Reportar erro
Cine Globoplay

Distopia e legalização do estupro: o que você precisa saber sobre "The Handmaid's Tale"

"The Handmaid's Tale" vai ao ar nesta terça-feira (12) na Globo

The Handmaid's Tale
Série é premiada internacionalmente e desembarca no Globoplay - Divulgação
Thiago Forato

Publicado em 12/02/2019 às 09:18:10

Sucesso desde abril de 2017, abocanhando 11 prêmios Emmy e dois Globo de Ouro, a série "The Handmaid's Tale" terá seu primeiro episódio transmitido na televisão aberta. A Globo leva ao ar a premiada produção nesta terça-feira (12), após o "Jornal da Globo", visando promover seu streaming.

A história fala sobre um futuro distópico na República de Gilead, uma nação patriarcal e militarizada, que tomou o lugar dos Estados Unidos e tem a bíblia como Constituição.

Com os níveis de natalidade muito baixos, mulheres férteis são usadas única e exclusivamente para procriação, cedendo seus filhos às famílias consideradas mais poderosas na escala social.

Na série, o corpo das mulheres é do Estado e o estupro é regulamentado. Se uma mulher tiver sorte, ela é esposa em Gilead, enquanto as outras são praticamente escravas, não podendo fazer absolutamente nada: controlar dinheiro, comprar propriedades ou mesmo ler. Todos, exceto homens brancos e héteros, são subjugados.

Uniformes são utilizados para distinguir a posição das mulheres na sociedade: vermelho para as aias, que servem os militares para procriação, bege para as marthas, empregadas domésticas e azul para as esposas, que também são submetidas às leis rígidas do Estado.

Criminalização da homossexualidade

Lésbica e gays são considerados "traidores de gênero" e a pena para esse crime pode ser a morte. Ações como espancamentos, estupros coleticos, exclusão social são corriqueiros na produção, que mostrou Emily (Alexis Bledel) tendo seu clitóris removido pelo Estado depois de ter se relacionado com outra mulher. A mutilação genital é um dos pontos.

"The Handmaid's Tale" é baseado no livro homônimo da autora Margaret Atwood de 1986 e gera muitos debates nos Estados Unidos, onde a série virou um fenômeno pelo streaming Hulu, surgindo como sua salvadora da pátria.

No Brasil, a série é transmitida pelo Paramount Channel e Fox Premium, disponível também nos catálogos on-demand de seus respectivos canais, além do Globoplay agora (só a primeira temporada por enquanto). O terceiro ano da série estreia em junho.

Mais Notícias