Reportar
erro
Exclusivo

Exclusivo: NaTelinha entrevista Gisele Joras, autora de Amor e Intrigas

Exclusivo: NaTelinha entrevista Gisele Joras, autora de Amor e Intrigas


Por Redação NT

Publicado em 16/11/2007 às 18:27:22

Catalogada por muitos como a nova Janete Clair, Gisele Joras estréia, na próxima terça-feira (20), sua primeira novela: Amor e Intrigas, na Rede Record. A autora, que afirma ter construído uma trama que mescla temas interessantes com coisas que gostaria de ver na telinha, está muito feliz agora que sua trama saiu do papel e se tornou real.

Com uma considerável frente de capítulos, Gisele Joras desdramatiza o fato de ter ganho o primeiro lugar no concurso de roteiristas, em 2006, promovido pela Record e responde com simplicidade às perguntas desta entrevista.

Nesse trabalho, idealizado por Bruno Cardoso para o NaTelinha, Gisele Joras fala de sua experiência dentro e fora da TV, dos elementos folhetinescos de sua história, do leque de vilões de Amor e Intrigas, da fluidez com que estão decorrendo os trabalhos, entre vários outros assuntos. O resto, você pode ficar sabendo depois de ler a entrevista.

Gisele, você já tinha alguma experiência em televisão ou na escrita de livros antes de decidir enviar a sinopse da sua trama para o concurso de Roteiristas da Record? Já tinha algum tipo de formação, algum tipo de experiência na escrita para telenovelas?

Gisele Joras:
Sou roteirista e escritora há muitos anos. Já escrevi inúmeros roteiros para diversos veículos, inclusive para a TV, além de cinema e teatro. Escrevi também o livro “Abra e Entre” da editora Landscape, participei do livro “13 Roteiros Mágicos” e tenho outro livro sendo negociado por minha agente literária. Minha profissão é essa, embora seja formada em Arquitetura. Como colaboradora de novela, trabalhei com o Tiago Santiago em Caminhos do Coração, na sua fase inicial.

Quais foram os motivos, ou o grande motivo, que te fez concorrer a esse concurso? Em sua opinião, o que você acha que a sua sinopse tinha a mais que as restantes para ter conseguido se firmar no primeiro lugar?

GJ:
Tinha muita vontade de escrever novelas e quando soube do concurso promovido pela Rede Record resolvi participar. Os jurados consideraram que a sinopse era bem articulada e apresentava os elementos fundamentais de uma telenovela clássica, com apelo para o grande público. Consideraram também que eu apresentei personagens bem construídos.

Como você se sentiu por ter ganho o posto de primeiro lugar?

GJ:
Recebi a notícia como uma surpresa que me deixou muito feliz. Não sabia que a emissora planejava produzir minha novela.

Relativamente à sinopse inicial de Amor e Intrigas, você teve que alterar ou reescrever algumas cenas a pedido da Record?

GJ:
A sinopse é exatamente a mesma que criei para o concurso, não houve nenhuma alteração significativa. O trabalho está fluindo de forma rápida e fácil.

Conte-nos um pouco das principais histórias de Amor e Intrigas.

GJ
: A novela conta a história de duas irmãs e uma grande injustiça. A partir daí surge a trama central. Até mesmo o encontro dos protagonistas, Alice e Felipe, está relacionado – ainda que de forma indireta – com esta injustiça inicial. Amor e Intrigas é uma trama urbana e contemporânea, com elementos de folhetim clássico, e se passa no Rio de Janeiro. Ela aborda também diversos temas atuais como o embrutecimento da sociedade. Além disso, a novela mostrará romances maduros, traições, amores de juventude e todos os elementos típicos da teledramaturgia.

Vanessa Gerbelli é a Alice que você sempre idealizou? Você acha que ela e o Luciano Szafir fazem uma dupla romântica com entrosamento suficiente para cativar e emocionar o público?

GJ:
A Vanessa Gerbelli é a Alice que eu tinha em mente, considero-a perfeita para o papel. Ela e o Luciano Szafir estão excelentes como protagonistas, mostrando que Felipe e Alice têm muita química. Acredito que vão cativar e emocionar o público, sim.

Se te pedisse para escolher “A” ou “O” grande vilão da trama, quem você escolheria e por quê? O que move, nessa sua novela, cada um dos vilões? Você concorda que uma boa novela tem que ter muita vilania?

GJ:
A Valquíria é a grande vilã da novela, pois é a partir de seu golpe inicial que é gerado o grande conflito da trama. Mas o Petrônio, com quem ela forma um casal, também tem péssimo caráter e nenhum escrúpulo. Ele vive sob falsa identidade e tem o dom de enganar as pessoas à sua volta. Alexandra e Dorotéia sentem muita necessidade de controlar e manipular pessoas. O poder, em todos os seus níveis, é a mola propulsora para as vilanias da novela. Acho que bons folhetins têm grandes vilões.

Continua >>