Quem lembra?

Relembre as cinco cidades que formam o condado fictício criado por Aguinaldo Silva

Aguinaldo Silva mostra Serro Azul ao público em "O Sétimo Guardião"

Relembre as cinco cidades que formam o condado fictício criado por Aguinaldo Silva
A cidade de "O Sétimo Guardião" - Divulgação/TV Globo

Publicado em 01/12/2018 às 09:03:00

Por: Taty Bruzzi

Escrita por Aguinaldo Silva, a trama de “O Sétimo Guardião” tem como cenário Serro Azul, cidade fictícia localizada na divisa de Minas Gerais com a Bahia. Para alguns a região não passa de uma lenda, enquanto que para seus moradores ela simplesmente parou no tempo.

Lá o único lugar onde o sinal do celular pega é no “orelhódromo”, obrigando moradores e visitantes a se deslocarem se quiserem fazer uma ligação. Há uma escola municipal chamada Altiva Pedreira, homenagem do escritor à vilã vivida por Eva Wilma em “A Indomada”.

Entretanto, jovens em idade escolar precisam se deslocar até Greenville, cidade mais próxima, para terem uma formação profissional. Ambos os municípios fazem parte de um conjunto de cidades imaginárias criadas por Aguinaldo Silva. A lista inclui, ainda, Tubiacanga, Porto dos Milagres e Resplendor.

A localidade onde passa a história de “O Sétimo Guardião” não é de toda desconhecida para o telespectador, pois a cidade de Serro Azul já foi citada em outras obras do autor, sempre passando a sensação de ser um pouco maior.

Agora, para a atual novela global, ele a apresenta a região como uma espécie de vilarejo com ar misterioso, que guarda alguns segredos e onde coisas estranhas estão sempre acontecendo.

A seguir, destacamos curiosidades de cada uma destas cinco cidades imaginárias e com as quais parecemos ter grande intimidade. Lembrando que a qualquer momento uma delas pode ser citada por Aguinaldo Silva na atual novela da Globo.

Região da Bahia

Greenville: “A Indomada” (1997)

A cidade foi colonizada por britânicos no século XX, sendo apontada como um pedacinho da Inglaterra no Brasil. Local onde se passava a trama de “A Indomada”, principal cenário do embate entre a vilã Altiva (Eva Wilma) e a mocinha Helena (Adriana Esteves). Entre suas atrações está a arquitetura vitoriana e a mistura de expressões inglesas e nordestinas como, por exemplo, o popular “Oxente, My God!”.

Tubiacanga: “Fera Ferida” (1993)

A cidade movida pela cobiça, onde muitos acreditaram que o alquimista Raimundo Flamel (Edson Celulari) era capaz de transformar ossos em ouro. Na verdade, esta é a identidade secreta de Feliciano Júnior, um menino que ficou órfão depois que os seus pais foram vítimas de um atentado e jura se vingar dos culpados. Dentre as atrações está a Igreja Gótica e a Ponte de Madeira.

Porto dos Milagres: “Porto dos Milagres” (2001)

A vila costeira é marcada por conflito de classes e muitas tempestades. A trama conta a história de Guma (Marcos Palmeira). Abandonado em um barco ainda bebê, é salvo por um pescador que o entrega à Iemanjá. Já crescido, ele se torna pescador e como se preocupa com as causas sociais da cidade decide se candidatar a Prefeito e disputa as eleições com Félix (Antônio Fagundes), um famoso empresário, sem saber que ele é na verdade seu tio biológico. Destaque para as aparições de Iemanjá em alto mar e súbitas explosões.

Região de Minas Gerais

Serro Azul: “O Sétimo Guardião” (2018)

Escondida entre montanhas, a cidade parou no tempo e é considerada por muitos uma lenda. Na trama, quando o gato Léon (Eduardo Moscovis) desaparece um grupo formado por sete guardiões da fonte com poder curativo e rejuvenescedor pressupõe que o animal saiu em busca de um substituo do guardião-mor, posição atualmente ocupada por Egídio (Antonio Calloni) que será substituído por Gabriel (Bruno Gagliasso). Embora nem todos tenham conhecimento, a maior atração da cidade é a fonte milagrosa protegida por essa irmandade.

Resplendor: “Pedra Sobre Pedra” (1999)

Localizada na Chapada Diamantina do sertão da Bahia, a cidade é marcada pelo fenômeno da lua cheia magnética. Já a trama da novela gira em torno das famílias Pontes e Batistas, cuja rivalidade começou quando seus matriarcas Murilo (Lima Duarte) e Pilar (Renatah Sorrah) quase se casaram. Vinte e cinco anos depois, ambos querem que seus filhos se tornem Prefeito da cidade, porém o destino faz a história de amor se repetir, desta vez tendo Marina Batista (Adriana Esteves) e Leonardo Pontes (Maurício Mattar) como casal protagonista. Entre as principais atrações de Esplendor temos a estátua de pedra de Cândido Alegria e a flor de Jorge Tadeu.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!