Reportar erro
Positivo

Com pandemia do coronavírus, Netflix ganha 16 milhões de assinantes

Expectativa que índice também cresça no segundo trimestre

Logotipo Netflix
Netflix teve novos assinantes - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 22/04/2020 às 11:10:00

A Netflix ganhou milhões de assinantes no período da quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus. Nos primeiros três meses de 2020, a plataforma de streaming quase que dobrou o número de novos clientes em comparação com a previsão feita por especialistas.

De acordo com o site norte-americano TVMoJoe, a empresa conquistou cerca de 16 milhões novos consumidores em todo planeta, sendo que a estimativa dos analistas era de aproximadamente oito milhões, conforme informou a empresa de pesquisas FactSet.

Com o crescimento de assinantes, automaticamente a Netflix viu suas ações dispararem na bolsa de valores. A plataforma de streaming subiu mais de 35% e no after-market o avanço acabou sendo de 4%.

A maioria dos novos clientes veio da América Latina – cerca de 3 milhões – mas o crescimento não impediu que a empresa tivesse impacto na receita por causa da valorização do dólar.

No Brasil, um dos países que mais consome as produções da Netflix, a assinatura é de R$ 33, valor que representava US$ 8,50 no primeiro semestre do ano passado. Agora, o pacote básico brasileiro vale um pouco mais de US$ 6,50.

Segundo dados do IBES, do Refinitiv, a empresa esperava arrecadar entre janeiro e março deste ano uma média de US$ 5,76 bilhões, mas alcançou US$ 5,77 bilhões, ou seja, mesmo com o disparo de assinantes, não houve um aumento tão significativo na arrecadação.

Netflix: principal entretenimento

De acordo com dados da FactSet, o setor acreditava que as assinaturas de streaming iriam cair, porque as pessoas costumam cortar este tipo de produto em momentos de crise. Entretanto, com as pessoas sendo obrigadas a ficarem em casa por causa da quarentena, a Netflix e outras plataformas de vídeos se tornaram as principais formas de entretenimento.

Agora a empresa espera que mais de sete milhões de pessoas façam suas assinaturas no segundo trimestre. Caso essa nova previsão se cumpra, irá superar a primeira estimativa, que era de um pouco mais de 3,5 milhões.

Mais Notícias