Reportar erro
Notícias

MG: Afiliada do SBT faz funcionários caírem na Receita Federal, diz Sindicato

tvalterosa-logo.jpg
Divulgação
Redação NT

Publicado em 02/10/2016 às 10:35:37

Desde dezembro do ano passado, o NaTelinha vem noticiando com detalhes a situação da TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais, que passa por uma grave crise financeira - a maior de sua história.

Tudo se deve aos constantes atrasos de salário, o não pagamento de direitos trabalhistas e demissões. Porém, na noite da última sexta-feira (30), o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais fez uma denúncia ainda mais alarmante.

Segundo o texto publicado em seu site oficial, a TV Alterosa/SBT recolheu o dinheiro da Receita Federal, mas depositou o valor para o Leão, fazendo vários funcionários caírem na malha fina.

Quando descoberta, a Alterosa não teria em nenhum momento, segundo o Sindicato, feito qualquer orientação para seus contratados, deixando-os em dificuldade com isso.

"Além da desconfortável situação legal em que se encontram e dos aborrecimentos, a situação trouxe outros transtornos. Muitos contavam com a restituição do imposto de renda para recompor seu orçamento”, diz o texto da entidade.

O Sindicato também conta, detalhadamente, como todos os problemas foram descobertos: "O problema foi descoberto quando os lotes de restituição começaram a ser entregues. Nenhum dos cerca de 100 empregados de todos os setores da TV Alterosa que deveriam receber restituição a recebeu. Diante disso, passaram a procurar a Receita para entender a razão. Ao checar as declarações, constataram que o preenchimento estava correto, mas havia uma divergência no informe de rendimentos pagos pela empresa".

O caso mais latente é de um jornalista que teve exatos R$ 13.871 recolhidos pela empresa para pagamento de imposto da Receita. Na restituição, recebeu apenas R$ 10.594, um prejuízo de R$ 3.227, ou 23,62% do valor total descontado.

Mesmo explicando a situação, a Receita Federal diz que estes valores não podem ser devolvidos, porque sequer foram depositados para a malha fina. O Sindicato afirma que estuda fazer uma denúncia no Ministério Público Federal de Minas Gerais.

TAGS:
Mais Notícias