Reportar erro
Notícias

Leda Nagle rebate presidente da TV Brasil, que classificou desabafo como show

Apresentadora rebate

ledanagle-tvbrasil.jpg
Divulgação
Fabrício Falcheti

Publicado em 13/12/2016 às 12:30:17

Presidente da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), responsável pela TV Brasil, Laerte Rímoli se pronunciou pela primeira vez sobre a demissão de Leda Nagle, que rendeu enorme polêmica na última semana.

Ele contestou a versão da jornalista e disse que ela transformou a demissão num show. Leda, por sua vez, rebateu o presidente: "tentativa de me desqualificar".

Laerte usou seu perfil no Facebook para dar sua versão dos fatos: “Comunicamos à jornalista Leda Nagle que a empresa não poderia manter, em 2017, o contrato dela, da forma como estava R$ 1,3 milhão ao ano. Nos meses de janeiro e fevereiro, os programas eram gravados e a profissional desfrutava de 60 dias de folga. Neste ano de 2017, uma novidade: Leda recebeu um generoso convite de um amigo (relato dela) e ficaria mais duas semanas fora, em março, para conhecer Dubai. Presentes à reunião, o Superintendente da TV Brasil, jornalista Caíque Novis, a Diretora de Produção, jornalista Cida Fontes e o assessor jurídico da EBC, Marcelo Nascimento. Ela entrou na sala, perguntou quem era o Caíque e disparou: o programa está ótimo, não precisa de mudanças. Quando eu disse o contrário, o mundo desabou. Você está me demitindo, gritou, furiosa. Cida tentou argumentar: seria uma prorrogação de 2 meses, até 5 de janeiro e um novo contrato, semelhante ao que temos com a jornalista Roseann Kennedy, seria discutido pelas partes. Aí Leda foi a Leda que todos conhecemos: ‘Não sou Roseann Kennedy, tenho 40 anos de profissão. Você sempre quis me demitir, Cida Fontes, não entende nada de televisão. Não vou brigar com você, Laerte, que é meu amigo (imagina se não fosse). Os concursados da EBC são incompetentes, desinformados, não gostam de trabalhar’. Levantou-se, parou em pose dramática na porta da sala e pespegou: ‘vou tornar isso público'".

E completou: “É comovente ver a reação dos amigos, jornalistas, artistas que a apoiam. Cegamente, sem ter informações do outro lado (regra básica do bom jornalismo). Torço, do fundo d'alma, para que Leda Nagle encontre seu rumo. Amigos, com certeza, não lhe faltarão. De minha parte, tenho a obrigação de mudar a lógica perversa de que o dinheiro público existe para ajudar amigos e apaniguados. Respeito orçamento e acato os alertas que as áreas técnicas fazem sobre o futuro da empresa. Preocupante, como preocupantes estão as contas do país”.

Leda Nagle, por sua vez, retrucou nesta terça-feira (13). Ela quis colocar um ponto final no assunto e começou: "Ao longo destes 20 anos, em nenhum momento, nunca, recebi nenhum dinheiro da TV sem trabalhar. Sou à prova de Lava Jato".

Ainda reafirmou que não houve qualquer renegociação de contrato: "Em nenhum momento Lerte Rimoli ou seus assessores me propuseram redução de valor do contrato ou qualquer tipo de negociação. Apenas me apresentaram um contrato de dois meses, sob a alegação de que 'em março nós poderíamos até conversar' ou que eu poderia fazer um talk show... E o que é o 'Sem Censura' se não um talk show?".

E desmentiu o valor anunciado por Laerte Rímoli: "A nota fiscal mensal do novo contrato que seria assinado na ocasião seria de R$ 93.064.64, para pagamento em 12 parcelas, lembrando que, diminuídos os impostos, o líquido seria de R$ 84.780,00 e que a Leda Nagle Produções contrata, dentro deste valor, 4 pessoas . Portanto o contrato não é de R$ 103 mil reais como Laerte anunciou".

Por fim, a apresentadora agradeceu mais uma vez as mensagens de apoio que vêm recebendo e encerrou o debate: "Famosos e anônimos me deram imensa alegria e e me fizeram chorar muitas lágrimas de emoção e agradecimento ao longo dos últimos dias. Mas este capítulo tem que ser encerrado. Chega de lavar roupa suja. Já gastamos muita água e sabão".

Leda Nagle apresentou durante 21 anos o programa "Sem Censura", e deixará a TV Brasil em janeiro.