Monalisa Perrone é a melhor surpresa da transmissão do Carnaval de SP

Confira mais um texto da coluna "Território da TV"

Fotos: Reprodução

Publicado em 02/03/2014 às 17:31:12

Por: Lucas Félix

Monalisa Perrone não é exatamente uma novata quando falamos em Carnaval paulistano. Pelo contrário. A simpática jornalista que ganhou evidência nacional pelo lamentável episódio em que seu link foi invadido durante o “Jornal Hoje” (e originou a espantada reação “Que deselegante!” por parte de Sandra Annenberg) já frequentava a reportagem dos desfiles no Anhembi há muitos anos. Mas os poucos minutos no ar em metade das transmissões ainda não haviam feito jus ao talento da âncora eventual do “SPTV”.

Agora apresentadora da festa por toda a noite, Monalisa injetou gás numa cobertura que é naturalmente cansativa e se mostrou mais uma grata surpresa levada do jornalismo ao entretenimento (mesmo que temporariamente) pelo diretor Boninho, que já colocou Glenda Kozlowski no comando do "Hipertensão" e tem Tiago Leifert apresentando o "The Voice Brasil".

"Monalinda", como foi chamada por muitos nas redes sociais em uma corrente que chegou inclusive ao telão da emissora e foi lida por Chico Pinheiro, mudou o clima da folia com o seu estilo despojado e um tom mais conversado, se diferenciando da narração “de rádio” que foi feita por algumas de suas antecessoras, que também possuem muito talento, mas não para festa momesca.

Só que não foram somente os atributos jornalísticos da profissional que foram destacados na web. O internauta Tiago Pereira sugeriu que uma eventual escola “Unidos da Monalisa Perrone” tiraria somente notas 10. Brenno Henrique questionou “quando é que a Monalisa desfila?”. Esses posts não chegaram a entrar no ar, mas o estilo de leitura das mensagens que foram para tela mereceu menção de Thiago Cipriano, que classificou as falas como “sensacionais”.

E foram mesmo. Se os tweets surgiam apenas como poluição visual nos tempos de outrora, dessa vez ganharam voz e foram integrados com o que era narrado no momento. Além de incentivarem a repercussão na rede, passaram a ter sentido no ar. Mais uma bela sacada.

Uma pena é que as notas dadas pelos internautas e que foram incorporadas para avaliação dos atletas nos jogos de futebol tenham sumido e dado lugar a um ineficiente torcedômetro, que mostrava o clima “pegando fogo” para praticamente todas as escolas.

E não foi só o público virtual que foi citado. A “co-irmã” SBT foi anunciada por Chico Pinheiro quando se mostrou uma alegoria do palhaço Bozo. O mesmo citaria também o "Pânico" ao elencar os trabalhos da carreira de Sabrina Sato.
 


Aliás, se conste que Chico não ficou devendo em nada para colega. Apenas não é nenhuma surpresa por já mostrar sua competência na agora finada Esquina do Samba há anos. O gaúcho que foi criado em Minas abriu largo espaço para seus causos e se emocionou junto com um garoto ao saudar a permanente renovação da maior festa popular do planeta.

Outra “veterana” que seguiu afinada foi a comentarista Paula Lima, que chegou a ser jurada do “Ídolos” na Record. Agora com ela e os outros comentaristas unidos aos apresentadores no mesmo estúdio, as observações pontuais foram feitas de forma mais coerente.

Destaca-se ainda que números, históricos e outros dados vazios e pré-produzidos cederam espaço para quase absoluta falta de roteiro. Analisando textualmente, muito do que se falou pode ser considerado irrelevante. Mas justamente essas irrelevâncias soavam interessantes ao público que acompanhava os desfiles ao vivo.

Em seus tradicionais postos, respectivamente no meio do povão e ao lado do relógio, os folclóricos Márcio Canuto e Maurício Kubrusly garantiram a dose de empolgação exacerbada. Ainda seguindo os desfiles de pertinho, os repórteres que mais se destacaram em suas inserções foram o sempre competente José Roberto Burnier, Michelle Barros, Phelipe Siani, Veruska Donato e Daiana Garbin.

Apesar do êxito, a transmissão também teve seus deslizes. Monalisa se enrolou ao pronunciar “hashtag” e o áudio chegou a vazar por alguns instantes enquanto deveria estar uma vinheta no ar. A revelação feita nesses segundos? Que o estúdio estava “geladíssimo”. Mas quem liga para isso quando o positivo saldo foi suficiente para esquentar o público de casa e reverter a tendência histórica de queda da audiência? A julgar pelos números e elogios, teremos mais Monalisa Perrone e Chico Pinheiro no Anhembi em 2015. Ainda bem!

Em tempo 1: Para os mais apressados, Monalisa anunciou ao final desse sábado que estará ao lado de Carlos Tramontina na terça (04) para cobrir a apuração das notas.
 


Em tempo 2: O êxito da dupla “paulista” joga ainda mais expectativa para o badalado retorno de Fátima Bernardes ao Carnaval carioca em dobradinha com Luis Roberto. Ontem, a antiga apresentadora do “Jornal Nacional” voltou a surgir no “JN” em matéria de Pedro Bassan que apresentou as novidades do Rio. Será que elas terão o mesmo sucesso?

 

No NaTelinha, o colunista Lucas Félix irá mostrar um panorama desse surpreendente território que é a TV brasileira.

Ele também edita o http://territoriodeideias.blogspot.com.br e está no Twitter (@lucasfelix)



COMENTÁRIOS