Nova Mania pop

BTS: Como surgiu a banda sul-coreana fenômeno teen em todo o mundo

Grupo de k-pop surgiu com ajuda do governo da Coreia do Sul e influencia o mercado

BTS: Como surgiu a banda sul-coreana fenômeno teen em todo o mundo
BTS faz parte da cultura k-pop da Coréia do Sul - Foto: Divulgação

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 09/06/2019 às 09:10:00

Depois do Menudo, New Kids on the Block, Backstreet Boys, NSYNC e One Direction, a nova boy band que vem enlouquecendo os adolescentes com um estilo extravagante é a BTS.

Formado por Jin, Suga, J-Hope, RM, Jimin, V e Jungkook, o novo fenômeno teen, ao contrários do seus antecessores no cenário pop, não surgiu no ocidente. 

O BTS foi criado através de incentivos do governo sul-coreano na cultura popular do país, apelidado de k-pop. O grupo vem faturando milhões na música e em produtos licenciados.

No final do século passado, a Ásia passava por uma forte crise e a Coréia do Sul resolveu investir na indústria criativa para alavancar o turismo no país.

O Ministério da Cultura ganhou uma verba maior e passou a investir. Se antes o país era conhecido por ser moralista, censurando canções, a nova mentalidade era apoiar qualquer estilo musical com subsídios e promoção de festivais. A maior beneficiada acabou sendo a música pop.

Em 2005, o governo informou a criação de um fundo de U$S 1 bilhão voltado ao k-pop, de acordo com dados do Ministério da Economia da Coréia do Sul. Neste período, o país era apenas o 30º principal mercado de música do mundo. Em 2017, alcançou a sexta posição, ultrapassando o Brasil, que atualmente é a décima colocada, segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica.

Lembra do fenômeno “Gangnam Style”, do cantor Psy? Nada foi por acaso. O artista faz parte dessa indústria e recebeu enorme apoio dos administradores públicos da Coréia do Sul para ultrapassar barreiras e tocar nas principais casas noturnas do mundo.

O bairro Changdong, em Seul, tem se planejado para se transformar no distrito do k-pop. Casas de shows, estúdios, lojas e arena para mais de 20 mil pessoas estão sendo construídas para ser inaugurada na próxima década.

O BTS e sua importância

Se o investimento das empresas e do governo sul-coreano é alto, o retorno do k-pop é maior ainda. No estilo musical, o BTS é o principal chamariz, pois consegue movimentar, diretamente e indiretamente, cerca de US$ 4 bilhões ao ano na economia do país. Pelo menos é o que diz o Ministério da Economia sul-coreana.

O mercado turístico é o maior beneficiado com a banda. Isto porque, de acordo com o Instituto Hyundai, 1 a cada 13 turistas citou o grupo como principal motivo para viajar a Coréia do Sul. Houve um crescimento 200% nos últimos 15 anos, saltando de 5 para 15 milhões, de acordo com os Ministérios do Turismo do Brasil e da Coreia do Sul, além da Organização Mundial do Turismo.

O BTS já se posicionou politicamente. A tragédia de Sewol Ferry fez com que políticos tentassem esconder o fato, mas o conjunto doou US$ 100 mil para beneficiar as famílias vítimas do fato. Eles também doaram sete toneladas de arroz para caridade em 2015. O caso foi relatado pela imprensa sul-coreana.

O auge em termos políticos ocorreu em 2017, quando formou parceria com a UNICEF e criou a campanha contra a violência infantil. “O BTS não pode mudar o mundo todo, mas podemos fazê-lo um pouco melhor para quem nos ama”, declararam em coletiva de imprensa.

Vale ressaltar que o BTS tem bonecos, camisetas, reality show, documentários, enfim, os cantores conseguem movimentar a indústria criativa sul-coreana como poucos, não a toa é, atualmente, o principal fenômeno do país artisticamente e cultural.

Novas estrelas

O BTS não é o único grupo da cultura k-pop. Somando todos os cantores do estilo musical, cerca de US$ 18 bilhões são movimentados na economia da Coréia do Sul, de acordo com dados da União da terra asiática. Os artistas ainda foram responsáveis por ajudar na melhora de relação com a vizinha do Norte. Em 2018, o ditador Kim Jong-Um permitiu que diversos shows fossem feitos no país.

