ainda recebe muitas mensagens de fãs que fizeram Comunicação por conta do elenco da MTV e a emissora: "Não tínhamos uma noção clara da influência que exercíamos sobre as pessoas. Os VJs foram os grandes influenciadores de toda uma geração de jovens no Brasil".

Grata, afirma que será "eternamente a Sabrina da MTV". "Era demais trabalhar lá. Tínhamos um time de VJs especial, de pessoas muito talentosas, simples, amigas, que torciam umas pelas outras. Não existia competição", recorda.

No entanto, reconhece também que não faz mais sentido esperar horas por um clipe às 18h no Disk MTV: "A MTV foi essencial para a música. Trouxe de volta bandas de pop e rock dos anos 1980 que estavam esquecidas. A emissora deu visibilidade para bandas, diretores, clipes e artistas".

Participação no Popstar e retorno à TV

Fora da TV desde 2014, Sabrina relata que viu sua vida atropelada por um câncer de mama que teve em 2015, quando deu um tempo em suas atividades para se tratar. "Gostaria sim de voltar para a TV em projetos específicos. Adoraria fazer um programa ligado à música, que é meu universo", almeja.

Há três anos, ela participou do Popstar, reality musical da Globo. "Foi um projeto musical incrível", diz ela, que chegou à final e confessa ter saído da experiência com vontade de cantar profissionalmente. Questionada se participaria de algum reality show, hesitou: "Eu até participaria se não tivesse que dividir o quarto com outras pessoas. Eu gosto e preciso de privacidade".

Há seis anos, Sabrina diz que começou a perder a vergonha e realizou alguns pocket shows em São Paulo. "O desejo de cantar é antigo, mas tinha receio da opinião das pessoas. Bobagem minha, pois quando comecei a fazer as apresentações, tive um feedback muito positivo", lembra.

De acordo com ela, as pessoas se surpreendiam quando a viam cantando: "Como disse, em 2015 tive um diagnóstico de câncer de mama, que me fez pausar o que vinha fazendo. De certa forma, o tratamento me fez refletir e me deu forças para ir atrás do sonho de cantar".

Sobre a quarentena, Parlatore cumpre isolamento social sozinha em seu apartamento em São Paulo. "Como para todo mundo, é um período bem difícil para mim. Fico extremamente comovida com quem não tem como se proteger, está doente ou perdeu alguém próximo. É um período para a gente se reinventar", comenta.

Antes resistentes às lives, confessa que agora tem feito algumas para falar sobre o câncer de mama e com profissionais da área. "Pretendo fazer mais", promete.

"O mundo certamente será diferente quando tudo isso passar. Nosso meio artístico deve sofrer mudanças. Temos de aguardar e ver o que vai acontecer e tentar nos adaptar a essa nova realidade", projeta Sabrina.

publicidade




LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!