Reportar erro
"Guerra" na internet

Globo endurece caça a pirataria e ameaça memória da TV no YouTube

Canal com mais de 3 mil vídeos é excluído; leia justificativa da emissora

Vídeo do Jornal da Globo publicado por canal excluído do YouTube pela Globo
Vídeo do Jornal da Globo publicado por canal excluído do YouTube pela Globo (Foto: Reprodução)
Paulo Pacheco

Publicado em 23/07/2020 às 05:41:01

Uma reportagem gordofóbica exibida no Jornal da Globo em 1993 ultrapassou 1 milhão de visualizações no Twitter somente nos últimos três dias. Ela só viralizou porque foi encontrada e publicada em um canal excluído do YouTube por reivindicação da Globo, alegando direitos autorais.

Há 12 anos, Danilo Rodrigues preservava a memória da televisão no canal Pedro Janov, com mais de 210 mil inscritos e aproximadamente 3600 vídeos publicados, quase todos extraídos de gravações caseiras feitas por telespectadores em fitas VHS.

Nesta semana, Danilo perdeu seu canal no YouTube, um dos mais requisitados por sites e emissoras (inclusive a própria Globo) para contar a história da televisão. A reportagem de César Tralli sobre feios, que repercutiu no Twitter, foi publicada por Renata Corrêa, roteirista com trabalhos no Fantástico e no Fora de Hora.

Ao NaTelinha, Danilo Rodrigues conta que já teve vídeos com restrição por reivindicação de direitos autorais, porém foi a primeira vez que material ainda não publicado se tornou alvo da Globo. Para o administrador do canal, a emissora endureceu a caça a seu conteúdo no YouTube.

"A Globo está correndo atrás para excluir material postado no Globoplay, e pegou o meu canal no meio desse esforço. Ultimamente, tinha vídeo sendo bloqueado por qualquer milésimo de segundo que batesse com catálogo da plataforma", afirma o dono do canal Pedro Janov.

Segundo Rodrigues, 75% de seu canal continha material da Globo, enquanto 25% eram gravações caseiras de SBT, Record, Band e emissoras já extintas. Nenhum vídeo era monetizado, ou seja, o administrador não faturava um centavo para preservar a memória da TV.

"Essa decisão da Globo é ainda pior porque acaba excluindo por tabela vídeos que eles não teriam direito de excluir", diz ele, que se sente vítima de perseguição: "Há inúmeros canais fazendo streaming da programação, repostando vídeos como os do Marcelo Adnet e monetizando tudo".

Donos de canais com outras relíquias da TV se preocuparam com a exclusão de Pedro Janov. Um deles perdeu vídeos por reivindicação de direitos autorais. Outro administrador avisou: "Se o meu canal cair, eu não volto".

Procurada pelo NaTelinha, a Globo respondeu com firmeza: o que os donos de canais com gravações caseiras fazem no YouTube configura pirataria.

"Não houve mudança na política. A disponibilização de qualquer conteúdo da Globo em plataformas digitais, sem a prévia autorização, configura pirataria. A Globo tem o constante compromisso de defesa dos direitos autorais e dispõe de tecnologias modernas para combater a pirataria de seus conteúdos. As medidas são tomadas de acordo com a natureza do conteúdo e das plataformas onde ele é ilegalmente disponibilizado", informou.

TAGS:
Mais Notícias