Polêmica

Record proíbe artistas de divulgarem suas redes sociais e gera revolta

O SBT tomou a mesma decisão no ano passado

Record proíbe artistas de divulgarem suas redes sociais e gera revolta
Divulgação/Record

Publicado em 23/03/2020 às 10:07:42 ,
atualizado em 23/03/2020 às 10:52:03

Por: Sandro Nascimento

Assim como o SBT, a Record proibiu que seus artistas e âncoras de telejornais divulgassem seus perfis das redes sociais no ar. A direção da emissora acabou entendendo que estava havendo excessos entre alguns apresentadores e que, em sua maioria, possuem mais seguidores do que as atrações do canal na web.

Segundo apurou o NaTelinha, os contratados foram avisados no início de março da nova regra. Agora, para continuar a interação com a segunda tela, a Record vai passar a incentivar, ainda mais, a utilização das hashtags dos programas.  A ordem é válida para todos, inclusive aos contratados de afiliadas.

A direção da Record percebeu que alguns contratados estava utilizando, com excesso, a vitrine TV aberta para impulsionar seus perfis nas plataformas digitais. Para capitalizar seguidores, alguns artistas preferiam divulgar seus endereços nas redes sociais do que os dos programas da emissora. A decisão revoltou alguns apresentadores, que reclamam que os colegas que utilizavam de forma errada é que deveriam ser punidos primeiro, antes da proibição total.

A Record veta o "@" dos seus artistas no ar 11 meses depois do SBT tomar a mesma decisão. Mas no canal de Silvio Santos, a medida foi ainda mais dura. Além das redes sociais, a rede da Anhanguera deixou de exibir as hashtags dos programas no canto superior do vídeo.

Silvio Santos quer porcentagem para divulgar rede social 

"Vocês receberam um comunicado da direção geral do SBT que não pode mais falar em internet na televisão? Televisão é uma coisa, internet é outra. Quer trabalhar em internet arranja uma empresa. Aqui é televisão, não pode mais falar em internet", disse Silvio Santos no seu programa em abril do ano passado.

O dono do SBT completou que os artistas que quiserem divulgar seus endereços eletrônicos nos programas deveriam pagar uma taxa à emissora: "Que pague uma parte para mim".

As decisões da Record e SBT são explicadas pelo fato que muitos artistas faturam alto com publicidade em seus perfis no Instagram. Virou um negócio paralelo a TV.

Para fazer publicações das marcas, apresentadores podem tirar uma renda maior do que recebem das emissoras. Quanto mais seguidores, mais caros são os posts.

Procurada pelo NaTelinha, a Record não se posicionou sobre a reportagem.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!