Desabafo

Padre Fábio de Melo fala sobre depressão: "Ficava horas pesquisando formas de morrer"

Religioso falou sobre fase difícil de sua vida

Padre Fábio de Melo fala sobre depressão:
Padre Fábio de Melo - Foto: Montagem/Reprodução

Publicado em 23/07/2020 às 16:53:54 ,
atualizado em 23/07/2020 às 16:59:50

Por: Redação NT

Nesta quarta-feira (22), o Padre Fábio de Melo participou de uma live com Felipeh Campos no Instagram do jornalista e, entre os assuntos abordados, o religioso falou sobre um momento difícil de sua vida, há três anos, quando passou por uma depressão e chegou a pensar em suicídio.

"Você chegou a pensar em suicídio, padre?", questionou Campos. "Há três anos, sim. Quando eu tive a minha crise pior, eu não pensava em outra coisa. Eu ficava horas e horas do dia e da noite pesquisando na internet formas de morrer. Foi uma sombra muito difícil de ser enfrentada, um período extremamente doloroso pra mim", respondeu.

A pergunta surgiu após o padre contar que a sua maior preocupação nesse período de quarentena era conseguir controlar a sua saúde mental. "Minha maior preocupação foi contornar aquilo que eu sei que é uma fragilidade minha, a minha saúde emocional, que foi um grande dilema pra mim, há três anos, quando eu tive a síndrome do pânico e a depressão...", disse.

Padre Fábio de Melo na luta contra depressão

O convidado do colunista do programa A Tarde é Sua também contou que tomou decisões importantes para ajudar no tratamento. Um deles foi parar a música e se dedicar a si mesmo. Estava tudo ocorrendo bem, quando chegou a pandemia, que o deixou preocupado.

"Tinha programado estudos, ficar um tempo fora do Brasil estudando e nada disso foi possível. Eu precisar administrar a ansiedade de não poder concretizar aquilo que eu havia planejada. Eu tinha muito receio do fato de não poder dar continuidade àquilo que estava sendo tão esperado por mim, tinha muito medo que essa ansiedade de ficar trancafiado pudesse ser um gatilho para voltar à síndrome do pânico e ao processo de depressão. Então minha primeira preocupação foi: eu preciso ficar bem, preciso recrutar em mim aquilo que eu sei que seria capaz de me manter vivo emocionamento nessa época".






Siga o NaTelinha nas redes sociais


Reportar erro

LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!