Reportar erro
Polêmicas

Apocalipse: Falta de acervo faz Record reprisar a novela mais problemática da sua história

Apocalipse teve problemas entre 2017 e 2018 na Record

Cena da novela Apocalipse
Muitos efeitos especiais e pouca audiência - Reprodução/Record TV
Thiago Forato

Publicado em 06/05/2020 às 05:45:34

Apocalipse reestreou na Record para substituir Amor Sem Igual, que teve suas gravações paralisadas devido à quarentena imposto pela pandemia do novo coronavírus. A trama bíblica teve produção problemática entre 2017 e 2018 com o afastamento da autora Vivian de Oliveira, atritos nos bastidores e elenco descontente.

Em nove capítulos exibidos até segunda-feira (5), Apocalipse acumula uma média geral de 6,10 pontos. A antecessora, nessa mesma altura, registrava 7,90 de média geral. A reprise do folhetim bíblico ilustra uma queda de 23%.

Sem acervo por já ter reprisado à exaustão A Escrava Isaura, Os Dez Mandamentos, Prova de Amor e outros de seus produtos de maior sucesso desde a reativação do núcleo de teledramaturgia em 2004, a Record recorreu a Apocalipse, cuja única semelhança com Amor sem Igual é que são contemporâneas.

Elenco descontente, troca de autores e baixa audiência

Apocalipse: Falta de acervo faz Record reprisar a novela mais problemática da sua história

Com um custo estimado de R$ 800 mil por capítulo e um elenco de 90 atores entre suas três fases, a novela não demorou a ter problemas expostos.

Filha de Edir Macedo, Cristiane Cardoso tomou as rédeas para si em dado momento e passou a desconfortar os profissionais da trama. As imposições geraram crises artísticas e frustração entre escritores, diretores e atores do canal.

As intervenções vinham desde a sinopse original, sempre no viés dos preceitos da Igreja Universal do Reino de Deus. A autora de fato de Apocalipse, Vivian de Oliveira, aliás, foi afastada da novela, já que estava decepcionada com os rumos que sua obra tomou.

A mudança de planos inicial acabou respingando no elenco. Muitos não entendiam o rumo de seus personagens e outros se recusavam a permanecer na Record. A atriz Joana Fomm, numa entrevista ao UOL, descreveu o sentimento: "Não sei o que aconteceu a novela. O texto era maravilhoso, mas foi mexido, muito mesmo, até que perdeu o rumo e não entendi. Meu núcleo foi muito afetado e ninguém explicou o motivo".

Dado seu desempenho frustrantes nos números do Ibope, a novela ainda foi encurtada. Apresentada entre novembro de 2017 e junho de 2018, acumulou 8 pontos de média geral.

A produção bíblica contemporânea da Record estreou com 13 pontos, mas chegou a amargar 5 por longas semanas, retomando seu viés de alta nos últimos momentos.

Atualmente exibida às 20h45, enfrenta a concorrência das histórias infantis do SBT, o Jornal Nacional e em breve, a volta de Floribella na Band, que pode se tornar uma ameaça.

Mais Notícias