Esclarecimento

Atacada na internet, Fernanda Gentil se defende e diz que entrevista foi editada

Apresentadora usou as redes sociais para falar sobre o assunto


Fernanda Gentil
Fernanda Gentil - Foto: Reprodução/Instagram

Na noite do último domingo (27), a apresentadora Fernanda Gentil usou o Instagram para se defender da polêmica em que se envolveu na web por conta da entrevista concedida à jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.

A global contou aos seus seguidores que se surpreendeu com a repercussão da reportagem, onde afirmou que respeita “quem infelizmente é racista” e “quem acha um crime beijo gay”, apesar de não concordar com a violência.

Outro ponto que fez internautas repercutirem a conversa foi o fato dela deixar claro que não torce para que seu filho seja gay, “porque o Brasil não é um ambiente 100% seguro”.

“Ainda agora li que eu ‘falei’ sobre respeito à homofobia e ao racismo. No mínimo, me confundiu muito. E me deixou assustada. Mas vi que assustou muita gente também, então me aliviou; sinal de que concordamos sobre coisas importantes, e discordamos de outras fundamentais”, publicou Fernanda Gentil.

A apresentadora do Se Joga se mostrou um pouco incomodada com a edição da entrevista, explicando que o contexto a fez se tornar uma pessoa com opiniões absurdas. “O que aconteceu foi que eu falei por duas horas na entrevista, um papo bem sincero e legal, mas ele só cabe em uma página. Então frases, vírgulas e pontos são cortados, é normal. Uma ponta cola na outra e cria-se um novo contexto. E nesse novo contexto eu virei dona de uma ideologia absurda”, desabafou.

Sobre o tema de racismo e homofobia, Fernanda deixou claro que não respeita quem pratica isso, mas gosta de escutar as opiniões diferentes. “O que eu respeito são as diferentes nuances de um assunto, até porque eu também tenho as minhas, e são diferentes de um monte de gente, e exijo respeito. Respeito o debate, por exemplo, sobre a bandeira - talvez eu levante menos bandeira do que uns gostariam, e muito mais do que imaginariam. Respeito. Mas o importante, para mim, é não abaixar a bandeira - isso seria, por exemplo, viver escondida, o que nunca passou pela minha cabeça”, disse.

Ela completou o texto deixando claro que não é favorável a qualquer tipo de preconceito. “Pra quem me atacou, concordo com você. Eu também não me vi naquele lugar. Mas tá explicado. Pra quem concordou com o que deu a entender por aquela frase, desculpa, mas nós não temos nada a ver. Esse é o lado ruim da força. Eu sou do lado bem oposto a ele”, finalizou.

Confira o texto de Fernanda Gentil na íntegra:

Entenda a polêmica envolvendo Fernanda Gentil

Fernanda Gentil causou controvérsias ao comentar temas polêmicos. Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a apresentadora falou sobre os baixos índices de audiência do Se Joga e colocou o dedo em várias feridas. Em um dos trechos mais polêmicos da conversa, ela afirmou que não torce para que seu filho seja gay.

"Não vou botar meu filho [vestido] de rosa só pra mostrar que eu sou ‘modernosa’ e que eu estou nessa bandeira. Não vou botar um filme gay pra ele ver. Ele vai vestir porque gosta. Vai amar alguém porque ama, porque tem uma essência parecida. Depois, por fora, ele vai ver qual é a dele, se é a mulher ou se é o homem", disse a apresentadora.

Ela também revelou que não torce para que o filho seja gay. Isso porque, segundo Fernanda, o Brasil não é um país seguro para homossexuais. "Vou amar de qualquer jeito, até se ele disser que gosta de cachorro. A minha luta é para que eu viva num país que me dê segurança de saber que eles estão seguros com qualquer escolha deles", afirmou.

Outro trecho da entrevista teve grande repercussão nas redes sociais. "Respeito quem acha um crime ter o beijo gay. Agora, não vai bater em quem beija, entendeu? [Respeito] quem infelizmente é racista. Agora, vai discriminar, bater, matar porque é de outra cor? Aí não", defendeu Fernanda.

Por conta da entrevista, o nome de Fernanda Gentil figurou entre os assuntos mais comentados na internet neste domingo (27). Nas redes sociais, os internautas questionaram as opiniões controversas da apresentadora, afirmando que ela prestou um desserviço.

Mais Notícias
Outros Famosos