Âncora do JN

Renata Vasconcellos por trás das câmeras: Atriz e apaixonada pelo campo

Jornalista passou um susto nesta semana, bem no dia do aniversário

Renata Vasconcellos por trás das câmeras: Atriz e apaixonada pelo campo
Renata Vasconcellos é muito mais que âncora do Jornal Nacional - Foto: Divulgação

Publicado em 14/06/2020 às 06:44:59

Por: Daniel César

A âncora do mais importante telejornal do país, o Jornal Nacional, Renata Vasconcellos completou 48 anos na semana passada e se viu envolvida numa situação delicada – um homem invadiu a TV Globo e seqüestrou uma repórter porque queria ver a jornalista. Aparecendo diariamente para milhões de brasileiros, por trás das câmeras a profissional é muito diferente do que se imagina e chegou a ser atriz, além de mãe e apaixonada pelo campo.

Renata está no jornalismo desde 1996, quando passou num processo seletivo para entrar na equipe do recém-criado canal de notícias da Globo para a TV fechada, a GloboNews. Mas sua carreira começou um pouco antes, como modelo e atriz. Em 1995, um ano de assumir a função no jornalismo televisivo, ela fez figuração em duas novelas da emissora carioca: A Próxima Vítima e História de Amor, além de aparecer em alguns comerciais.

Mas foi na carreira de jornalista que ela se completou e teve um crescimento meteórico. Se em 1996 entrava no ar pela primeira vez, no ano seguinte passou a fazer parte dos apresentadores eventuais do Jornal Hoje, chegando a se tornar âncora e chefe do JH por um período até Sandra Annemberg assumir o posto.

Se como jornalista Renata é imbatível e deu identidade ao Bom Dia Brasil, onde ficou de 2003 a 2013, ela também se completa na vida pessoal. Mãe de dois filhos homens, fruto do primeiro casamento, a apresentadora é a mãe típica. “Adoro ser mãe de meninos. Sinto-me protegida e acarinhada por eles, que são muito companheiros. Claro, de vez em quando sou chamada ao colégio, mas nada grave. Como toda mãe, o que me assusta é a violência. O mundo está repleto de perigos e delícias, e é preciso prepará-los para fazer as escolhas certas. Acredito que lá na frente eles saberão distinguir o certo do errado. Tento passar os princípios que me são mais caros e a importância da ética”, comentou ela em entrevista à revista Cláudia, em 2014. Atualmente, ela está no segundo casamento, com um diretor da GloboNews.

Ao deixar o Bom Dia Brasil, local onde permaneceu por mais tempo, Renata deu um giro na carreira ao assumir a titularidade no Fantástico e precisava mostrar um lado mais despojado. À época, foi questionada sobre a mudança, pois seria vista por mais gente e como celebridade, o que ela negou. “Detesto essa palavra: celebridade. Sou e continuarei sendo jornalista”.

Renata Vasconcelos: tímida e bucólica

Mesmo antes de assumir o maior desafio de sua carreira e se tornar âncora do Jornal Nacional, em 2014, Renata sempre gostou de fugir da vida urbana e correr para o sítio. “Adoro mato. Sempre que posso, vou para minha casa no campo mexer com as plantas. Tenho uma horta. Não há nada mais gostoso do que colher um pé de alface fresquinho. À noite, ouço os grilos, vejo o céu estrelado… No Rio, gosto de fazer programas com meus filhos”, afirmou na mesma entrevista.

Renata se diz tímida. “Sempre fui e ainda sou uma pessoa tímida. Surpreendi minha família quando comecei a trabalhar na Rede Globo. Entrei como estagiária e esperava ficar atrás das câmeras, mas acabei na bancada. Hoje superei e já consigo falar para plateias. Mas uma coisa é falar as notícias do país e do mundo, outra é falar a respeito de si mesma. Nesse ponto, ainda sou mais retraída”, comentou para a Cláudia.

Renata Vasconcellos x Jair Bolsonaro

Mas a timidez não a impediu de ter um grande embate com o então candidato a presidente da república, Jair Bolsonaro, durante sabatina para o JN. Quando Bolsonaro defendeu a diferença salarial entre homens e mulheres, justificou que existiria uma possível discrepância entre o salário dela e o do colega, William Bonner.

Renata foi taxativa e não perdeu a chance de responder. “Eu poderia como cidadã, e como qualquer cidadão brasileiro, fazer questionamentos sobre os seus proventos porque o senhor é um funcionário público, deputado há 27 anos, e eu, como contribuinte, ajudo a pagar o seu salário. O meu salário não diz respeito a ninguém. E eu posso garantir ao senhor, como mulher, que jamais aceitaria receber um salário menor de um homem que exercesse as mesmas funções que eu”, cravou, mostrando que, mesmo tímida, é firme.

publicidade




LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!