Polêmica

Ativista processa Sikêra Jr e RedeTV! por transfobia: "Programa criminoso"

Agripino Magalhães entrou com ação contra o apresentador e a emissora

Ativista processa Sikêra Jr e RedeTV! por transfobia:
Sikêra Jr. foi processado - Foto: Reprodução

Publicado em 30/09/2020 às 13:51:00 ,
atualizado em 30/09/2020 às 13:51:34

Por: Redação NT

Agripino Magalhães cumpriu sua promessa e processou Sikêra Jr e a RedeTV! na última terça-feira (29). O ativista dos direitos da População LGBTI+ protocolou uma ação contra o apresentador do Alerta Nacional e a emissora no Ministério Público de São Paulo por causa de discurso de ódio, homofobia, transfobia e associação da comunidade gay as drogas.

“Os fatos são muito sérios, o querelado Siqueira Jr. vem atacando os LGBTI+, tentando associar drogas e substâncias entorpecentes, discurso de ódio, transfobia em face dos LGBTI+, RedeTV, exibe-se matéria do querelado com a emissora e percebe-se com clareza mediana que o objetivo é ganhar pontos no IBOPE, mantendo uma programação de qualidade duvidosa que sem dúvidas está gerando situações anomalas, onde os telespectadores aceitando esse discurso de ódio e se aproveitando da proteção dada a Neymar pela autoridades judiciárias, a impunidade”, diz o documento.

“Basta dizer, que através dessas falas criminosas que a mídia, que os apresentadores, que os jogadores de futebol, que as pessoas formadoras de opinião fazem com que o Plínio seja morto, a Dandadara, a Kiara e quem sabe um filho de um Juiz ou Promotor, que com sede entre num bar da região gay e seja esfaqueado porque simplesmente alguém quer matar um gay ou que alguém ali transite”, acrescenta.

Agripino criticou o comportamento de Sikêra e ainda desaprovou o conteúdo do Alerta Nacional. Ele relembrou que o apresentador e a equipe da produção costumam comemorar assassinatos na frente das câmeras.

“Trata-se de um programa duvidoso, temerário e porque não criminoso, pelas praticas irrogadas e impossível de manter não só o apresentador como seu bando (contra regra, editores, etc) que pulam e dançam diante da morte de alguém ou até de um pobre bissexual que foi jogado de uma janela porque o cliente percebeu que ele era homem”, afirma.

Além de Sikêra Jr, Agripino processa RedeTV!

Além de Sikêra Jr, Agripino também envolveu a RedeTV! no processo. O ativista responsabilizou a emissora por dar espaço ao apresentador. Ele ressaltou que o canal poderia fiscalizar a produção para não permitir conteúdos duvidosos.

“Já a RedeTV através de seu representante legal deveria fiscalizar seus programas para impedir que maus apresentadores, para ganhar audiência, além de escrachar os LGBTI+ ainda colocar em risco a vida dos mesmos, pois já temos inúmeros mortos, inúmeros sequelados e isso tem que acabar”, conclui.

Entenda o caso

Agripino informou no início da semana que processaria Sikêra Jr. Na visão do ativista, uma postagem feita pelo apresentador pela sua conta do Instagram tinha conteúdo transfóbico. O jornalista já foi criticado pela ex-BBB Ariadna Arantes.

A postagem que causou a revolta de Magalhães – e também de Ariadna – era uma espécie de reflexão sobre a aceitação de pessoas transgêneras na sociedade. “Transgênero é uma pessoa que não aceita o próprio nome, o próprio corpo, a própria voz, a própria vida. Mas quer ser aceito por todo mundo”, disparou o apresentador. A publicação foi apagada.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!