Detonou

Em entrevista, Cabrini diz que esquerda criou confusão sobre Direitos Humanos no Brasil

Crítica foi no programa "Morning Show"

Em entrevista, Cabrini diz que esquerda criou confusão sobre Direitos Humanos no Brasil
Roberto Cabrini foi entrevistado pelo "Morning Show". Foto: Reprodução/Youtube

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 25/04/2019 às 16:07:57 Atualizado em 25/04/2019 às 16:16:17

O jornalista Roberto Cabrini afirmou que a esquerda criou uma confusão sobre a agenda dos Direitos Humanos no Brasil. A fala aconteceu durante entrevista ao programa “Morning Show”, da Rádio Jovem Pan, na manhã desta quinta-feira (25).

Questionado por Caio Copolla, um dos membros do programa e forte defensor da agenda conservadora no país, Cabrini afirmou que Direitos Humanos não são da esquerda. “A Esquerda se apossou da expressão e criou uma confusão no Brasil”, disse.

Ele explicou ainda que a expressão e a defesa não pertencem à esquerda e muito menos à direita e lembrou também que acredita que a agenda deveria ser de todos, mesmo dos conservadores. “É possível ser conservador e defender os direitos humanos”, sentenciou.

Cabrini realizou uma série de programas em defesa dos Direitos Humanos e denunciando violações desses direitos. O “Morning Show”, inclusive, antecipou que o jornalístico “Conexão Repórter”, que Roberto comanda no SBT, venceu a edição 2019 do “Troféu Imprensa”, gravado na última terça (23) e que será exibido no próximo domingo (28).

O jornalista, que é considerado um dos mais importantes do país, reclamou ainda da cobertura política que o jornalismo brasileiro vem realizando. “Tem uma excessiva partidarização das coberturas políticas”, explicou ele, garantindo que não é possível assistir a um jornal sem que fique nítida a partidarização. “A gente não consegue mais ver um jornal sem que se veja o exagero nas críticas ou nos elogios ao presidente Bolsonaro”, decretou.

Cabrini também falou sobre corrupção e salientou que o problema se tornou crônico no Brasil, mas também acabou por criar uma discussão maniqueísta de direita ou esquerda: “Corrupção não é privilégio da esquerda ou direita. É um desvio de conduta da humanidade”.

Na entrevista, ele lembrou ainda que não gostaria de ter dado a notícia da morte de Ayrton Senna, ocorrida em primeiro de maio de 1994.

Confira:


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!