Reportar erro
Olimpíadas

Alison dispara palavrões ao vivo e assusta Luís Roberto na Globo

"Hora de botar energia pra fora", justificou comentarista

Luís Roberto fazendo joinha
Luís Roberta descontrai em momento de saia justa - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 29/07/2021 às 12:13:38,
atualizado em 29/07/2021 às 12:27:18

O narrador Luís Roberto se surpreendeu com vários palavrões disparados pelo jogador do vôlei de praia Alison durante partida de vôlei de praia nas Olimpíadas. "Eu adoro quando vocês passam pra gente o mental desse momento", iniciou ele, sendo surpreendido pelas palavras do atleta. "Respira. Calma, buc... Cara***!", disse Alison em um dos momentos mais tensos do jogo.

Para tentar descontrair o momento inesperado, Luís Roberto apaziguou: "Ah, Alisson, Álvaro... Vamos lá, vamos ter calma!". O ex-jogador Emanuel estava na transmissão como comentarista e justificou o excesso de palavrões. "Essa é a hora de botar energia pra fora, botar aí, concentração, parar, tomar água, respirar e vamos conseguir", disse.

A referida dupla que protagonizou um momento curioso na transmissão das Olimpíadas da Globo venceu Brouwer e Meewse e passou em primeiro lugar do grupo, após sofrer derrota na partida anterior. A vitória aconteceu por 2 a 0. Confira o momento:

Olimpíadas 2020 faz Galvão Bueno se emocionar

Mais cedo, na prata da ginasta Rebeca Andrade, Galvão Bueno viveu um momento diferente na Globo. Ele narrava o segundo lugar da brasileira. ""Não sei se tenho mais idade pra isso", admitiu o veterano narrador de 71 anos de idade na transmissão, ao vivo. "Eu tava esperando narrar essa medalha desde Atlanta (1996)", acrescentou ele.

Atuando como comentarista, a ex-ginasta Daiane dos Santos também comemorou a prata. "Pra mim é uma felicidade ver esse legado seguido adiante, ver a Rebeca ser a segunda melhor ginasta do mundo", justificou ela, que também se emocionou após a segunda colocação da brasileira.

Daiane foi às lágrimas ao vivo depois de parabenizar a todos pelo pódio. "A medalha era consequência do que ia acontecer, e veio. A gente vê hoje a primeira medalha pra uma menina negra. Tem uma representatividade muito grande por trás de tudo isso. Foi criada por uma mãe solo, o pai dela não é presente. Aguentou tudo, pra ser a segunda melhor atleta do mundo. Não consegui me expressar direito", disse ela. "Se expressou muitíssimo bem", devolveu Galvão.

Mais Notícias