Estreia

Fábio Porchat sonha em ter Faustão no seu programa: "Muita história para contar"

Que História é essa, Porchat? volta em formato remoto mantendo sua essência

Fábio Porchat sonha em ter Faustão no seu programa:
Fábio Porchat reestreia programa no GNT em formato remoto - Divulgação

Publicado em 30/07/2020 às 09:31:00 ,
atualizado em 30/07/2020 às 13:15:56

Por: Taty Bruzzi

Prestes a estrear a segunda temporada do Que História é essa, Porchat?, Fábio Porchat revelou que deseja ter Fausto Silva como convidado do seu programa. "Eu o admiro demais!", confessa.

"Deve ter muita história para contar, mas acho que só se eu me tornar o Jô Soares, ter muitos anos de televisão, vou conseguir entrevistá-lo", brinca o apresentador que sonha ainda com William Bonner, Zeca Pagodinho e Roberto Carlos.

"Me disseram que o Rei vai estar disponível em setembro de 2021. Vou cobrar!" [risos], complementa o humorista durante coletiva de imprensa virtual na tarde dessa quarta-feira (29) e que contou com a presença do NaTelinha.

No ar pelo GNT, a atração teve a segunda temporada interrompida por causa da quarentena. Com apenas quatro programas gravados e a produção parada, o jeito foi exibir reprises enquanto se estudava uma forma segura de voltar ao ar.

De acordo com o apresentador, depois de muita pesquisa e alguns pilotos testes foi possível chegar a um consenso. "Meu medo era perder a essência. Um puxadinho não me interessa. Conseguimos preservar a atração", comemora.

A reestreia será no próximo dia 4, às 22h30, e conta com as participações dos atores Marcelo Médici  e Monique Alfradique, e da jornalista Sandra Annemberg, todos de casa, com exceção do Fábio.

O programa ganhou um cenário novo, mas manteve o formato de arena. Com plateia e convidados virtuais, as gravações têm sido realizadas durante a semana nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro. Ao todo, serão 17 edições.

"A estética permanece a mesma, a bolinha é para mudar a ideia do quadrado", fala sobre o público aparecer em círculos ao invés do quadrado da tela. As pessoas recebem um equipamento especial em casa com recursos para não travar", adianta.

Com equipe reduzida, Fábio faz quase tudo sozinho, contando apenas com uma pessoa da produção, desde se vestir até se maquiar. O cuidado foi redobrado, o figurino é higienizado, assim como o camarim e o estúdio.

O artista só tira a máscara na hora de começar a gravar. Já os profissionais que o acompanham no estúdio permanecem com uma roupa especial que faz lembrar um cientista maluco, como ele mesmo sugere.

"Sem vacina e com plateia é muito difícil ocorrer", lamenta. "Eu fico feliz em ver todos com trabalho e fazendo acontecer. Grato pela equipe estar lá na Globo, que é muito segura", avalia.

Assim como acontece com o Que História é essa, Porchat?, outras atrações estão retomando suas produções com equipe remota. No caso do seu programa, Fábio aposta em boas histórias para atrair o público.

"A pré-produção é essencial. O público já entende que as histórias são legais e prendem a atenção", avalia. O apresentador revela, ainda, que ele ajuda na escolha. "Minha função é fazer com que todos brilhem", garante.

Porchat não quer políticos em seu programa

Com a expectativa de repetir o sucesso da primeira temporada, Porchat adianta que a atração vai trazer muitas histórias engraçadas e dá spoiler sobre o que o público pode esperar desta reestreia.

"Teve uma mulher que se enrolou e acabou enviando nudes sem querer para o marceneiro com quem estava negociando um serviço e outra que chegou bêbada em casa e tomou pinho sol pensando que era água", recorda.

Já entre os famosos, o apresentador entrega a história de Grazi Massafera que confessou já ter tido lombriga. E como nem só de risadas é feita a atração, segundo o humorista, vai ter declarações emocionantes dos atores Alexandre Nero e Antônio Fagundes.

Apesar de estarmos vivendo em uma pandemia, Porchat diz que a nova temporada não tem nenhum fato ocorrido durante a quarentena, somente casos antigos e leves.

Sobre esse período de isolamento social, ele conta que presenteou os vizinhos com doces e acabou incentivando-os a fazerem o mesmo. "Criamos uma corrente do bem", revela.

Voltando ao "novo normal", Fábio confessa que as lives feitas durante o tempo em que ficou sem gravar o ajudaram bastante a entender melhor como essa tecnologia funciona e aprender como interagir online com o público.

O apresentador só chama a atenção para o fato de a gravação exigir mais tempo. "Dá trabalho! Um programa que durava uma hora e meia agora leva o dia todo", entrega.

Ansioso com esse retorno no GNT, o humorista comemora também a estreia do Que História é essa, Porchat?, na TV aberta. "Vai ser exibida a primeira temporada na Globo a partir de outubro, 10 programas, ficando no ar até dezembro", conta, confirmando informação antecipada pelo NaTelinha em março.

Questionado se já levou um não de algum famoso, Fábio disse que sim. Porém, não ficou chateado porque é melhor ser sincero antes do que chegar na hora e travar. Uma delas foi a atriz Ana Furtado que confessou não ser boa contadora de histórias.

A outra foi Juliana Paes, que prometeu participar da atração quando voltar a ser gravada no estúdio, pois não se sente à vontade em falar pela internet. Por fim, o apresentador abre o jogo sobre quem não tem vez no seu programa. "Político, para não misturar", conclui.






Siga o NaTelinha nas redes sociais


Reportar erro

LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!