João Palomino sobre perda da Champions pela ESPN: "coisa de mercado"

Divulgação

Publicado em 20/12/2014 às 09:47:06

Por: Sem autor

O novo vice-presidente de jornalismo e produção da ESPN Brasil, João Palomino, falou sobre as perdas que a emissora teve no fim de 2014 e também dos ganhos de audiência do canal.

Em entrevista para o Portal Imprensa, Palomino argumentou sobre a perda da Champions League e afirmou que a compra do Esporte Interativo foi coisa de mercado: "A questão da Champions League também é coisa de mercado, de muito dinheiro. Para ter uma ideia de que era muito dinheiro, íamos adquirir junto com a SporTV. Não faltaram esforços para manter a Champions League na ESPN. Foi um trabalho de três anos e meio e que culminou em levar para um terceiro round a disputa dos direitos. Foi algo muito acirrado, ficamos muito próximos".

O diretor afirma que, sem estar na Net e na Sky, a cobertura do Esporte Interativo ainda é uma incógnita para o mercado: "Temos uma tradição de transmissão da Champions, temos uma proximidade com quem negocia os direitos. Então, a maior oferta, que para mim não foi a melhor, levou a Champions, mas o mercado não sabe exatamente o que vai ser".

Sobre a saída do comentarista Paulo Vinícius Coelho, Palomino disse que a questão foi muito pessoal: "A questão do PVC é muito de escolha pessoal. Quando ele me disse: ‘eu conversei com a Fox, fechei com eles e vou embora’. Falei: ‘peraí, take easy. Deixa eu chegar na redação e vá com o Arnaldo Ribeiro para minha sala e vamos conversar’. Acontece que o PVC definiu a vida dele. Ele acertou a vida dele com a Fox, ele decidiu ir para Fox, pois ele tem um desejo muito grande, que é uma coisa dele, de participar ativamente de uma cobertura de Libertadores da América que ele nunca fez".

Por fim, João comentou a subida de 126% de audiência em 2014, onde a programação ao vivo imperou. Ele disse que a tendência foi feita por conta de pesquisas de público. O resultado deu tão certo, que a ESPN lançou esta ideia para o mercado em 2015: o máximo de tempo ao vivo possível. "Fizemos escolhas baseadas em pesquisa, análise de equipe, de capacidade de produção, em resposta do público. E, na verdade, o que a SporTV tá propondo hoje? Quinze horas ao vivo por dia", bradou.

Atualmente, a ESPN Brasil está entre os trinta canais mais vistos da TV paga, e é vice-líder entre os esportivos, perdendo apenas para o SporTV.



COMENTÁRIOS