Reportar erro
Desabafou

Juliette diz que curou ferida pessoal e fala sobre xenofobia no BBB21

Advogada deu entrevista exclusiva ao Fantástico

Juliette dá entrevista ao Fantástico
Juliette dá entrevista ao Fantástico - Foto: Reprodução/Globo
Redação NT

Publicado em 09/05/2021 às 21:14:29

Juliette, a campeã do BBB21, falou sobre a experiência do confinamento, xenofobia e seu sucesso por causa do reality show. Em entrevista ao Fantástico, a advogada relembrou sua dedicação do prêmio à mãe e comentou sobre ter curado uma ferida pessoal durante o programa.

A ex-BBB começou cantando a música “Triste, Louca ou Má”, da banda Francisco El Hombre. “Eu entrei nesse mantra, ninguém vai me definir, eu vou ser meu próprio lar, mas foi meio complicado”, recordou.

 Juliette comentou sobre ter sido tão excluída pelos brothers no início do reality, que a chamavam de caça like. "Eu acreditava (que era louca) no início, porque eu estava muito frágil. Mas depois, quando eu comecei a conhecer as pessoas, eu vi que elas estavam só com medo também. Algumas eu entendi, outras ainda não, mas eu estou tentando.”

A advogada disse estar espantada com o seu sucesso e especulou o motivo do seu efeito sobre o público. “Eu acho que é porque, tipo, eu tentei ser verdadeira. Então, eu vou dar tudo o que eu tenho. Eu dei tudo que eu tinha: eu.”

Juliette fala sobre ferida pessoal 

Após Tiago Leifert anunciar a vitória da paraibana, ela dedicou o prêmio à mãe e explicou a razão ao Fantástico. “Eu me vi muito na minha mãe, porque quando eu era criança eu tinha vergonha que ela não sabia ler e escrever. Eu cheguei até a falar com a terapeuta assim: eu estou me sentindo minha mãe, e eu falei aquilo muito doendo. E eu me envergonho por ter tido vergonha dela. E foi muito difícil assumir para mim”, desabafou em lágrimas.

“Eu passei pelo que você passou. Aqui depois de muita faculdade, diploma... Eu gritei de alívio: ‘eu passei pelo que você passou’”, reforçou. Juliette também comentou sobre a xenofobia que sofre por ser nordestina. “Eu sou privilegiada pela minha imagem, mas quando eu começo a falar, as pessoas me olham de forma diferente, me veem como se eu fosse menor, como se eu fosse burra”, opinava.

Com uma legião de fãs no Instagram, ela disse que achava que ia sair com um ou dois milhões, mas já bateu os 28 milhões de seguidores na rede social.Com uma torcida apaixonada e vista como radical, Juliette mandou um recado aos cactos: “Eu quero que eles se controlem”.



Mais Notícias