Reportar erro
CNN Brasil

Rafael Colombo enquadra Alexandre Garcia sobre cloroquina: "Meus amigos morreram à toa?"

Colegas discutiram eficácia de medicamento para o tratamento do coronavírus

Rafael Colombo e Alexandre Garcia discutem na CNN Brasil
Rafael Colombo e Alexandre Garcia discutem na CNN Brasil (Foto: Montagem/Reprodução/CNN Brasil)
Paulo Pacheco

Publicado em 07/08/2020 às 22:17:10

Rafael Colombo confrontou Alexandre Garcia nesta sexta-feira (7), durante o programa CNN Liberdade de Opinião e interrompeu a defesa repetitiva do jornalista veterano quanto ao uso da hidroxicloroquina no tratamento do novo coronavírus.

Ao comentar a fala de Jair Bolsonaro de que os brasileiros precisam "tocar a vida" após 100 mill pessoas morrerem de Covid-19, Colombo questionou se a cloroquina, substância divulgada pelo presidente e seus apoiadores, poderia ter evitado os óbitos.

"O governo brasileiro comprou mais de 4 milhões de doses. Se ela não funcionar, vai fazer o quê com ela?", perguntou o apresentador ao colega, que rebateu: "'Se ela não funcionar' não existe porque ela está funcionando, né?".

Colombo retrucou: "Ninguém provou que está funcionando, né, Alexandre?". O jornalista veterano, convicto da eficácia do medicamento porque Bolsonaro disse ter se curado com ele, respondeu: "Uai, mas as pessoas que sobreviveram são a prova".

O apresentador, então, desabafou sobre a morte de pessoas próximas: "Sim, mas e os 100 mil que morreram? Eu, por exemplo, tive dois amigos que morreram de Covid. Eles morreram à toa então? Porque fica parecendo que com 20 reais na farmácia eles poderiam estar aqui vivos comigo agora, e não é assim, né?".

Alexandre Garcia, ainda acreditando na eficácia de um medicamento não recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), indagou o colega: "É, eles certamente não morreram à toa. Eu pergunto: eles usaram hidroxicloroquina prematuramente?".

Colombo insistiu na dúvida sobre o uso da substância indicada por Bolsonaro.

"Eu não tenho esses detalhes a respeito do tratamento dele, agora não tenho a menor dúvida de que se a cloroquina funcionasse a gente não teria 100 mil mortos e não seria hoje o país com o terceiro maior volume de mortos no mundo, porque você vai à farmácia aqui do outro lado da rua e compra a caixinha de remédio", afirmou o apresentador.

Colombo prosseguiu deixando claro seu posicionamento contrário à divulgação massiva da cloroquina feita por Alexandre Garcia durante o programa.

"Eu faço questão de fazer esse posicionamento aqui porque depois há uma mistura em redes sociais a respeito da minha opinião com a opinião que o Alexandre manifesta aqui. Eu tenho todo respeito pela carreira e pela história do Alexandre, mas me sinto no direito de fazer esse posicionamento e do dever, mais do que isso, porque eu também perdi gente muito próxima por causa dessa doença e fica parecendo que elas morreram porque não quiseram gastar 20 reais para tomar cloroquina", opinou.

Assista ao momento em que Rafael Colombo enquadrou Alexandre Garcia na CNN Brasil:

 

Mais Notícias