Reportar erro
Polêmica

Escalação de nova autora para a faixa das 21h gera ciúmes e insatisfação na Globo

Com supervisão de Gloria Perez, Alessandra Poggi vai assinar a nova trama da Globo das 21h em 2020

Gloria Perez
Divulgação/TV Globo
Sandro Nascimento

Publicado em 30/04/2019 às 00:02:51

A decisão da diretoria da Globo de promover a escritora Alessandra Poggi, 45, para sua principal faixa de novelas, às 21h, gerou ciúmes, insatisfações e críticas nos bastidores da emissora.

De acordo com fontes ouvidas pelo NaTelinha, parte dos autores da Globo que compõem o banco de talentos do canal e que também estavam no projeto Casa dos Roteiristas, reclamam que desconheciam que Glória Perez estava coordenando uma oficina de novos escritores para a disputada faixa das 21h.

Projeto que o diretor geral Carlos Henrique Schroeder justificou, em comunicado interno, a escolha de Alessandra Poggi e sua furada na fila do horário mais valorizado da Globo. Com supervisão de Gloria Perez, Poggi deve estrear sua primeira novela na televisão já em 2020.

Parte destes roteiristas criticam a falta de transparência na promoção de Alessandra e relatam suas desconfianças sobre ela ter sido privilegiada devido a seu fácil acesso a chefões da dramaturgia.

Além disso, explicam, desanimados, que não faz sentido existir uma casa para roteiristas, inaugurada em abril de 2017 para novos projetos de dramaturgia, e paralelamente, ter um outro para autores das 21h. Tudo, de acordo com esses relatos, estaria interligado e o que deveria valer era a qualidade dos textos entregues.

Eles também desabafam que uma novela no horário nobre é a grande promessa, e sonho, para estarem participando da Casa de Roteiristas do canal. Com isso, a partir de agora, a isonomia deste processo ficaria sob suspeita.

A estreia de Poggi no prime-time da Globo foi comunicado na última sexta-feira (26) pelo diretor geral da emissora,  Carlos Henrique Schroeder. 

“Como a Globo está em movimento permanente, teremos um pequeno ajuste de funções para acomodar um pedido meu a Glória Perez. No ano de 2018, Glória ficou dedicada a coordenar os projetos da Casa dos Roteiristas e, em paralelo, desenvolveu uma oficina para lançar novos autores para o horário de novelas das 21h. Foi um resultado excepcional, fruto de muito empenho e dedicação. Além de novas séries para o Globoplay e para a TV aberta, Gloria tem ótimos projetos resultantes de sua oficina", disse Schroeder.

E completou: "então, como já queremos colocar estas novelas na grade imediatamente, Gloria Perez passará a trabalhar com a supervisão e mentoria da autora Alessandra Poggi, que teve seu projeto aprovado para o horário nobre”.

Fato inédito

Escalação de nova autora para a faixa das 21h gera ciúmes e insatisfação na Globo

Com a decisão, pela primeira vez em sua história, a Globo escala uma escritora, embora supervisionada por um veterano, estreando no horário mais nobre sem antes ter assinado, sozinha, uma novela das 18h, 19, ou 23h.  Fato que alimenta ainda mais as críticas e ciúmes dos roteiristas da emissora.

Antes da rápida ascensão no setor de dramaturgia, Poggi foi colaboradora de "Malhação" (2003 a 2010), "Aquele Beijo" (2011) e os seriados, "Pé na Cova" (2013 a 2016) e "Sexo e as Negas" (2014).

Seu principal trabalho na Globo foi em 2017, com a supersérie "Os Dias Eram Assim", que ela dividiu a autoria com a também novata Ângela Chaves. A trama bateu recordes na faixa das 23h desde que o espaço passou a ser dedicar a dramaturgia, em 2011.

De acordo com números da Kantar Ibope, "Os Dias Eram Assim" marcou média de 21 pontos na Grande São Paulo. Embora tenha conquistado boa audiência, a trama recebeu críticas pelo excesso de clichês e tramas políticas batidas.

Veteranos buscam o mesmo espaço de Alessandra Poggi

Autores veteranos buscam na Globo a mesma oportunidade dada de forma surpreendente a Alessandra Poggi, dentre eles Duca Rachid, Thelma Guedes, Daniel Ortiz, Alcides Nogueira, Miguel Falabella, Suzana Pires, Ricardo Linhares e Elizabeth Jhin.

Manuela Dias, que vai estrear sua primeira trama às 21h no segundo semestre deste ano, já escreveu duas tramas como autora principal: "Justiça", com supervisão de texto de Duca Rachid, e "Ligações Perigosas" (2016).

Procurada pelo NaTelinha, a Comunicação da Globo emitiu o seguinte comunicado:

“A oficina para autores era um trabalho que Gloria Perez desenvolvia em paralelo ao trabalho na Casa dos Roteiristas e por ela passaram autores promissores que produziram várias sinopses que serão aproveitadas futuramente

Nesses 5 anos em que Silvio de Abreu está à frente da Direção da Dramaturgia Diária, diversos autores, diretores e atores, foram revelados de diversas maneiras e para todos os horários. Esse é um dos maiores legados desta gestão, inclusive.
 
A sinopse em questão foi muito bem avaliada e a Globo está absolutamente segura de sua escolha com Alessandra Poggi tendo o privilégio de contar com Gloria Perez na supervisão”.
Mais Notícias