Reportar erro
Polêmica

Petição pede que ator de "The Crown" doe diferença salarial; produtores pedem desculpas

Jornal revelou pagamentos de Matt Smith e Claire Foy

thecrown_d7e0d4ee6d0a3cac8a61389464dea637ee580958.jpeg
Divulgação
Taty Bruzzi

Publicado em 20/03/2018 às 16:50:38

Estrela da série “The Crown”, Matt Smith está sendo alvo de uma petição online. Tudo começou depois que o jornal The Guardian revelou que o salário do ator é maior que o de Claire Foy, 

Embora o salário bruto do casal protagonista nunca tenha sido revelado, de acordo com a publicação, o intérprete do Príncipe Phillip recebeu cerca de US$ 40 mil por cada episódio das duas primeiras temporadas, valor bem acima do pago à atriz.

A notícia serviu de incentivo para a organização de um abaixo-assinado no qual os responsáveis pedem que Smith doe o dinheiro extra recebido para o fundo do movimento Time’s Up, que luta pelo fim da cultura de estupro e assédio em Hollywood, além de pedir igualdade entre os gêneros da indústria do trabalho.

“Indo direto ao assunto, ninguém deve receber mais do que a Rainha”, é o que dizem os responsáveis pelo abaixo-assinado. Até a publicação desta matéria, o documento virtual conta com mais de 26 mil assinaturas.

Nesta terça-feira (20), produtores de "The Crown" pediram desculpas pela diferença salarial. Confira a nota da Left Bank Pictures:

"Nós queremos pedir desculpas para Claire Foy e Matt Smith, atores brilhantes e amigos, que se encontraram no meio de uma tempestade midiática na última semana, apesar de não terem culpa de nada. Claire e Matt são atores incríveis que, junto com o restante do elenco de The Crown, trabalharam árduamente para trazer vida aos nossos personagens com paixão e integridade. Como os produtores de The Crown, nós da Left Bank Pictures somos responsáveis por orçamentos e salários; os atores não estão cientes de quem ganha quanto e não podem ser responsabilizados pessoalmente pelos pagamentos dos colegas.

Nós entendemos e apreciamos a conversa necessária que está atravessando nossa sociedade e estamos apoiando a luta por pagamentos iguais, fim do preconceito de gêneros e a reestruturação do tratamento das mulheres na indústria, frente e atrás das câmeras. Nós todos temos responsailidade de garantir que tais assuntos sejam destaque, e como uma produtora, queremos fazer nossa contribuição para o debate. Estamos engajando conversas com a ERA 50:50 e Time's Up UK, organizações britânicas que trabalharam para dar vozes para todas as mulheres".

TAGS:
Mais Notícias