Thiago Forato
Reportar erro
Enfoque NT

As adversidades que fazem o "Programa do Porchat" empacar no Ibope

A coluna "Enfoque NT" analisa desempenho de talk-show da RecordTV

fabioporchat_219856fdd48f15a885ed0c5555e26babbd1ea3e2.jpeg
Record TV
Thiago Forato

Publicado em 25/05/2017 às 11:50:53

No ar desde agosto do ano passado, o "Programa do Porchat" foi uma das atrações mais alardeadas pela RecordTV.

Sempre recebendo convidados de peso, isso não tem sido suficiente para deixar o canal de Edir Macedo numa posição confortável no Ibope. Pior, Porchat fica atrás constantamente do SBT e não raramente, até da Band, com o "MasterChef" às terças-feiras.

A explicação mais plausível é a de que não há como fazer o milagre da multiplicação no horário em que é exibido, entre 0h15 e 1h15. O humorista recebe em baixa e o público da faixa não zapeia com frequência por um motivo: as outras atrações já estão embaladas. Além de que, evidentemente, as pessoas vão dormir.

Na últimas três segundas-feiras, por exemplo, o "Programa do Porchat" registrou 3 pontos no Ibope. Ele recebe do "Dancing Brasil", assim como o "The Noite", do SBT, recebe do "Máquina do Fama". Nesses três dias, os números foram os mesmos: 3 pontos no arredondado do Ibope, em suas respectivas médias fechadas.

Na terça, a concorrência é ainda mais agressiva, com os filmes reprisados do SBT e o campeão de audiência "MasterChef". Não à toa, o talk-show da RecordTV já amargou o quarto lugar. Porchat entra no ar com um filme na última hora (geralmente de ação) e com o reality da Band já embalado, minando qualquer possibilidade da atração ter um desempenho muito diferente.

Já às quartas e quintas-feiras, é onde ele pode tentar ir um pouco melhor e emparelhar a disputa com concorrentes não tão ferozes, recebendo de Gugu Liberato  e do "Power Couple Brasil".

No dia em que o "The Noite" recebe com uma audiência parecida com a de Porchat, na segunda, seus desempenhos são extremamente similares.

É claro que não se pode eximir a responsabilidade de Fábio Porchat, mas há que se ver todo o contexto. Um programa de final de noite jamais alavanca o programa anterior. Tampouco mantém. Ele apenas acompanha o ritmo e os números daquilo que o antecederam, com raras exceções.

A queda gradativa dos números na faixa é natural, e o recém estreado "Conversa com Bial", com a derrota da última terça (23), é um exemplo disso.

Potencial, o programa tem. O entrevistador tem evoluído e a produção tem se empenhado em não cair na rotina. O que não dá pra esperar é uma performance muito diferente disso numa faixa horária repleta de adversidades e tão variável.


As adversidades que fazem o \"Programa do Porchat\" empacar no Ibope

Mais Notícias