Reportar erro
Jornalistas divergem

Robinho: Na Record, Gottino defende prisão e Cecato sugere que vítima é prostituta

Jogador foi condenado em primeira instância a nove anos de prisão por estupro

Carla Cecato, Robinho e Reinaldo Gottino
Carla Cecato e Reinaldo Gottino divergem sobre caso Robinho - Foto: Montagem/Reprodução/Record/Divulgação/Santos FC
Paulo Pacheco

Publicado em 19/10/2020 às 18:30:01

Apresentadores da Record, Carla Cecato, do Fala Brasil, e Reinaldo Gottino, do Balanço Geral, divergem sobre o caso Robinho, condenado em primeira instância a nove anos de prisão por estupro. As opiniões dos jornalistas, emitidas ao vivo em seus respectivos programas, repercutiram entre o público.

No último sábado (17), o blogueiro Cosme Rímoli, do R7, participou do Fala Brasil e criticou com veemência a postura do jogador na época do caso de violência sexual contra uma jovem de origem albanesa, em janeiro de 2013. Carla Cecato interveio com uma pergunta a respeito de garotas de programa.

"Como não poderia deixar de ser, como jornalista e mulher acho que tenho direito de falar. Todo mundo sabe também que existem mulheres que vendem o corpo, e esse tipo de atitude entre jogadores de futebol, infelizmente, é comum e recorrente, essa atitude de contratar mulheres de programa para essas orgias, uma coisa horrorosa. Eu li no livro da Andressa Urach, Morri para Viver, que elas já iam para esses programas sabendo que iam passar pela mão de vários homens e até cobravam mais caro", disse Cecato, associando a vítima à prostituição.

"É muito difícil quando vêm essas acusações de estupro de a gente saber até que ponto foi algo programado… não estou tirando o teor da conversa, que é de baixo calão, de desrespeito contra a mulher. ela atava embriaga, ao que tudo parece, ou seja, não poderia ter continuado esses atos sexuais, mas que existem muitos escândalos dos quais essas mulheres que vendem o próprio corpo também participam com anuência, já sabendo o que vai acontecer, existe, né, Cosme? Vamos falar a verdade", prosseguiu a apresentadora, sugerindo que a moça de origem albanesa poderia ser garota de programa.

Carla Cecato recebeu muitas críticas do público nas redes sociais e foi comparada ao colega Reinaldo Gottino, que nesta segunda-feira expôs seu posicionamento totalmente oposto ao da jornalista. Durante o Balanço Geral SP, o apresentador defendeu abertamente a prisão de Robinho, já que foi condenado pela justiça italiana.

"Eu tenho uma opinião formada sobre o assunto e falo com você aqui. Robinho é condenado por estupro, condenado na Itália. Ele não é apenas acusado. Acusado ele foi uma época na Inglaterra em outro caso. Vamos parar de passar a mão na cabeça de jogador, de artista, de celebridade, como se eles tivessem licença para fazer o que é errado. Estupro é crime. Estupro é toda ação investida, toque, sem o consentimento da outra pessoa, quando toca a outra pessoa sem o consentimento. Isso é estupro. A jovem estava bêbada. Por isso mesmo, ela deveria ter recebido ajuda. Ela deveria ter sido protegida, e não ter sido tocada por um homem e seus amigos, homem que se esconde atrás da fama e usa o nome para cometer atos repugnantes", criticou Gottino.

"Não me venha com esse papinho de que 'o Robinho tem que entender que os tempos são outros'. Não. Estupro sempre foi estupro, e a conversa de Robinho com o amigo em tom de deboche só revela o caráter dele. O seu Robson de Souza, ele tem que pagar pelo que fez. Ele não está acima da Justiça, seja brasileira seja italiana. Robinho tem que pagar pelo que fez, e ele é condenado na Itália à prisão", reiterou o apresentador do Balanço Geral.

Mais Notícias