Briga por salário

Afiliada da Globo em Alagoas demite jornalistas por retaliação à greve, diz sindicato

A TV Gazeta pertence à família Collor e teria demitido quinze jornalistas

Afiliada da Globo em Alagoas demite jornalistas por retaliação à greve, diz sindicato
Jornalistas do Alagoas ficaram em greve por quase duas semanas. Foto: Divulgação

Publicado em 04/07/2019 às 19:35:15 ,
atualizado em 04/07/2019 às 22:13:38

Por: Daniel César

A TV Gazeta, afiliada da Globo no Alagoas demitiu quinze jornalistas nesta quinta-feira (04) e a atitude seria uma espécie de retaliação aos quase quinze dias de greve da categoria em todo o estado. Quem garante isso, ao menos, é o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Alagoas.

Em nota publicada nas redes sociais e no site oficial da FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas) a entidade esclarece que a atitude da cúpula da TV Gazeta foi uma clara retaliação ao movimento grevista que garantiu a manutenção do salário-base dos jornalistas, além do reajuste dentro do índice inflacionário para todos os jornalistas profissionais do estado.

A greve dos jornalistas de Alagoas já havia gerado confusão por conta das decisões das empresas que ficaram praticamente sem profissionais. Inclusive, com a afiliada do SBT no estado usando estagiários para burlar a paralisação.

No meio da tarde a notícia de que a emissora havia demitido quinze profissionais caiu feito uma bomba em toda a mídia. O NaTelinha apurou que, rapidamente, o sindicato se reuniu para determinar qual estratégia seguiria diante da atitude da cúpula do canal e a primeira decisão foi de divulgar uma nota de repúdio.

A reportagem conversou com Osnaldo Moraes, que é membro do Fenaj e ele afirmou que o sindicato de Alagoas pretende recorrer à justiça. "O sindicato já acionou O MPT [Ministério Público do Trabalho] e está conversando com desembargadores do TRT [Tribunal Regional do Trabalho]", informou.

Fontes do sindicato revelaram ainda que a retaliação não teria sido a única motivação para a demissão em massa por parte da TV Gazeta. É que o TRT havia garantido, por meio de decisão, que haveriam 90 dias de salário para os profissionais e que, a intenção da afiliada da Globo é de demitir e assim não pagar o que foi garantido judicialmente. As mesmas fontes informaram ainda que a Gazeta já havia feito demissões no mês de novembro e até o momento os desempregados não haviam recebido o que é por direito.

A reportagem tentou contato telefônico com a TV Gazeta, mas foi informado que já havia encerrado o expediente do setor de comunicação.

Veja a nota do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Alagoas

"Primeiramente o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Alagoas manifesta total e irrestrita solidariedade aos companheiros e companheiras que estão sofrendo, nas empresas, medidas retaliativas – demissões ou mudança de funções – que configuram perseguição e assédio moral, em decorrência de participação na justa greve – legalmente reconhecida pela Justiça do Trabalho – contra a tentativa de redução salarial por parte dos grandes grupos de comunicação do Estado.

Entendemos que tal comportamento configura ainda dano coletivo à categoria e à sociedade e prática antissindical, condutas estas que vão de encontro aos princípios constitucionais de direito de greve e organização sindical.

O Sindicato esclarece que até a publicação do Acórdão do julgamento do TRT, prevalecem os direitos de greve dos trabalhadores, e que, desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira, ao tomar conhecimento das ocorrências de demissões no grupo OAM, está atuando, junto aos seus advogados, com todas as providências jurídicas possíveis e adotando todas as articulações que o caso requer.

Ainda na tarde desta quinta-feira (às 15h) a diretoria do Sindjornal estará se reunindo com todos os profissionais demitidos, na sede do Sindicato, para as devidas orientações.

Ao mesmo tempo, convoca toda a categoria para uma assembleia extraordinária, no Sindicato dos Bancários, às 19h30 desta quinta-feira, para os devidos informes e encaminhamentos necessários.

Não esqueçamos: Nossa união é nossa força. Juntos somos fortes e vamos vencer mais essa batalha.

A DIRETORIA"


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!