Reportar erro
Ao vivo

Curado do coronavírus, Sikêra Jr fará live beneficente com transmissão da RedeTV!

Apresentador retornou nesta semana ao programa Alerta Nacional

Sikêra Jr
Sikêra Jr, apresentador do Alerta Nacional
Paulo Pacheco

Publicado em 28/05/2020 às 19:52:58

Após voltar ao comando do Alerta Nacional, Sikêra Jr realizará uma live beneficente neste sábado (30), a partir das 19h. O apresentador da TV A Crítica, parceira da RedeTV! no Amazonas, cantará com a banda Manicômio, banda da qual ele foi vocalista na adolescência.

Com transmissão simultânea pela RedeTV! e no canal da emissora no YouTube, a live acontecerá na casa do apresentador em Manaus e irá arrecadar donativos para instituições carentes.

Sikêra fundou a banda Manicômio, formada inicialmente por amigos da escola, quando tinha 16 anos. O grupo se reunirá na casa do apresentador com novos integrantes.

Na última segunda,  desobedecendo ordens médicas, Sikêra voltou a apresentar o Alerta Nacional. Curado do coronavírus, ele "invadiu" a TV A Crítica dirigindo uma empilhadeira e surpreendeu seus substitutos, Mayara Rocha e "Brunozo" Fonseca.

"Só Deus sabe o que é passar por essa doença. É terrível, é terrível! Só Deus sabe o que eu passei", disse Sikêra, após ter ficado um mês fora do ar. Ele relatou o momento mais difícil do tratamento em casa, quando quase precisou ser hospitalizado.

"Chegou uma noite que disseram assim: 'Não tem mais jeito. Sikêra tem que ir para o hospital e vai ser entubado'. Disse: 'Meu Senhor, já venci um infarto e uma cirurgia, usei uma bolsa de colostomia, levei tiro, caí de avião, quebrei meus dentes, passei por tanta coisa ruim. Não me deixe ir agora não'", contou.

Em seguida, Sikêra ajoelhou no estúdio e agradeceu a Deus pela cura. O apresentador, que apoia o presidente Jair Bolsonaro e minimizou o coronavírus, insistiu que as pessoas devem sair de casa para não morrerem de fome como ele fez, sem explicar que integra o grupo de trabalhadores essenciais (a imprensa).

"A tal da Covid é tão miserável, e algumas pessoas disseram assim: ’Tá vendo? Pagou com a língua, subestimou a doença’. Eu achei que era realmente uma coisa mais simples. Não é. Agora, eu vou manter minha palavra. Se você pode ficar em casa, fique. Mas se você não pode, faça feito eu e meu elenco, vá trabalhar. Ninguém pode morrer de fome nesse país", afirmou.

Mais Notícias