Reportar erro
8 de março

Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa e o Dia Internacional da Mulher

Como comemorar a data em meio a tantas polêmicas

Marina Ruy Barbosa e Bruna Marquezine
Fotos: Divulgação
Laís Lubrani

Publicado em 08/03/2019 às 12:00:00

Recentemente, duas jovens atrizes da Globo estiveram no foco dos sites de fofoca. E ambas as polêmicas mostraram ao público que as mulheres ainda têm muito pelo que lutar.

Marina Ruy Barbosa foi tachada como pivô da separação entre José Loreto e Débora Nascimento. Segundo informações extraoficiais, a atriz foi jogada aos leões por uma amiga e apesar de não ter nada a ver com a história, a jaula dos felinos continua aberta pra quem quiser se arriscar.

Bruna Marquezine, também segundo informações, esteve no mesmo camarote de Neymar e Anitta no Carnaval e saiu aos prantos ao flagrar um beijo entre o ex e a funkeira. E aí?

E aí, meus caros, é que venho lhes pedir atenção. Ao que tudo indica, o Dia Internacional da Mulher iniciou por uma luta para que ela pudesse ter direito a voto. Hoje, a mulher já pode ir para as urnas, mas não pode ter o direito a fazer par romântico com um recém-separado e nem estar no mesmo local do ex. Se fizer tais atitudes, será julgada e desrespeitada como Marina e Bruna foram.

Assim, nós vemos que esse dia 8 de março vai muito além do "Mexeu com uma, mexeu com todas", campanha que muitas celebridades fizeram para se mostrar contrárias ao assédio de José Mayer, denunciado por uma funcionária da Globo. A data também vai além da tela da TV, ou da internet.

Porque afinal, Brunas e Marinas existem muitas. A diferença é que a Marquezine e a Barbosa são públicas  e no momento, em vez de servirem como exemplo para o extermínio de muitas atitudes impensadas, viram motivo de deboche, chacota, pena ou indignação. E isso precisa inflamar e explodir de forma positiva a uma transformação por completo da sociedade.

Estamos no Dia Internacional da Mulher de 2019 e já passou da hora de o público entender que "a vida de uma mulher não gira em torno de homem" - já diria num post curtido por Bruna no Twitter. E que também precisa compreender que "em uma sociedade que estimula a competição entre nós (mulheres), a sororidade vai na contramão desse conceito", já dizia Marina, em seu Instagram.

E que digam outras. Onde e como bem entenderem. Mas que digam, mesmo. Porque chega de celebrar a  data sem ter muito o que comemorar. Ainda assim, essa colunista deseja a todas as mulheres um dia maravilhoso e cheio de reflexão.

Mais Notícias