Exclusivo

"Pai Herói" e "Selva de Pedra" viram séries e podem ser negociadas com SBT, Record e Netflix

Novelas de Janete Clair estão sendo adaptadas pelo escritor Vitor de Oliveira

Reprodução

Sandro Nascimento
i

Sandro Nascimento

O jornalista Sandro Nascimento assina colunas e reportagens exclusivas no NaTelinha. Também é correspondente da agência de notícias ZOOMINTV. Twitter: @SandroNascimm / E-mail: sandro@natelinha.com.br

Publicado em 30/04/2019 às 14:53:49

Novelas de grande sucesso na dramaturgia da Globo, "Pai Herói" e "Selva de Pedra" estão sendo adaptadas para o formato de série e podem ser negociadas com o SBT, Record ou Netflix.

Obras de Janete Clair exibidas originalmente na década de 70, o projeto está sendo capitaneado pelo autor Vitor Oliveira em parceria com uma produtora mexicana, que comprou os direitos de vários textos da escritora brasileira e pode comercializar com qualquer emissora interessada.

"A ideia é transformar as novelas em séries de duas ou mais temporadas. E não é especificamente para o mercado mexicano. Podem ser comercializadas para qualquer país, inclusive o Brasil. Em 'Pai Herói' contei com a colaboração de Carlos Fernando Barros, meu parceiro em vários projetos teatrais. Já em 'Selva de Pedra', se juntou a nós Wesley Vieira, excelente roteirista e conhecedor profundo de nossa teledramaturgia. Não tenho informações sobre estreia, nem de quando serão produzidas, mas espero que seja em breve", explica Vitor Oliveira, em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

Com inúmeras peças teatrais montadas, ele já foi roteirista de “I Love Paraisópolis”, em 2015, e do remake de “O Astro”, em 2011, folhetim que foi premiado com o “Emmy Internacional”, que é considerado o Oscar da televisão,  na categoria Telenovela.

À reportagem, Oliveira revela que já escreveu as primeiras temporadas de “Pai Herói” e “Selva de Pedra”, com 12 episódios cada uma, "mas existem planos de outras adaptações e da continuação destas", avisa.

"Na verdade, é uma parceria que já existia com essa produtora desde 'Tieta', que fiz a adaptação junto com Rodrigo Ribeiro e Virgílio Silva e que esperamos ansiosamente que seja produzida. A diferença é que 'Tieta' foi uma novela tradicional de 190 capítulos e esse projeto novo é de adaptar as novelas para o formato de série", conta o escritor, que faz segredo sobre  o nome da produtora mexicana.

Vitor Oliveira passou a formatar as obras de Janete Clair por indicação de sua amiga, Renata Dias Gomes, neta da escritora e do autor Dias Gomes.  Foi ela quem recebeu o convite inicialmente, mas não pôde aceitar por ser contratada da Globo.

Questionado sobre o principais pontos que foram levados em conta na hora de adaptar "Tieta" para o gosto mexicano, ele responde que não enfrentou essa questão. "Na verdade, quando adaptamos 'Tieta', a encomenda foi que mantivéssemos o estilo da obra original, como se fosse para o mercado brasileiro, ou seja, nossa 'Tieta' não tem nada de mexicana", explica.

E vislumbra: "Quem sabe não possa ser produzida aqui? Seria o máximo! A ideia era atualizar para os dias de hoje mantendo a brasilidade da obra, já que nossas novelas são muito conhecidas a apreciadas lá fora", conta.

Novela "Jesus"

Paralelamente ao trabalho de adaptações dos folhetins de Janete Clair, Vitor acaba de encerrar seu último trabalho na televisão. Ele fez parte da equipe de roteiristas da novela "Jesus", escrita por Paula Richard e exibida pela Record até a última semana.

Para Oliveira, as maiores dificuldades de escrever um folhetim bíblico é conseguir embarcar num universo completamente diferente de tudo o que já tinha escrito: "Pois além de ser uma novela bíblica, é também uma novela histórica, com fatos e personagens que existiram de verdade. Então foi preciso uma imersão em hábitos, costumes e tradições daquela época, tanto judaicos quanto romanos, o que foi fascinante".

E destaca: "O trabalho foi muito prazeroso, pois Paula Richard é uma autora muito talentosa, tranquila e generosa e a equipe era fantástica. Foram meses de muita alegria e risadas. Viramos amigos para toda a vida. Fora que é uma grande honra e um enorme privilégio ter ajudado a contar a história do homem mais importante que já passou pelo planeta".

Janete Clair

À pedido da reportagem, Vitor Oliveira analisou as obras escritas por Janete Clair.

"É nossa autora fundamental. Acho que ela e Ivani Ribeiro são as grandes mestras para quem deseja aprender tudo sobre teledramaturgia. O incrível é que Janete já era moderna em sua época e continua sendo. Tudo que se pensa sobre inovação nos dias de hoje a gente percebe que Janete já fez lá atrás. A figura do anti-herói, por exemplo. Os mocinhos de Janete não eram um exemplo de perfeição. O próprio Cristiano, de 'Selva de Pedra', cogita matar a mulher que ama para ascender socialmente. Herculano, de 'O Astro', ganhava a vida enganando as pessoas. Carlão, de 'Pecado Capital', se apropriou de um dinheiro que não era dele", lista.

E conclui:"E nem por isso deixavam de ser heróis. 'Pai Herói', por exemplo, era ambientada na Baixada Fluminense em pleno 1979 e mostrava o mundo do crime e da contravenção através do personagem Baldaracci, que era um vilão extremamente humano. Isso é que é fascinante no universo da Janete. Os personagens não eram estereotipados, ao contrário, eram extremamente humanos, com qualidades e defeitos. E tudo isso temperado com os melhores ingredientes do folhetim sem pudor. Por isso Janete encantou e continua encantando até hoje".

O escritor diz ser difícil escolher uma novela preferida escritas por Janete Clair, mas revela sentir um carinho especial por “O Astro”,  já que foi seu primeiro trabalho na  TV.

"Ganhou uma nova adaptação pelas mãos de Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro em 2011. Foi um trabalho muito feliz, tudo era sonho, tudo era novidade, aprendi muito, a equipe era maravilhosa e a história literalmente mágica. Tive muita sorte de estrear ajudando a contar a história desse universo mágico da autora. E com direito a final feliz, já que 'O Astro' ganhou o Emmy Internacional de melhor novela daquele ano", encerra.

A partir do próximo dia 14 de maio, Vitor Oliveira vai ministrar um curso de roteiro na "Jornada Criativa", em São Paulo, com Solange Castro Neves. As inscrições podem ser feitas através do e-mail jornadacriativa2019@gmail.com.               


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!