Atriz explica nova série do "Porta dos Fundos" na TV: "tem o despudoramento da internet"

"Borges" irá ao ar no canal Comedy Central a partir desta terça

Karina Ramil é Sônia em "Borges" - Fotos: Divulgação

Publicado em 13/03/2018 às 13:40:24

Por: Eduardo Rangel

Nesta terça-feira (13), às 21h30, o canal Comedy Central estreia a série “Borges”, nova criação do "Porta dos Fundos", um dos principais canais do YouTube mundial.

“Borges” conta a história de uma importadora cheia de dívidas e pessimamente administrada pelo seu dono, Borges. Num belo dia, quatro funcionários da empresa descobrem a falência da companhia da pior forma possível: chegam ao trabalho, veem que foram enganados pela proposta de sociedade e agora são os únicos donos de milhares de dívidas e processos trabalhistas. Para não serem presos e conseguirem pagar o aluguel, se arriscam por um mundo bem mais perigoso e bizarro que o deles e criam um canal de vídeos para internet.

No elenco, estão Antonio Tabet, Luis Lobianco, Rafael Portugal e Karina Ramil, entre outros.

O NaTelinha assistiu aos dois primeiros episódios da série conversou com Karina, que vive a divertida personagem Sônia. Na entrevista, ela conta um pouco mais sobre a série, como vê a convergência entre TV e internet e também fala sobre a atual situação do humor no Brasil.

Confira:

Nesta terça, estreia no Comedy Central a série "Borges". Como está a expectativa?

Karina Ramil - A expectativa está muito grande, fizemos essa série com muito carinho. Estamos muito curiosos para entender o que o público vai achar, mas tenho certeza que eles vão se divertir muito.

A série mostra a vida dos amigos que são sócios em uma transportadora e levam um golpe, algo não muito incomum no Brasil. Vocês fizeram laboratório com pessoas que já sofreram com isso?

Karina Ramil - Um laboratório específico sobre isso não fizemos, mas estudamos muito o texto e conversamos muito sobre isso. Então, como nós brasileiros sofremos com isso todos os dias, posso dizer por mim que me conecto um pouco com esse sentimento de ser enganada.

Em "Borges", os personagens usam uma câmera que acharam no escritório e começam a gravar vídeos para a internet. O "Portas dos Fundos" está fazendo o contrário, trazendo a internet para a TV. Como você vê essa convergência de mídias?


publicidade

Karina Ramil - Eu acho que ela é natural, a internet vem trazendo coisas novas, culturais. Usamos ela cada vez mais, então é natural que essa troca aconteça cada vez mais. Acredito que seja muito rico porque a linguagem da internet é um pouco mais liberal do que da TV, então isso pode trazer benefícios para todos os lados. “Borges” tem esse despudoramento que a internet traz. A série tem essa linguagem natural do cotidiano que as vezes ela é meio ‘fakeada’ na TV e a internet está trazendo isso. A naturalidade, o dia a dia, os nomes as marcas sem tanto peso.

A sua personagem é uma das mais carismáticas de série, com um lado muito inocente. Como foi criar a personagem? Ela é muito diferente de você na vida real?

Karina Ramil - A Sônia tem características que são bem diferentes da minha até porque ela é bem maluca, mas eu sou super inocente, a galera vive me sacaneando. Hoje mesmo me sacanearam porque achei que ia perder o avião e eles ficaram horas me zoando. Sônia é muito impulsiva em algumas coisas que eu não seria, ela é passional demais. Ela leva muito a vida pessoal dela para o trabalho, eu até faço um pouco, mas não tanto.

Além da sua personagem, com quem você acha que o público mais vai se identificar?

Karina Ramil - Eu acho os personagens muito legais, eles tem características muito pessoais. Todo mundo vai se identificar um pouco com cada. As pessoas que são mais sagazes vão se identificar mais com o Erasmo. Já as que são mais abobadas, vão se identificar com o Pablo. As que levas a vida um pouco mais a sério, a Rosana. Então isso vai trazer vários tipos de identificação.

As séries mais aprofundadas de comédia no Brasil ainda estão engatinhando, mas fazem um enorme sucesso principalmente nos Estados Unidos. Você vê esse mercado promissor no Brasil?

Karina Ramil - O humor há alguns anos atrás tinha uma pegada muito, eu não sei, é a impressão que eu tenho, elas não tinham tanta reflexão. O que eu acho que nos outros lugares, nos Estados Unidos por exemplo, vivem muito isso. Eles têm um humor crítico, e eu não via tanto esse humor crítico aqui no Brasil, a não ser a "TV Pirata" que tinha algumas características. Então eu acho que o Brasil, até por ele ser gigante, é promissor para qualquer tipo de assunto e a comédia será sim aprofundada. Só o Comedy Central que chegou aqui já mostra que vai mudar, já que é um canal voltado a esse tipo de público.

Deixe um convite para todos os internautas do NaTelinha.

Karina Ramil - Galera do NaTelinha, vamos assistir ao “Borges” no Comedy Central, que será exibido toda terça-feira, e tenho certeza que vocês vão curtir porque está muito divertido.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade