Polêmica

Após perder contratos, MC Gui fala ao vivo no Balanço Geral: "Tenho que aprender"

Funkeiro falou com Geraldo Luís, Fabíola Reipert e Renato Lombardi

Após perder contratos, MC Gui fala ao vivo no Balanço Geral:
MC Gui participou ao vivo do Balanço Geral após toda a confusão. Foto: Divulgação

Publicado em 22/10/2019 às 15:03:35 ,
atualizado em 22/10/2019 às 15:16:09

Por: Naian Lucas com Redação NT

O imbróglio envolvendo o nome de MC Gui continua dando o que falar. Depois de gravar um vídeo em que parecia estar zombando de uma criança e ser massacrado nas redes sociais, o funkeiro falou pela primeira vez na TV sobre o caso em entrevista ao vivo no Balanço Geral desta terça-feira (22).

Por vídeo-conferência, Gui apareceu diretamente de Orlando, onde passa férias, e falou no quadro A Hora da Venenosa, com Geraldo Luís, Fabíola Reipert e Renato Lombardi. Logo no começo, o MC aproveitou para tentar esclarecer exatamente o que aconteceu.

“Essa família estava fantasiada e desde o momento que eles entraram a menininha ficou no canto dela quietinha. Eu não consegui enxergar se ela estava constrangida com alguma coisa. Quando eu gravei ela pode sim ter se sentido constrangida”, afirmou, entendendo que a criança pode ter ficado sem jeito com a situação.

Mas ele foi taxativo ao explicar que não teve a intenção de humilhar a menina.  “Eu nunca quis e nunca na minha vida vou querer gravar alguém pra constranger. Porque eu sou totalmente contra isso. A gente não riu em tom de deboche. Em nenhum momento a gente queria debochar de alguma criança. Muita gente interpretou dessa forma, foi um momento infeliz e inoportuno que aconteceu o vídeo, mas em nenhum momento eu quis debochar da cara dela", prosseguiu.

Neste ponto, Gui tentou contextualizar as motivações de seu vídeo e explicou que a criança estava fantasiada de uma personagem do filme Monstros S/A. “Quando eu viajo pelos EUA eu passo pelas ruas e vejo cenários de filmes que eu vejo no Brasil. Foi mais ou menos esse o comentário, não foi o comentário pra dizer que ela era assustadora. A gente comentava sobre os personagens que a gente estava enxergando na família. A família estava caracterizada como personagens do filme Monstros S/A, a gente nunca quis zombar do ser humano”, cravou.

O cantor continuou: “Ela estava com uma roupa de um personagem do Monstros S/A. Uma criança com o cabelo amarrado igual ao da Chiquinha. Era um personagem do filme porque a mãe também estava fantasiada. Mas não justifica, foi um momento infeliz, eu assumo e peço perdão. Não estou aqui pra justificar meu erro e dizer que não sou essa pessoa que estão tentando mostrar. Todo mundo que me conhece sabe que não sou essa pessoa. Só quero pedir perdão por este momento”.

MC Gui demonstra preocupação com a família da criança

Questionado por Fabíola Reipert como estava lidando com o fato de que perdeu shows e até patrocínio após o ocorrido, o jovem foi enfático: “Eu me preocupo mais com saúde que qualquer tipo de show. Eu estou aqui de boca cheia falando do meu coração porque o ser humano tem coisa que precisamos viver pra aprender. E tem muita coisa que tenho que aprender porque sou ser humano e erro. Estou sempre aprendendo. É triste, é ruim, é dolorido aprender assim. Não só pra mim, mas pra criança e pra família dela”.

MC Gui garantiu ainda que quer encontrar com a menina, numa campanha já iniciada por sua mãe, e se disse incomodado com o julgamento que as pessoas estão fazendo da criança no Brasil, afirmando que ela está doente sem que se saiba da verdade. “Eu queria realmente encontrar essa família pra poder conversar. Porque estou muito triste pelo que as pessoas estão postando porque muita gente está julgando a aparência dessa menina e eu não fiz isso”, bradou.

Por fim, o cantor fez questão de se desculpar por toda a situação: “E quero pedir desculpas, pedir perdão à família por tudo o que está acontecendo. Porque eu expus a menina de forma errada”.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!