Briga familiar

Éramos Seis: Alfredo briga com Lola, abandona casa e crava: "Puxei a meu pai"

Filho não aceitará sermão de Lola

Éramos Seis: Alfredo briga com Lola, abandona casa e crava:
Em Éramos Seis, Alfredo brigará com Lola - Foto: Divulgação/Gshow

Publicado em 21/01/2020 às 19:30:17 ,
atualizado em 21/01/2020 às 19:31:50

Por: Daniel César

Os ânimos irão se exaltar nos próximos capítulos de Éramos Seis. Tudo porque Lola (Glória Pires) tentará passar um sermão em Alfredo (Nicolas Prattes) ao descobrir que o filho roubou a oficina que trabalhava. No meio do bate boca, o rapaz não perderá a chance de brigar com a mãe e ainda cravará que é igual ao pai morto.

Tudo começará porque Carlos (Danilo Mesquita) descobriu que o irmão era o responsável pelo roubo da oficina e fez questão de anunciar para a família, o que acabou provocando uma briga entre eles. Ao saber da situação, Lola decidirá ficar ao lado do filho mais velho, o que desencadeará uma briga entre mãe e filho em cenas previstas para irem ao ar na próxima quarta-feira (22).

Lola começará criticando a decisão de Alfredo, mas ele não ficará quieto e optará por devolver a discussão. "Eu errei. Eu fiz errado, sim. Eu me atropelo às vezes, mas eu não sou bandido, não sou ladrão. Agora, o filho predileto, o Carlos, não pode perder a chance de ser o maioral. Ele não é meu amigo. Ele é meu inimigo. Ele é um dedo duro, desgraçado!", cravará o rapaz.

A discussão ficará pior quando Alfredo dizer que puxou ao pai e a mulher ficará brava ao afirmar que Júlio (Antônio Calmon) foi um homem honesto. "Eu fico me perguntando quando a gente teve paz. Quando meu pai era vivo, ele me batia, bebia... E onde ele passava a noite quando chegava tarde em casa? A senhora nunca se perguntou? Pois é, ele gastou tudo na noite, e por isso que a senhora está assim. Sem nada!", responderá o filho irado.

Alfredo sai de casa em Éramos Seis

A discussão vai ficando cada vez mais acalorada e Lola perderá a paciência com o filho, tentando defender o marido morto e exigindo que o filho respeite a memória do pai. Mas Alfredo não perderá a chance de lembrar as situações que o pai fez enquanto era vivo.

Por fim, saindo de casa e dizendo que está indo embora para não voltar mais, Alfredo insiste que tudo que ele faz é herança deixada por Júlio. "Então, mãe, eu sou ruim. Puxei a meu pai, sim. Eu sou igualzinho ao seu Júlio."




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!