Enfoque NT

Horário ingrato e fator Band fizeram "O Aprendiz" não ultrapassar 1 ponto

"O Aprendiz" voltou após cinco de descanso: resultado no Ibope foi pífio

Horário ingrato e fator Band fizeram
"O Aprendiz" ao lado de seus conselheiros, José Roberto Marques e Vivianne Brafmann - Reprodução/TV Bandeirantes

Publicado em 01/07/2019 às 10:41:46 ,
atualizado em 01/07/2019 às 12:29:50

Por: Thiago Forato

Um dos realities mais exitosos da Record na década passada, "O Aprendiz" regressou à televisão pela Band em março e talvez nem os mais pessimistas esperassem que o programa apresentado por Roberto Justus sequer ultrapassasse a marca de 1 ponto de audiência na Grande São Paulo. Sua final acontece na noite desta segunda-feira (1º).

Foram cinco anos de hiato, tempo suficiente para uma volta triunfal, se não fosse pelo horário ingrato e a limitação do reality estar na Band, onde seu carro-chefe ("MasterChef"), por exemplo, não ultrapassa os 4 pontos. Não há muito para onde crescer.

"O Aprendiz", que estreou em um tempo onde a Record estava "rumo à liderança", conseguia audiências de dois dígitos em seu auge e até mesmo o primeiro lugar em determinadas ocasiões. Desacreditado por não ter tanta a cara da TV aberta e ser um conteúdo mais cult, o programa surpreendeu. Não à toa teve 10 temporadas na Record em 10 anos.

Um audiência cativa e satisfatória aliada a um bom rendimento comercial é o tipo de atração perfeita. Na Band, não houve o primeiro item. Não passou perto.

Segunda-feira

Colocado para concorrer com atrações consolidadas como o "Programa do Ratinho", no SBT, e "Tela Quente", da Globo, "O Aprendiz" não teve poder de fogo.

Apostando em 18 influenciadores digitais, o público desses participantes não se converteram em audiência, o que também era óbvio: seus fãs provavelmente viram o programa pela internet.

Roberto Justus teve a responsabilidade de retornar ao formato que o consagrou e ser tão duro quanto no tempo da Record. Não conseguiu. Lidando com personalidades que atraíam uma legião de seguidores, Justus teve espasmos que lembraram a época de ouro de "O Aprendiz", mas sua acidez diminuiu consideravelmente.

Sem poder empregar ninguém já que se aposentou do mundo corporativo, o principal objetivo do programa se perdeu. Restou apenas à produção tentar elaborar boas provas (conseguido com sucesso, diga-se) e ter conselheiros contundentes que pudessem agregar ao reality.

O conjunto da obra não foi suficiente para fazer "O Aprendiz" decolar e ele se estagnou.

A final vai ao ar nesta segunda-feira (1º) a partir das 22h30. Disputam o prêmio de R$ 1 milhão Gabi Lopes, Erasmo Viana e Gabriel Gasparini. O anúncio será feito durante sala de reunião ao vivo.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!