Com todo esse fenômeno, crianças e adolescentes procuram uma forma de serem as novas estrelas. Por conta disso, foi criado cursos e escolas para ser um ídolo. Essas instituições custam cerca de US$ 500. Os alunos aprendem como funciona a indústria fonográfica sul-coreana.

São cerca de nove anos para se formar. Dentes, cabelos e roupas são arrumados. Eles aprendem a serem claros na hora de se comunicar. O trabalho é feito durante longas horas e namoros são proibidos para não perderem o foco. Após todo esse processo, finalmente as novas estrelas são apresentadas ao público.

Mesmo dando enorme incentivo, o governo precisa sempre encontrar a distância cerca para não controlar os produtores. No começo do ano, ao alertar que os k-pop eram semelhantes e não representava todos os padrões físicos dos sul-coreanos, enviando diretrizes as televisões do país, políticos de oposição consideraram o fato uma intromissão e um ato de censura. A União voltou atrás.

Os fãs

Não há nada de diferente entre os fãs dos Beatles nos anos de 1960 com os do BTS. A intenção não é comparar o estilo musical, mas o fanatismo. Os admiradores ficam enlouquecidos pela beleza e fazem de tudo para ficarem próximos dos seus ídolos, seja indo aos shows, ouvindo suas canções e/ou até mesmo se vestindo iguais a eles.

“Eu amo demais o BTS. Eles são lindos, simpáticos e cantam muito”, disse Mariane Costa. “Gosto dos k-pop e o BTS é meu favorito. Eles dançam muito e são bonitos demais”, afirmou Renata Pires Motta.

Esses comentários podem ser escutados em escolas e também nas redes sociais. “Grupo que tem sete caras incríveis, são lindos e talentosos, pavimentou pra outros grupos, tá fazendo história, fenômeno musical da atualidade, os membros se completam em tudo, ama as fãs e se chama BTS”, disse um internauta.

“Às vezes eu me pergunto como a bighit foi reunir as sete melhores pessoas do mundo pra formar um grupo? Eles são lindos não só por fora, mas por dentro sempre se preocupando com os outros, talentosos simplesmente sete anjos” falou outro seguidor.

Conheça os sete integrantes do BTS

Jin

País de origem: Coréia do Sul

Data de nascimento: 04 de dezembro de 1992

Idade: 26 anos

Ele é o vocalista e considerado pelos produtores o integrante com a melhor aparência. O artista também compõe e dança.

Suga

País de origem: Coréia do Sul

Data de nascimento: 09 de março de 1993

Idade: 26 anos

Um dos responsáveis por criar o momento de rapper. Sua principal característica fora dos palcos é o discurso direto e de fácil compreensão.

J-Hope

País de origem: Coréia do Sul

Data de nascimento: 18 de fevereiro de 1994

Idade: 25 anos

É dançarino e rapper. Ele admite que passa horas ensaiando, mas detesta fazer exercícios físicos e ir a academia. O jovem é integrante também do grupo NEURON.

RM

País de origem: Coréia do Sul

Data de nascimento: 12 de setembro de 1994

Idade: 24 anos

É rapper e tem colaborado com muitos artistas coreanos e americanos. Apelidado de rap monster, tem seus trabalhos individuais.

Jimin

País de origem: Coreia do Sul

Data de nascimento: 13 de outubro de 1995

Idade: 23 anos.

Cantor e dançarino, tem como característica um estilo suave e sensual, causando alegria entre as fãs. É considerado pela crítica musical sul-coreana como o melhor dançarino do BTS. É comum os k-idols pintarem os cabelos, mas o castanho dourado de Jimin foi copiado por diversos fãs.

V

País de origem: Coreia do Sul

Data de nascimento: 30 de dezembro de 1995

Idade: 23 anos

Vocalista e ator, participou da série “Hwarang: The Beginning”. É também compositor e escreveu diversas canções do BTS.

Jungkook

País de origem: Coréia do Sul

Data de nascimento: 01 de setembro de 1997

Idade: 21 anos

No BTS, Jungkook ganhou o título de “Golden Maknae” por causa das suas habilidades de canto, rap, dança e composição. Sua voz é considerada suave e macia. Mesmo sendo da Coréia do Sul, o cantor ficou 10 semanas seguidas na primeira colocação como artista mais amado da China.

Confira o clipe da música "Boy With Luv"  

Lançado no YouTube em abril deste ano, em parceria com a cantora norte-americana Halsey, o vídeo acumula quase 400 milhões de views.


publicidade

TAGS:

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!